República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

É Pau, É Pedra, É Libertadores.

Por | 28 de fevereiro de 2018
4 Comments
  • author avatar
    VAGNER BSB - SSA 4 anos ago Responder

    Repetindo o mantra….

    “Enquanto essa mentalidade não mudar de verdade nos gabinetes da Gávea, as chances de êxito do Flamengo na Liberta continuarão circunscritas à casualidade.”

    Infelizmente, terei que discordar um pouco da frase acima.
    O problema é que a mentalidade dos dirigentes reflete a mentalidade da torcida. Basta ver como vários torcedores ficaram coléricos com o desimportante jogo contra os Flores em Cuiabá.
    “Não pode time misto!!!”; “Flamengo tem que entrar para ganhar, mesmo que seja cuspe à distância!!”; “Tem que levar TODAS as competições a sério!!”, etc..

    Não precisa ir longe, basta ver os comentários do último post do Arthur.
    Quem impinge esse MODUS OPERANDI idiota na(s) diretoria(s) é a própria torcida.
    Ficam nervosinhos por causa do Ruralzão e atrapalham ( ANO, SIM; E NO OUTRO, TAMBÉM) os planos do Mais Querido de ganhar o que realmente interessa.
    Ano passado foi a mesma coisa. Lembram da perda da Taça Guanabara pro Flores nos pênaltis??

    Então, é assim que procede grande parte da torcida. Esse evento (perda da Taça Guanabara) é, até hoje, mais lembrado que o fato de o time ter sido CAMPEÃO CARIOCA INVICTO. E não estou exagerando.
    Tem torcedor que fica, até hoje, revoltadinho com aquele jogo. Jogo, aliás, QUE NÃO VALIA NADA.
    Assim como não valia nada o jogo de sábado passado contra os mesmos Flores.

    Só que isso não se restringe a esses últimos dois anos. Em 2010 e 2012, a coisa foi muitíssimo semelhante.
    A torcida adora “gastar vela boa com defunto ruim”, leia-se, pressionar o time na Libertadores por causa do ignóbil Carioqueta.
    E não veja que isso mude tão cedo. Parece que o “vírus” do apego não quer sair da mente de vários torcedores rubro-negros. Esses continuam, inexplicavelmente, agarrados à crença de que a competição Rural continua com o status e a importância dos anos 1960 e 1970. Nem Freud explica…

    Hoje é dia de começar uma história nova. Mostrar que os erros do passado foram aprendidos e internalizados.
    Saber que o mais importante é vencer, mesmo que não jogue tão bem. E saber que a pressão TAMBÉM está do lado de lá.
    Não podemos, por exemplo, levar gol de contra-ataque como aconteceu contra o Independiente no jogo lá da Argentina. Jogo que dominávamos e vencíamos por 1×0 (fora de casa, portanto).

    É desse tipo de lição que falo. Espero que tenham aprendido.
    E quando eu digo que “espero que tenham aprendido”, falo em relação à Comissão Técnica, jogadores e Direção. São eles que precisam ter entendido isso muito claramente.
    A torcida, infelizmente, posso assegurar que ainda está atrelada às coisas do passado. E talvez só entenda as mudanças para o futuro com a conquista de novos títulos.
    Até lá, ainda teremos que ler e ouvir sandices como as que vimos nos últimos dias.

    A nossa ambição não pode ser atrapalhada pelo Ruralzão. Mas, não pode mesmo.
    Então, para continuar coerente com o que eu sempre digo: QUE COMECE O ANO DE 2018!!!

    SRN a todos!!

    • author avatar
      Henrique 4 anos ago Responder

      Começou o ano.
      Como acabaram os outros.

      E ai, vc com sua analise ? Ficou meio torta, né.

  • author avatar

    Tomara que seja o início do caminho, e não o fim. É pau, é pedra.

Deixe seu comentário