República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Feliz Ano Velho, Flamengo.

Por | 13 de julho de 2019
capanegrini
20 Comments
  • author avatar
    Rasiko 5 meses ago Responder

    Recomendo os excelentes podcasts com Mauro Cezar Pereira e Lucio de Castro, 2 dos melhores (senão os melhores) jornalistas esportivos do país. Como diz o título, os assuntos vão muito além do futebol.

    http://www.central3.com.br/category/podcasts/muito-mais-do-que-futebol/

  • author avatar
    Lico 5 meses ago Responder

    Ansioso para o seu próximo texto, Arthur SRN

  • author avatar
    Carlos Moraes 5 meses ago Responder

    Retratação, faço a indagação, eis que não consigo entender a motivação.

    Tudo bem. Estamos em época de delações, para gáudio dos alcaguetes. De retratação, não sabia !

  • author avatar
    João Neto 5 meses ago Responder

    Cada jogo é uma história distinta. Fator mando de campo, torcida…independente dos erros a serem solucionados, o time teve uma atuação marcante. Pela intensidade em todo o tempo de jogo, fez lembrar os grandes clubes da Europa.

    Em alguns momentos pensei que estava jogando o Liverpool ou o Manchester City, a superioridade técnica e física.

    Sigamos com os pés no chão, pois, na quarta-feira tem encontro encardido com o bom time paranaense.

    • author avatar
      João Neto 5 meses ago Responder

      …tamanha…

  • author avatar
    Joao Rocha 5 meses ago Responder

    Curioso pela retratação do Arthur após o show dado pelo Flamengo hoje no Maraca, bastou o 2o jogo pro Mister mostrar seu cartão de visita. Obvio que nego vai desmerecer, afinal foi contra o GO, no Maraca, um ponto fora da curva, etc.. o que eu vi e as estatísticas apontaram, sem sobra de dúvidas que foi surpreendente e animador. Sem falar que ainda tem reforços chegando! Foi um AI JESUS!

    • author avatar
      Carlos Moraes 5 meses ago Responder

      Retratação, faço a indagação, eis que não consigo entender a motivação.

      Tudo bem. Estamos em época de delações, para gáudio dos alcaguetes. De retratação, não sabia !

    • author avatar
      The Trooper 5 meses ago Responder

      Eu antevi a goleada, dada a intensidade e a postura ofensiva demonstrada já na estreia contra o Atlético. Cravei 5 x 0 no bolão. Errei por pouco.

      Realmente, era bem previsível que se a postura fosse mantida, o Flamengo venceria fácil no Maracanã.

      Mas, cada um vê futebol de uma forma.

      Veja que existem, dentre os Flamenguistas, viúvas de Abel, Zé Ricardo e até, creiam, Márcio Araújo.

  • author avatar
    Rasiko 5 meses ago Responder

    PORRA, TÉQUINFIM! Um jogaço! Arrascaeta mostrando seu valor milionário, Rafinha distribuindo chapéus, toucas e bonés e Gabriel Barbosa fazendo sua melhor partida da vida.

    Tem que manter isso aí, viu!

    srn p&a

  • author avatar
    Elienay Carlos 5 meses ago Responder

    hahaha. genial Arthur. bem isso mesmo. uma pena foi que li isso depois d jogo contra o goiais. me vi em vc antes do jogo contra o patetico. hahahhaa tragam as tassas. o//

  • author avatar
    chacal 5 meses ago Responder

    arthur,

    não pode deixar quieto as babaquices do gabigol pq ele balançou as redes….
    no resto eu concordo 100% com o texto.

    SRN !

  • author avatar
    Aureo Rocha 5 meses ago Responder

    Abro hoje as páginas esportivas e me surpreendo com o valor da aquisição do Gérson: quase 50 milhões de reais.

    Mas, quem é esse Gérson?

    Então fui pesquisar na internet, já imaginando que pelo valor da transação ele deveria ter sido convocado diversas vezes para a seleção brasileira, ou se destacado no campeonato italiano ou na Champion League, ou, quem sabe, ao menos, poderia ter fritado hamburguer nos EUA.

    Infelizmente, para minha enorme tristeza, nada encontrei que justificasse esse exorbitante valor.
    Está lá na Wikipédia:

    “Fez sua última partida pelo Fluminense na derrota contra o Grêmio, em Porto Alegre, pelo Campeonato Brasileiro de 2015, onde cometeu o pênalti que deu a vitória ao Grêmio, e ainda foi expulso.”
    E não conseguindo se firmar no Roma, foi despachado de volta para o Fluminense, e em seguida emprestado para a Fiorentina.

    Acompanhei a trajetória desse jogador no Fluminense, desde que soube que o Barcelona havia pago 10 milhões pelo direito de preferência da sua aquisição. Confesso que nunca vi nada de extraordinário no futebol do Gérson.

    Agora, eu entendo por que essa atual diretoria não fez acordo com as famílias do meninos mortos no incêndio do Ninho do Urubu.
    Cada um que interprete este último parágrafo, segundo a sua inteligência.

    Porém, In Jesus We Trust!

    • author avatar
      Carlos Moraes 5 meses ago Responder

      Eis que surge uma voz no meio da multidão !

      Considero um absurdo o que foi pago pelo jogador Gerson, de credenciais duvidosas, até porque fracassar na Roma é algo bem difícil, eis que o clube da capital mal e mal consegue chegar em terceiro no atualmente fraco campeonato italiano.

      Pior ainda em detrimento de um acordo com as famílias dos dez meninos do Ninho.
      Neste aspecto, considero irrepreensível o artigo da Vivi.

      A belíssima exibição desta manhã, dando enorme crédito ao trabalho do JJ, nada tem de comum com estes dois pontos muito bem levantados e comentados pelo Aureo.

      SRN
      FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 5 meses ago Responder

    É preocupante esse adiantamento de nossa zaga, os quatro numa rigorosa linha reta , parecia a linha burra do Saldanha rediviva. Ainda bem que foi corrigida depois, nem sei se por iniciativa do JJ ou pelos próprios jogadores. Coisa curiosa já apontada por muitos, os bons jogaram mal e os ruins jogaram bem e os muito ruins, esses não têm jeito, continuaram ruins mesmo. Esse tal de VAR é a dura realidade, não dá colher de chá pra liberdades poéticas, pô, um errinho de uns milímetros de uma chuteira de um pesão 42 põe o cara em impedimento, que diferença isso pode fazer pro zagueiro que ficou vendido no lance?Outra coisa, queria que me explicassem essa tal lei de impedimento tem uma contradição jurídica aberrante, já vociferei aqui, o sujeito está em impedimento, pressupõe-se em vantagem, aí ele volta para a posição normal, portanto, espontaneamente ele corrige seu erro ( se arrepende do crime) e justamente quando não goza de qualquer vantagem, dando, inclusive a vantagem pro adversário, é punido. Durma-se com um barulho desses.

    • author avatar
      Rasiko 5 meses ago Responder

      A regra do impedimento é uma estupidez que não se justifica, uma vez que, se rasgada, valeria pros 2 lados. Teríamos mais gols (a graça do futebol), o sistema defensivo teria que ser adaptado e aprimorado, zagueiro lento não se criaria e o Berrío, finalmente, faria sua estreia.

  • author avatar
    Silvio José Peixoto 5 meses ago Responder

    1 – (Pela ordem) O ano do Flamengo está começando agora, tudo o que foi feito na “era Abel” e tempos de “Fera”, foi deletado. Recomeçamos mesmo do “zero”. Menos mal que não houve dúvidas quanto ao goleiro titular, diferentemente do “‘rolo” colossal que se armou, “de graça”, na “ante-era Dorival”. Se o goleiro fosse o César, lá na “Arena do Diabo”, e o VAR veria a irregularidade, a arbitragem marcaria a falta e nosso bom goleiro seria expulso. Com o Diego Alves, “a grama sintética é mais embaixo”.

    2 – Os 8 minutos consumidos pelo arbitro Maciste (ou Hércules, mais popular, para quem não souber quem foi Maciste), não foram gastos em lance de impedimento. Foi para se certificar se houve pênalti de Renê em (quem diria) Cirino, e de que alguma divindade presente na Arena diabólica, é, realmente, rubro-negra, providenciando uma falta dos “insuportáveis”, “time chato pra cacete” (nem mudando o escudo e enfiando um “H” no nome, que ão serve para nada…, ah, e trocando a camisa (mudem também as cores, masturbadores), falta retro-providencial esta, que nos salvou do pênalti.
    Enfim, “a vida continua em aberto”. Tudo pode acontecer, ou nada, e este “nada”, nada mais é do que o passado recente de quase nada. Então, em frente.
    De jornalista seguidora, viajadora, acompanhante, entusiasta e defensora, o JJ está bem. Irene Palma, de “A Bola”, de Portugal, é muito gata. E agora é rubro-negra. Nessa ficamos bem. (Falei muito, por pouco ou nada)

  • author avatar
    Rasiko 5 meses ago Responder

    Melhor não esperar nada pra evitar depressão. Mas, mais uma vez, palmas pra Magnética. Esgotar os ingressos num domingo de manhã é a única fidelidade que assino embaixo.

    srn p&a

  • author avatar
    Ricardo 5 meses ago Responder

    Quem jogou de primeiro volante foi Arão. O Cuellar ficou por ali meio perdidão. Normal, o cara só chegou agora, mal foi apresentado ao JJ.
    Depois o colombiano saiu e o Arão ficou. E foi elogiado pelo Mister. Que deu a entender que debaixo dos caracóis pode estar um provável titular absoluto. Será que…Márcio Araújo, Wallace, a história pode de repetir?

  • author avatar
    Carlos Moraes 5 meses ago Responder

    Taí um artigo do Grão Mestre que eu poderia escrever.
    No mais das vezes, ser-me-ia, por óbvia falta de conhecimento, impossível.

    Isto não quer dizer que o artigo seja fraco. Muito pelo contrário. Futebolísticamente impecável.

    Nem vou falar sobre o jogo em si, pois já o fiz lá no Murtinho.
    Levamos um passeio em regra, tivemos muita sorte, o que também é um ponto positivo.
    Um jogo bem acima da média do Brasileirão, cabe ressaltar.

    Quero ressaltar um entre muitos pontos que merecem um bom debate.
    Os bandeirinhas terceirizados (uma definição própria da inteligência arthurziana).
    Que grande palhaçada !
    No segundo gol anulado, o fenômeno atingiu o gráu máximo. Pelo menos até aqui.
    O Marcelo Cirino (continua um bonde) recebeu a bola em total impedimento. A bola rolou pra cá e pra lá e, na primeira intervenção do bom atacante argentino (Rubem ou algo no gênero), também havia impedimento. Mais uma vez a bola rolou em todos os sentidos, até que voltou ao mencionado atacante, em posição normal, que a colocou para dentro.
    Por mil diabos, qual o motivo do braço engessado do nosso querido bandeirinha.
    Dizem ser uma instrução para o melhor uso do VAR.
    Com a licença da má palavra, enfiem a instrução naquela parte.
    O VAR, tudo faz crer, é irreverssível. Como utilizá-lo, não.
    Desde que não seja para lances no meio de campo (apesar de utilizado no lance do pênalti) até em outros momentos poderia ser, como no caso da bola fora da área do excelente Diego Alves.
    Impõe-se, no entanto, muito mais celeridade, que, no caso do bandeirinha terceirizado, fica evidente.
    Parem logo a jogada, quando o impedimento é mais do que evidente.
    Deixem a geringonça (será com J, não sei mais) para os lances realmente duvidosos, como nos casos dos outros gols anulados e do pênalti não marcado pelo árbitro cada vez mais forte e, paradoxalmente, cada vez mais fraco.
    Já seria mais do que suficiente.

    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    João Neto 5 meses ago Responder

    Arthur, pelo pouco que pude assimilar da proposta de jogo projetada pelo novo treinador, esse elenco será incapaz de realizar. O estilo europeu de marcação avançada requer um preparo físico aprimorado e um mínimo de consciência defensiva. A começar, pelos atacantes.

    Uma simples análise nos projeta a total ausência de cacoete defensivo, chegando à beira da inocência – Os caras não marcam ninguém. Os próprios marcadores de meio-campo são falhos nesse quesito. Acho que somente contratando novos jogadores esse esperado time começará a dar caldo.

    Na minha avaliação, parcela do elenco já deveria ter saído. Essa nova visão projetada irá, obrigatoriamente, exigir mudanças primordiais no meio-campo e ataque. Por mim, seria excelente. Renovar esse cansado plantel de conquistas caseiras e fracassos internacionais. O jogo com o Athletico Paranaense escancarou as fragilidades físicas e coletivas desse elenco de prazo de validade vencido.

    Nova mentalidade e mudanças imediatas na busca de um estilo voluntarioso e vencedor.

    SRN

Deixe seu comentário