República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Se toca, dom Urubu!

Por | 10 de agosto de 2018
O Urubu na Festa no Ceu
13 Comments
  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 meses ago Responder

    Não sei o que aconteceu com o meu último comentário em que eu dizia que baixou a nostalgia nimim e recomendava “Urubu malandro” na voz de Ademilde Fonseca e na flauta do gênio Pixinguinha. Se falei algo indevido, gostaria de saber.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 meses ago Responder

    Estou com João Neto, urubu malandro não existe mais, mas como hoje é domingo, pede cachimbo, baixou nostagia ni mim, e ressuscitei o urubu malandro: no gogó da inimitável Ademilde Fonseca e na flauta do gênio Pixinguinha. Estão por aí em qualquer youtube ou google que andam por aí. Deu pra esquecer um pouco as rubronegrices da vida…

  • author avatar
    Roberto Fla 2 meses ago Responder

    Excelente Marcelo!!!

    Pra cima deles Mengão!!!

    SRN

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 meses ago Responder

    O que é pior, esses velhos urubus ainda circulam nos subterrâneos da Gávea livremente dando palpites, apoiando candidatos, não ficaram congelados nos seus retratos de ex-presidentes que se valeram do Flamengo para o prestígio próprio. Eles estão vivos, bicando aqui e ali. Esses mesmos que deixaram uma dívida inacreditável de 800 milhões e dizem que ganharam tudo, claro, contaram no currículo até torneio de cuspe em distância. Talvez seja por isso que entra ano, sai ano e o Flamengo continua na estaca zero, melhor dizendo, na estaca de 37 anos atrás. É difícil desenterrar uma mística que essas lúgubres figuras enterraram. Esse é o grande problema do Flamengo: autoestima na sola das chuteiras. Quem vai dar jeito nisso? Psicanalista, macumbeiro, umbandista, mágico, exorcista? Esse azar interminável é o outro lado da fábula, o mau agouro do urubu que atrai morte e o Flamengo continua inerte em seu berço esplêndido não ganhando porra nenhuma há milênios, infelizmente, essa é a dura realidade, há que se inventar uma fábula fabulosa ( como diria o Millôr) para transformar o Flamengo vencedor novamente. Tenho mais a falar, mas não tenho mais saco, albugínea, culhão, já perdi a esperança. E volto rápido para minha tumba, a qual jamais deveria ter deixado.

  • author avatar
    Lontra 2 meses ago Responder

    “Pra cima deles Dom Urubu”….É nos meus sonhos mais ocultos o Fla faz 4 no Gremio e la nna frente mete 3 no Cruzeiro dentro de BH….Mas ai o Barbieri aparece com o 4.1.4.1 que nem a Seleção Brasileira utiliza, mesmo tendo na teoria os melhores de cada posição, mas que no Mengo vai funcionar só porque é Flamengo…Ahh ta!!! Sonhar não custa nada, ja cantava a Mocidade de PM; mas bem que o Flamengo podia ajudar….SRN

  • author avatar
    Carlos Moraes 2 meses ago Responder

    Belíssimo, Áureo !

    Matou a charada.
    Se olharmos bem, em especial para baixo, veremos que já há urubuzinhos-flamengos doidos para levantar vôo.

    Não percamos tempo, menos ainda a vontade de torcer !

    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    João Neto 2 meses ago Responder

    A grande verdade é a de que o Urubu Malandro não existe mais. Como consagrou o Grande Chico Buarque em sua obra Homenagem ao Malandro, a ilustre ave teve de se adequar aos tempos modernos. Largou a navalha e vestiu um terno para o recomeço de vida.

    Atravessou fases difíceis. Hoje atingiu a relativa estabilidade financeira. Já estão de olhos aguçados no seu novo padrão social. Como bem retratou o colega Áureo, se deixou cercar de más companhias que somente almejam levar vantagem em real prejuízo próprio e de seus apaixonados seguidores.

    Desejo a ele que nunca esqueça de seus descendentes. Afinal, primeiro os de casa. E que contrate profissionais à altura de sua grandeza. Pois, tem conhecimento de sobra em finanças, mas perdeu a essência da vida. O conhecimento futebolístico.

    SRN

    • author avatar
      Dunlop 2 meses ago Responder

      Mandou bonito, João. SRN!

  • author avatar
    Aureo Rocha 2 meses ago Responder

    (Com a devida permissão do Carlos Moraes e do Marcelo Dunlop)

    Há alguns anos, os urubus que povoavam a Gávea tinham nascidos aqui por perto. Eram os urubus de pico preto e urubus de bico vermelho, de total identidade flamenga.

    Hoje, povoam o Ninho várias espécies de urubus. São os de bico amarelo, os de bico branco e o de bico de diversas cores, vindo de todas as partes do mundo. Enchem no Ninho a barriga da mais gostosa carniça, sem o menor comprometimento com a nossa Nação.

    Ontem mesmo, bateu em retirada o Urubu-Guerrero, uma espécie predadora, que se alimenta somente de deliciosa carniça. Vai comer agora lá nos Pampas. É um verdadeiro urubu-come-e-dorme.

    No Ninho, atualmente há cinco espécies de urubu estrangeiro, enchendo a barriga no nosso pasto, e isso sem contar com certos urubus – os chamados urubu-rodado – que comeram uma boa carniça pelo mundo afora, e que vem agora saborear mais alguma carniça, antes do seu descanso.

    Vejam como os atuais urubus do Ninho perderam a altitude de voo depois que o urubu de bico preto (esse sim um autêntico urubu flamengo) bateu asas em revoada para a Itália.

    Não sei não! Mas creio que precisamos de mais urubus-flamengos do que de sorte. Precisamos de mais Urubus-Paquetás.

    Encarniçadas saudações Rubro Negras.

    • author avatar
      Dunlop 2 meses ago Responder

      Voemos alto e com fé, grande Aureo. SRN!

  • author avatar
    John Doe 2 meses ago Responder

    “..unico trecho de hino sadomasoquista da história do futebol. ”

    Acho que vc esqueceu do hino das floresC, composto pelo mesmo Lamartine:

    “..Fascina pela sua disciplina. O Fluminense me domina..”

    Acho que o Lamartine tinha alguma obsessão com BDSM..

    • author avatar
      Dunlop 2 meses ago Responder

      Conhecia pouco os hinos da série B, amigo JD. Forte abraço!

Deixe seu comentário