República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Vocês Querem Bacalhau?

Por | 17 de agosto de 2019
capabacalhau
12 Comments
  • author avatar
    chacal 1 mês ago Responder

    grande arthur.

    nosso mengão está muito bem,graças a torcida que lota os estádios e faz parte do socio torcedor.
    temos que continuar crescendo no numero de sócios torcedores,só assim iremos dominar geral.

    SRN !

  • author avatar
    Roberto Junior - Cuiabá - MT 1 mês ago Responder

    Arthur , foi exatamente em um post de um jogo do Flamengo com o Vasco no falecido Urublog do GE que passei a acompanhar seus textos , aquilo mexeu comigo , a dinâmica , o escracho , a devoção exacerbada sobre o manto sagrado , tudo diferente daquilo que normalmente era publicado sobre o Flamengo. Desse dia em diante passei a aguardar avidamente a publicação de um novo texto , a buscar seus livros publicados , enfim , virei fã mesmo..kkk

    Parabéns cara , e hoje novamente embalado por mais uma catracada em cima da baranga , um novo texto delicioso.

    Vamos aguardar o próximo.

    SRN!!

    Roberto Junior – Cuiabá – MT

  • author avatar
    Aureo Rocha 1 mês ago Responder

    Muhlemberg repareceu na ponta dos cascos.

    Esses 4 x 1 são desses jogos que ficam marcados na história do confronto Mengão X Bacalhau. Ninguém se esquecerá do baile, do olé e dos dois pênaltis defendido pelo Diego Alves. Defender dois pênaltis numa mesma partida é fato muito raro. Eu só sei que nunca critiquei o Diego Alves.

    Um pouco antes deste comentário, assisti à nossa cria, David Braz, acertar um petardo na gaveta do porco, o que nos deixou na segunda colocação, por número de vitórias, a apenas dois do Santos.

    Bem que este sábado poderia durar mais um pouco. Começamos levantando o caneco do brasileiro sub-17 e terminamos na segunda colocação do brasileirão.

    E por falar em cheirinho, esse ano promete: Flórida Cup, Campeonato Carioca e Campeonato Brasileiro sub17. Carioca e brasileiro de basquete. Segundo no brasileirão e primeiro do brasileiro sub-20… e estamos vivos na Libertadores.

    Creio que aqueles cheirinhos do passado serão agora reais. Por isso, temos que ter muito cuidado com uma overdose.

    SRN!

  • author avatar
    Felipe 1 mês ago Responder

    A maldição Sérvia continua.

    Eu de se estudar a sina da barganha desde o engavetamento monumental feito pelo nosso embaixador eslavo.
    Desde daquela fatídica final vejo que os vascaínos entram em campo nunca para ganhar mas sempre para Não perder.

    Tem que ter muita maldade no coração para além de derrotar o adversário destruir seu espírito.

    • author avatar
      Maroog 1 mês ago Responder

      Falo o mesmo para meu filho. Pet quebrou o espírito do vasco em 2001.

  • author avatar
    João Neto 1 mês ago Responder

    4 x 1. Normal.

    É o rato amarrado e a peia comendo!

    Me refiro ao habitante de São Januário.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 1 mês ago Responder

    Arthur, oniomania foi foda, eles aí fora não sabem o que é isso, não.

  • author avatar
    Rasiko 1 mês ago Responder

    “Desnecessário recomendar que continuemos com os pés firmemente apertados pelo frenético sapatinho da humildade, mesmo que não combine nem um pouco com a nossa roupa de festa.”

    É pura verdade; os fatos confirmam – Vinícius Jr., Paquetá, Jean Lucas, Samir e Jorge, quase meio time formado na base do Flamengo. Bruno Henrique completa e Everton Ribeiro e Gabriel B. seriam chamados se o técnico da seleção não tivesse o bom-senso que teve pra não exagerar no desfalque.

    srn p&a

    , mas esse não é da Base, embora seja

  • author avatar
    Carlos Moraes 1 mês ago Responder

    Arthur, o Grão Mestre, no seu melhor estilo.

    Palmas de pé.

    Para não correr o menor risco, voltarei DEPOIS do jogo (assumo a covardia)

    Exuberantes SRN
    FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    João Neto 1 mês ago Responder

    Arthur, as vezes bate um momento de lucidez e retroajo aos tempos de penúria financeira e técnica do rubro-negro em confronto com os gigantes da colina. Tempos de Edmundo, Carlos Germano, Mauro Galvão, Felipe, Pedrinho e Juninho Pernambucano. Sem contar os demais coadjuvantes. Os caras tinham uma seleção, mas nunca ganharam uma final contra o Flamengo. Que sina!

    Tempos de nervosismo antecipado. Insônia. Antes dos jogos derradeiros, sapecavam umas goleadas no caminho. Coisas de português otário. Gastavam o estoque de gols e depois reclamavam do golzinho solitário do Rodrigo Mendes, do Tuta, do Edilson e se descabelaram com o magnífico gol do Pet.

    Os tempos mudaram. Hoje o rubro-negro ascendeu socialmente e os outrora poderosos foram decaindo e se tornaram os anões da colina. Time médio em completo declínio financeiro e técnico.

    O que não mudou foi a supremacia rubro-negra.

    Nada mais comum que um novo triunfo, se possível com um placar dilatado. Com muita humildade. Simples.

    Apenas para não perder o costume.

    SRN

    • author avatar
      Carlos Moraes 1 mês ago Responder

      Com mil perdões, mas não exageremos.

      Em 1977, estava eu sentado nos degraus duros, posto que maravilhosos, da arquibancada do verdadeiro Maracanã, vendo a decisão do 2o. turno do Campeonato estadual, que ainda era o Cariocão, talvez já um pouco diminuído, sendo que o Vasco vencera o primeiro.

      A partida terminou empatada, o turno também, consequentemente fomos para os pênaltis, para a grande decisão.

      Deu Vasco – 5 x 4, com uma defesa incrível do Mazzaroppi, pulando no canto alto certo, do seu lado direito – que, em consequência ,se sagrou campeão, enquanto tive que contornar o choro do meu filho mais velho, então com 7 anos, que custou a se conformar.

      Ainda bem que em 1978 …

      SRN
      FLAMENGO SEMPRE

      • author avatar
        João Neto 1 mês ago Responder

        Me referi à geração de Edmundo e Cia. 1977 é bem antes . Essa geração é de Roberto Dinamite.

        A última conquista vascaína em decisão contra o Flamengo, foi em 1988. Gol de Cocada. Faz tempo. Mais de 30 anos.

        Contra fatos não existem argumentos. A geração de Edmundo nunca conquistou títulos diante do Flamengo.

Deixe seu comentário