República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Torturando números.

Por | 7 de outubro de 2019
Números 2Form
38 Comments
  • author avatar
    Fernando Amadeo 2 semanas ago Responder

    Prezado Murtinho,
    Infelizmente não tive oportunidade de assistir esse jogo, assim como o anterior contra o Grêmio.
    Entretanto, assim como na época do saudoso Waldyr Amaral, quando a chamada era “assista o jogo ouvindo a rádio Globo” – não sei se ainda usam essa expressão – pude assistir os ”melhores momentos” lendo seus precisos e detalhados lances principais. Claro, sem desmerecê-lo, também assisti os vídeos dos gols.
    Murtinho, tomo a liberdade de uma vez mais voltar ao tema “VAR”.
    Pelas redes sociais ouvi o áudio da análise, feita pelos “árbitros de ar condicionado”, do 2º gol anulado do Gabigol. Um verdadeiro drama, digno dos melhores tangos argentinos. Ninguém entendia ninguém. Foi um tal de pedir ao operador para adiantar/retornar o vídeo da jogada, confundindo-se entre eles próprios e, pior, confundindo o Pitana. Lembrou uma má comédia pastelão.
    Não entro no mérito se a decisão foi ou não acertada, mas a inevitável comparação com o VAR bem aplicado me veio sábado passado, quando assistia o jogo do campeonato inglês entre o Crystal Palace contra não lembro quem.
    Para mim, o importante desse jogo foi a ação do VAR no 2º gol do Palace. Lance difícil, na verdade dois em um: a posição do jogador do último passe e, na sequência, a do autor do gol.
    Os “árbitros de ar condicionado” decidiram, se não estou enganado, em menos de dois minutos, baseado nas imagens, acrescidas de toda a parafernália tecnológica disponível, para não deixar margem a dúvidas. E tudo simultaneamente transmitido pela TV (não sei se também apresentadas no estádio). Que inveja!
    SRN! Prá cima deles, Flamengo!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Fernando.

      Rapaz, isso era muito bom! Mas era “veja”, não? “Veja o jogo ouvindo a Rádio Globo”. Primeiro tempo, Waldyr Amaral; segundo tempo, Jorge Cury (ou vice-versa); comentários de João Saldanha; para espinafrar a arbitragem, Mário Vianna “com dois enes”.

      O gol a que você está se referindo foi o primeiro do Gabriel, certo? Segundo do Flamengo, já que o primeiro foi o do Everton Ribeiro. Cara, foi mais ou menos o que escrevi sobre a regra da mesma linha. Se os bonitões lá no ar-condicionado, com café passado na hora e sanduichinho para aplacar a fome, demoram mais de dois minutos para avaliar se o atacante está ou não impedido, é porque não está. Se estivesse adiantado, já teriam visto. Portanto, gol.

      Não vi o jogo do Crystal Palace, mas não é difícil perceber que, lá fora, os juízes absolutamente não são reféns do VAR. E quando são orientados a ouvi-lo ou consultá-lo, é tudo muito mais rápido e sem mimimi.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Vanessa 2 semanas ago Responder

    Felizmente nao deu merda, hahaha
    Dos comentários da tabela, eu viria com o melhor possível pra ganhar em casa na quinta e descansaria a rapaziada no domingo. Todo mundo sabe que o Sinthetico-Paranaense é osso duro de roer e o gramado falso exige muito fisicamente dos jogadores. Se tem um jogo pra perder pontos no caminho, é esse. SRN!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Oi, Vanessa.

      Creio que é a primeira vez que você aparece aqui, não? É uma honra.

      Então: assistindo ao jogo, você também não teve esse sentimento? Eu tive. Os caras mal entraram na nossa área. No primeiro tempo, nenhuma vez. No segundo, houve um chute perigoso aos 8 minutos, uma jogada de linha de fundo aos 18 e uma cabeçada meia-boca aos 43, nas mãos do Diego Alves. Só. Quando Bruno Henrique fez aquela falta desnecessária, já nos acréscimos, temi pelo pior. Felizmente, não deu merda.

      Gostei da estratégia que o Márcio Costa sugeriu e você endossou. Só que, pelo pouco que já pudemos conhecer do Jorge Jesus, não vai rolar. E o cara tá conseguindo tanta coisa que – quem sabe? – é capaz de conseguir algo que ainda não fizemos neste século: ganhar do Athletico Paranaense, em Curitiba, pelo Campeonato Brasileiro.

      (Você chegou a ler o post sobre o primeiro jogo contra eles pelas quartas de final da Copa do Brasil, na estreia do Jorge Jesus? Foi publicado, aqui no RP&A, no dia 11 de julho. O segundo parágrafo diz o seguinte: “Neste século, juntando Campeonato Brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil, o Flamengo foi dezenove vezes à capital paranaense para enfrentar o Athletico. Sete empates, doze derrotas.” É osso mesmo.)

      Beijo grande. Apareça sempre. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Boa, Bia!

      Linda iniciativa.

      Beijo grande. Paz & Amor.

      PS: Faça-me o favor de aparecer mais por aqui. Você faz muita falta.

  • author avatar
    Flavio Tanaka 2 semanas ago Responder

    Vou compartilhar meus achismos, nas próximas 3 rodadas poderemos ter a definição do campeonato.

    Quarta feira santos e palmeiras se enfrentam e quem perder, para mim, dará adeus ao título.

    Mesmo desfalcado , flamengo terá boas chances contra o atlético mg, se vencer é bem possível que a diferença suba para 7 ou 8 pontos até o segundo lugar, tendo a nosso favor os critétio de desempate.

    Nas próxima duas rodadas o palmeiras terá adversários fracos em casa (botafogo e chapecoense), provavelmente fará seis pontos.

    O flamengo terá dois jogos fora (atlético pr e fortaleza).

    Se a diferença se mantiver na casa dos 5 / 6 pontos , após estas rodadas. Não acredito que palmeiras nem santos tenham forças para chegar. lembrando que eles tem muitas dificuldades para manter longas sequências de vitórias. E o flamengo terá adversários mais acessíveis para pontuar.

    • author avatar
      Márcio Costa 2 semanas ago Responder

      Concordo com essas previsões!
      O jogo de amanhã entre Santos x Palmeiras é muito interessante para o Flamengo em caso de derrota dos Porcos. Acontecendo essa hipótese, o lance é ir com tudo pra cima do Atlético-MG para garantir essa “gordura”. Aí é que Flamengo e Mister têm que ser inteligentes para administrá-la.
      Nessa situação, acharia prudente nem levar o time titular para jogar no campo sintético do Atlético-PR, presumindo que o risco de lesão lá maior. Daí iria com o time titular pra pegar o Fortaleza e novamente pouparia o time principal no jogo contra as Flores, três dias antes da decisão contra o Grêmio.
      No pior dos cenários do Brasileirão, o Fla ficaria 2 ou 3 pontos de diferença pro 2º colocado, mas com o time com bem mais chances de estar na final da Libertadores, além do elenco descansado para trazer as taças!
      SRN

      • author avatar
        Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

        Fala, Márcio.

        Trata-se, sem dúvida, de uma bela estratégia.

        Minha única dúvida (me amarro no Brasileiro): será que não é o caso de tentar definir de uma vez essa bagaça? Porque se a gente abre, sei lá, nove pontos, um abraço. Mas a ideia de jogar com um time reserva contra o Athletico Paranaense é interessante. Jorge Jesus não vai fazer isso, mas seria mesmo um caso a pensar.

        Abração. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Flavio.

      O Campeonato Brasileiro é mestre em apresentar jogos muito doidos e surpresas extraordinárias, o que torna as previsões sempre perigosas. Mas às vezes é bom a gente desenvolver alguns raciocínios lógicos.

      Seus “achismos” são excelentes. Espero que a gente consiga, rapidamente, chegar a nove pontos de diferença, que representam três rodadas de vantagem. Aí, estará pelada a coruja. Vamos aguardar e torcer.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        Flavio Tanaka 2 semanas ago Responder

        Obrigado.

        Muitas vezes as pessoas acreditam que o campeonato por ser longo (38 rodadas) duas ou três não fazem diferença. Mas vejam só, após o jogo contra o fortaleza, o flamengo terá mais 12 partidas, sendo 8 delas no rio (7 no maracanã e uma no engenhão). Portanto eu acredito que abrir ou manter a diferença de pontos até o jogo com o fortaleza será decisivo, Jogaremos fora contra grêmio, goiás, palmeiras e santos, e é até possível que os jogos contra palmeiras e santos sejam irrelevantes para a classificação. O que estou comentando é que nos momentos em que a tabela lhe favorece é preciso acelerar, quando estiver contra qualquer ponto é lucro.

        • author avatar
          Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

          Então, Flavio.

          Lá atrás, quando Palmeiras e Santos vinham cabeça com cabeça, junto com a gente, eu me preocupava com os dois jogos que teremos de fazer contra eles, fora de casa, nas três últimas rodadas. Hoje, diante da possibilidade real de abrirmos vantagem, tô achando ótimo, porque é bastante razoável a chance de transformarmos essas duas partidas (dificílimas) em amistosos.

          Você está certo: o Campeonato Brasileiro – como todo campeonato de pontos corridos, longo e equilibrado – exige mesmo que seja disputado com raciocínio estratégico.

          Abração. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Felipe Abreu 1 semana ago Responder

      Flávio, então… Tchau peppas!

      • author avatar
        Flavio Tanaka 1 semana ago Responder

        A situação do palmeiras em relação a título, nem é tão ruim devido ao número de pontos que o separa de nós. O maior problema deles é o nível do futebol que jogam, todos os jogos mais difíceis eles tem fraquejado, só conseguem ganhar de csa, fortaleza e times de nível mais modesto. Provavelmente ganharão de botafogo e chapecoense mas só estas vitórias não bastam. Caso o flamengo consiga uma vitória nos próximos dois jogos ficaremos com uma boa margem na frente.

  • author avatar
    Valois Corrêa 2 semanas ago Responder

    Salve, Murta. Nessa altura do campeonato você já deve saber que o Atlético MG vem com 8 desfalques. Isso mesmo: 8.
    Abração e SRN!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, irmãozinho.

      Comentei isso na resposta ao Aureo Rocha. O campeonato é assim, todo mundo está sempre desfalcado, não dá pra ficar reclamando.

      Além disso, hoje em dia o número de desfalques é contabilizado de um jeito diferente do que era antigamente, quando só levávamos em conta os titulares. Hoje em dia, se o Dantas está machucado, é considerado desfalque. Coisas do futebol moderno.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    The Trooper 2 semanas ago Responder

    Quanto ao “das duas uma” sobre o Reinier, dá perfeitamente pra ocorrerem as duas coisas: Reinier joga 2, 3 temporadas no Flamengo, conquista títulos importantes e, ainda em idade adequada, vai pra Europa recheando nossos cofres. É só planejar e organizar direitinho.

    Quanto ao jogo, não há o que falar. Os números nem precisam ser torturados para revelarem um massacre imposto por um time que “apenas” tava sem Filipe Luís, Gabigol e Arrascaeta.

    Ah, mas era o lanterna. Sim, mas em uma comparação com um time do G-4, este lanterna enfrentou o Corinthians (4° colocado) completinho na última quarta-feira e teve mais posse de bola, finalizações e passes certos.

    Em outras palavras, continuamos sobrando na turma.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Trooper.

      Sim, é bastante possível que as duas coisas – títulos e grana – aconteçam.

      Eu também não caio nesse papo de lanterna. No tal campeonato de 2017, que citei no post, logo no início do segundo turno o Corinthians perdeu – em casa – para o Atlético Goianiense, que terminou em último lugar.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Aureo Rocha 2 semanas ago Responder

    Se o Flamengo jogará sem três titulares absolutos, o Atlético-MG perderá também alguns para a partida desta quinta-feira, a saber, Guga e Cleilton, titulares garotos da base convocados para a selecinha, Otero pela Venezuela e Luan pelo terceiro amarelo. Claro que não existe a menor possibilidade de comparação entre os nossos e os dele.

    Mas, o que anda mesmo me intrigando e o pouco aproveitamento dos nossos jogadores vindos da base.

    Que Rodinei, Piris da Mota e Berrio são bem fraquinhos, poucos duvidam. Entretanto, apesar de estarem sempre sendo testados e reprovados, entram no time, invariavelmente.
    Por que o JJ não dá oportunidade, por exemplo, para, João Lucas, o Hugo Moura e Vitor Gabriel ou Lucas Silva?

    Por que o Bill, de apenas 20 anos de idade, jogador de extrema habilidade que joga pela ponta direita, e que tem uma multa contratual de aproximadamente 200 milhões de reais, foi emprestado para a Ponte, mantendo-se o irregular Berrio no elenco?

    O César é um grande exemplo do total desprezo que o Flamengo vem dando aos jogadores da base. Contrataram o Muralha e emprestaram o César para times de segunda divisão do interior de São Paulo, onde, em quase dois anos, somente atuou em uma partida. Não fosse o Muralha um emérito frangueiro e a carreira do César, provavelmente, já estaria encerrada.

    Que mistério é esse de preferir contratar perebas de países sul-americanos, a aproveitar bons jogadores da Base? Será que Pires da Mota joga mais bola do que o Hugo Moura? Em caso afirmativo, só me restará afirmar que o Hugo Moura é uma boa merda.

    No Flamengo é assim: se é ótimo vende, se é bom empresta.

    Diz, aí, meu caro Murtinho, que mistério é esse?

    E, para não perder a oportunidade, “tortura nunca mais”. Números, até pode.

    S.R.N.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Pois é, Aureo, o campeonato é assim. Todo mundo está sempre desfalcado, não dá pra ficar reclamando. É por isso que, para o ano que vem, teremos que repensar o elenco e reforçar o banco. A tendência é o time brigar por todos os títulos, tem que estar pronto pro que der e vier.

      Concordo que os caras da base precisam receber oportunidades e ser testados. Mas tenho cá minhas dúvidas quanto a esse número tão grande de talentos vindos da base. O maior time da história do Flamengo tinha oito caras formados na Gávea. Só nesse comentário aí você citou cinco (João Lucas veio do Bangu). Será que eles são tudo isso mesmo? Ou será que a gente cultiva certas ilusões apenas porque são crias da casa? Agora, uma coisa é indiscutível: certas contratações são incompreensíveis. Só que isso está mudando, né? Nossas últimas contratações foram na veia.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      PS: Nunca mais.

  • author avatar
    Carlos Moraes 2 semanas ago Responder

    Desta vez vou discordar (enfim !) do nosso Murtinho.
    Reinier tem muito FUTURO, mas o PRESENTE deixa o menino a uma distância estrastosférica do Arrascaeta.
    É metidinho, além do mais, pelo que foi substituído pelo JJ e tomou um esporro monstro ao fim do espetáculo.
    Espetáculo, diga-se, de péssima qualidade.
    Além do Reinier, René e Vitinho estão a anos-luz do futebol de Filipe Luiz e Gabriel, agravado pelo fator que o futuro não se lhes faz nada animador.
    Tudo bem, Gabriel, depois da temporada na seleção, volta pro time, pois não estará mais suspenso, nem lesionado.
    Arrascaeta e Filipe Luiz estão contundidos, gerando uma angustiante dúvida.
    Nem pensar em contusão do Gerson.
    Não tenho mais a menor dúvida, Arrascaeta e Gerson são os dois melhores jogadores do nosso ótimo time.
    Pelo menos um deles tem que ser presença obrigatória.
    No mais, Diego Alves uma tranquilidade, Rafinha, que de tranquilo nada tem, sempre muito bem, Rodrigo Caio um bom zagueiro, Pablo Marí simplesmente fantástico, tratando a bola como um bom jogador de meio campo, Willian Arão subindo sempre, Everton Ribeiro, apesar de momentos em que fica desligado, compõe de forma notável o nosso meio, ao passo que Bruno Henrique muito oportunista.
    Não vejo como perdermos o HEPTA.
    O empate do Palmeiras não tem a menor significação, para mim. Continua a duas vitórias de distância.
    O único problema, vou repetir, são as contusões, se vierem a acontecer, além das duas já assustadoras.
    Os números, levantados pelo Murtinho, são confortadores.
    Vamos em frente que atrás vem gente.

    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Aureo Rocha 2 semanas ago Responder

      Meu caro Carlos Moraes, não sei em que parágrafo do artigo do Murtinho, você leu ele fazer uma comparação entre o futebol de Arrascaeta e o do Reinier.

      Realmente, é muito cedo para se fazer qualquer tipo de comparação entre eles, até porque o garoto só tem 17 anos. Mas, a verdade é que a sua multa contratual foi fixada em 300 milhões de reais.

      Pergunte a qualquer grande time europeu quem eles comprariam agora: Reinier ou Arrascaeta?

      O JJ é inegavelmente um excelente técnico de futebol, mas não entende porra nenhuma de psicologia. Eu aprendi e sempre agi em relação aos funcionários que eu comandava da seguinte forma: elogiava em público e dava bronca reservadamente dentro da minha sala.

      Se eu levasse um esporro como o que o JJ deu no Reinier, eu responderia na cara dele: “ei, JJ, vai tomar no c*.” Com 21 anos de idade, eu peitei um coronel do Exército em plena Ditadura Militar, na Light
      onde eu trabalhava.

      S. R. N.

      • author avatar
        Carlos Moraes 2 semanas ago Responder

        Não, de forma direta o Murtinho não comparou o Reinier ao Arrascaeta, até porque ele não é maluco. muito pelo contrário.

        De forma indireta, é óbvio, pois o garoto entrou exatamente no lugar do uruguaio, assim como René no do Filipe Luís e Vitinho no do Bruno Henrique, que passou para o do Gabriel.

        Os elogios, exagerados na minha opinião, que não quero tirar patente, implicitamente levam à conclusão de que a ausência do craque uruguaio não fez a mínima falta, o que, simplesmente, é impossível.
        Arrascaeta, assim como Gerson, é um jogador diferenciado, joga ^chupando laranjas^ (que não são as de MG), com um toque de bola primoroso, impossível para um garoto de 17 anos, a não ser que se tratasse da segunda (e provavelmente última) versão do melhor de todos em todos os tempos, o nosso Pelé.

        Há um outro dado que muitos dos nossos colegas ^repianos^ estão se esquecendo, qual seja a mediocridade espantosa do time catarinense. Time fraquíssimo, ainda por cima desfalcado dos dois laterais titulares, sendo que os substitutos – Brayan e Roberto, salvo engano -estavam nitidamente intimidados, não acertando jogada alguma.

        Muitos estão dizendo que o Atlético MG é fraco, sendo que, como esclarecido por outro ^coleguina^ nosso, vai entrar com uma porrada de desfalques.
        Pode ser verdade, mas, acima de qualquer situação, tem uma camisa de peso, que sempre pode trazer dificuldades (não creio).
        Nem camisa a CHape tem, sendo PERFEITA a observação do nosso Guru II no tocante a que foi utilizada, um verdadeiro horror, convite ao rebaixamento.

        Tenho dito.

        SRN
        FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Meu querido Carlos Moraes: não sei se o texto deu a entender isso, mas não comparei o Reinier ao Arrascaeta. Apenas achei que ele fez um primeiro tempo muito bom e não vi esse problema todo no toque de calcanhar. Pelo contrário: não enxerguei outra jogada que ele pudesse fazer ali. Quanto a discordar, ora, ora, essa é a graça.

      Um ponto muito bem destacado por você: a categoria do Pablo Marí. No primeiro tempo do empate com o São Paulo, ele fez, se não me engano, três viradas de jogo perfeitas, em três lances consecutivos. É muito tranquilo, muito sério, muito técnico. Um pouquinho lento – ninguém é perfeito.

      Sim, os números confortam e animam, mas nada garantem. Temos que continuar fazendo a nossa parte.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Maroog 2 semanas ago Responder

    Não concordo que o jogo foi ruim. Apenas fizemos só um gol e demos a falsa esperança à Chapecoense. Vamos sofrer um pouco, mas com este time dá para ir bem nos dois próximos jogos… Atlético MG é fraco, e espero que vençamos. O paranaense acha que é grande e costumamos perder lá na casinha deles, mas devemos conseguir um empate no mínimo.

    Acho que o título será nosso, mas não será uma manga.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Maroog.

      Também não acho que o jogo tenha sido ruim. Deveríamos ter fechado a tampa no primeiro tempo. Como não conseguimos, o time acabou se desgastando além do necessário.

      Manga, jamais. Sobretudo porque o Flamengo virou o time a ser batido. Todo mundo quer a glória, e quem tiver o mínimo de condição técnica vai dar trabalho.

      Vamo que vamo.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 semanas ago Responder

    Murtinho, eu acho que a gente só perde essa se acntecer “uma catastre” como diria o Neném Prancha. Mesmo na pelada de ontem, o time parecia incansável, ficou martelando o inimigo ali, o tempo todo, é assim que se faz, não dar mole nem para os mais fracos. Nem sei se isso é bom o ruim, ficar se escornando até a última gota de suor com um adversário tão fraco. O Berrio e o Vitinho devem arrebentar nos treinos, só assim se justifica o JJ insistir com eles. Eu até que simpatizo com o Berrio por ele me lembrar uma figura também muito simpática, o Blecaute, o nosso saudoso general da Banda, mas ele não joga porra nenhuma (desculpe o porra, mas meu atual sonho de consulmo é falar aquele porrrrra como aquele astrólogo que se diz filósofo).

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Grande Xisto!

      Pois é. Tem que fazer logo dois ou três, pra poder, no intervalo, tirar o Gerson, tirar o Bruno Henrique, tirar alguém mais que esteja precisando. Não faz, os caras têm que ficar se esfalfando até o fim.

      Não sei se Berrío e Vitinho arrebentam no treino. A questão é que não há ninguém para entrar. Para a temporada do ano que vem, ou os meninos da base deixam claro que é possível contar com eles, ou teremos que reforçar o banco.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      PS: Aqui nesse humilde espaço, os comentaristas têm ampla liberdade para falar o “porra” na hora e do jeito que quiserem. Sinta-se à vontade.

      • author avatar
        Fabio Britto 1 semana ago Responder

        Discordo que não havia outra jogada. Se ele corta para trás (podia ser até de letra, para manter uma “nota artística”) e toca para o ER já pra dentro da área, o nosso 7 iria entrar de frente pro gol. Ademais, jogada de efeito não se tenta, ou faz ou paga mico e segura a onda do esporro. E pelo visto o lance foi a cereja do bolo de outras broncas pretéritas. Cabe frisar que nosso Paquetá tem sofrido críticas na mesma linha no Milan e é bom pro garoto levar essas chamadas enquanto é tempo. Menino Ney não aprendeu e estamos vendo no que deu.

        • author avatar
          Jorge Murtinho 1 semana ago Responder

          Fala, Fabio.

          Vamos lá.

          Tive essa sensação na hora em que vi o lance, mas posso estar enganado.

          A bola foi esticada na direita, Reinier vinha em velocidade, com um zagueiro da Chape chegando junto e um jogador rubro-negro (não lembro quem era) um pouco atrás. Talvez houvesse outra opção, como a que você citou, mas não me pareceu uma firula. Era uma saída.

          Não tenho nada contra esporro, pelo contrário: perco a paciência com narradores e comentaristas que fazem mimimi em relação a jogadores do mesmo time discutindo em campo. Aliás, escrevi um post sobre isso quando houve o problema entre Rhodolfo e Felipe Vizeu, na partida com o Corinthians, em 2017. Esporro é do jogo. Só acho que, ao trocar Reinier por Berrío, Jorge Jesus não castigou apenas Reinier: castigou quarenta milhões de torcedores rubro-negros.

          E sigo o seu raciocínio: da mesma forma que jogada de efeito ou faz ou paga mico, e aí segura a onda do esporro, com substituição acontece a mesma coisa. Ou dá certo ou piora o time, e aí tem que segurar a onda das críticas.

          Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        Felipe Abreu 1 semana ago Responder

        Caro, Murtinho. O JJ poderia arriscar com o Vitor Gabriel, não?
        SRN

        • author avatar
          Jorge Murtinho 1 semana ago Responder

          Fala, Felipe.

          Sim. Poderia.

          Não acompanho as categorias de base, acho algo um tanto enganoso. O que conta é a hora em que o cara veste o manto diante de 60 mil pessoas, contra adversário casca-grossa. É o tal momento que separa os homens dos meninos.

          Mas, claro, fico sabendo aqui e ali quem é que tá pintando bem. Tenho um amigo que acompanha tudo de Flamengo e ele sempre me garantiu que o Vitor Gabriel é muito melhor que o Lincoln.

          Concordo contigo: bota o cara e vamos ver.

          Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    João Neto 2 semanas ago Responder

    Ontem eu parecia estar assistindo a mais um jogo do Corinthians – Vitória pelo placar mínimo. Muita disposição e ruindade. Pouca técnica. Erros crassos de passe e um marasmo de dormitar. Além da Vitória, a maior comemoração foi o apito final do encerramento do jogo. Aleluia! Acabou o sofrimento.

    A única certeza é de que não podemos contar com os reservas para um jogo mais pegado. Os caras conseguem complicar um jogo fácil contra um adversário sem poder de ataque. É muito angustiante para um precoce idoso. Masoquismo televisivo.

    Sabedor que o Mister é rigoroso – o garoto já levou um corretivo. Simplicidade, menino – São esperançosas as mudanças de elenco para 2020.

    Fica a expectativa dos adversários tropecarem nas próprias deficiências e de que o treinador consiga inspirar os reservas a desenvolverem um mínimo de qualidade técnica.

    As previsões do The Trooper começam a se projetar. Me parece que mais cedo do que o anunciado.

    SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, João.

      Ô, meu camarada, eu acho que você está exigente demais. Fizemos, mais uma vez, um primeiro tempo bastante bom. O erro – grave, diga-se – foi o de não ter conseguido matar o jogo, como fizemos contra Ceará e Avaí, além do próprio Palmeiras. Mas, concordo: no final, fiquei apreensivo. Quando Bruno Henrique fez aquela falta boba junto à lateral, dando aos caras da Chape a chance que, com a bola rolando, eles não conseguiam criar, temi pelo castigo.

      Rapaz, você sabe que volta e meia eu penso naquele comentário do Trooper? Tomara, João, tomara.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        João Neto 2 semanas ago Responder

        O que me deixa aborrecido é que normalmente quando o time está encaixado, todos querem jogar. Há uma disputa pela titularidade e nesses momentos alguns reservas despontam e chegam a tomar a vaga do titular. Há vários exemplos. No Flamengo isso não acontece. Os caras recebem muito bem, mas não demonstram disposição. Estão tomando o lugar da base ou de outro jogador.
        Não espero mais nada de Piris da Motta, Berrio e Vitinho. Chances eles têm. Resta saber aproveitar.

  • author avatar
    Rasiko 2 semanas ago Responder

    A substituição do Renier, de acordo com o próprio JJ, foi educativa, mas acho que ele deve controlar mais seus pitis e reserva-los pra intimidade do vestiário. Dar esporro em público não é uma boa estratégia pra manter a unidade do grupo.

    Berrío mais uma vez se contunde e, que ninguém nos ouça e eu não seja castigado pelos pensamentos impuros, não lamento. O cara é muito ruim e como diz a velha máxima do futebol, o problema de ter pereba no banco e que uma hora ele pode ser a única opção. É o caso do simpático colombiano – ruim demais.

    Já o Vitinho fez um bom 1º tempo e não deveria ter saído, até pra ganhar ritmo e confiança, já que vamos precisar dele anyway.

    Estamos todos um tanto apreensivos com o desgaste dos nossos jogadores, mas o JJ não dá sinais de que vá mudar a não ser que alguém faleça em pleno relvado – e ainda por cima sugeriu que a cbf criasse uma regra que proibisse mais de 5 substituições de um jogo pro outro. Como o sistema defensivo, incluindo Arão e Gérson, tá a mil por hora, relaxo e me contento com qualquer 1 x 0. A única pedreira que vejo nos próximos jogos é com os genéricos na gélida Curitiba. Não só pelo bom futebol deles mas pelo gramado fake.

    srn p&a

    • author avatar
      Rasiko 2 semanas ago Responder

      Como essa diretoria tá dando show de organização e planejamento imagino que esteja mapeando e sondando reforços pra 2020, já que o JJ, como haviam alertado, não é muito chegado a trabalhar com a base. O Banana de Mello antes de sair deixou o cocô na porta renovando com o Rodiney até 2022, mas o João Lucas mostrou seu valor. O Renê até que quebra o galho, mas quebra também a qualidade e até agora não conseguiu corrigir o defeito de errar passes demais. O Frank deve sair no fim do ano quando seu contrato termina e é preciso repor com um zagueiro à altura dos titulares. Piris da Motta, Berrío e Rodiney, se JJ seguir a linha europeia, devem ser colocados à disposição – nenhum dos 3 têm condições de sequer estar no banco. Também não entendo porque o Bill foi emprestado, o Hugo Moura ou o Vinícius não recebem oportunidades, idem o Vítor Gabriel. Se a base tem tantas jóias é o caso de lapida-las. Enfim, com o time titular que temos, temos também a chance única de empilhar Brãos, CBrasil e Libertadores pra calar pra sempre qualquer argumento dos anti. Mas pra isso é preciso não só o time mas um elenco que não deixe cair a peteca.

      srn p&a

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Rasiko.

      Como deixei claro no texto, não concordei com a substituição. E também acho que Jorge Jesus seria ainda melhor se agisse com um pouco menos de histrionismo. Não acho que ele jogue para a plateia, aquilo faz parte da personalidade dele, mas receio que acabe virando contra. E a gente sabe o que um elenco de futebol é capaz de fazer quando não aguenta mais um técnico.

      Tomara que a gente queime a língua, porém o nosso simpático Berrío parece mesmo um caso perdido. Além de muito abaixo, tecnicamente, do restante do time, o cara não sai do estaleiro. No primeiro tempo, Vitinho deu ótima bola para Bruno Henrique no lance do gol; no segundo, deu outra que Pablo Marí, precipitadamente, completou por cima. Mas é nítida a insegurança dele. Parece que joga com medo de errar, e não há quem jogue noventa minutos sem cometer um erro. Quando Jorge Jesus o tirou, estava sumidão. O problema não foi ele ter saído, e sim o Piris da Motta ter entrado.

      Athletico Paranaense vai ser um osso duro. Sobretudo porque vamos entrar desfalcados (Rodrigo Caio, Filipe Luís, Arrascaeta, Gabriel, possivelmente Bruno Henrique, que acho que está pendurado e nem sempre segura a onda) e, no Campeonato Brasileiro, eles são franco atiradores.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta para Fabio Britto Cancelar resposta