República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Para o novo técnico perder o sono.

Por | 10 de junho de 2019
Insônia 1Form
31 Comments
  • author avatar
    Carlos Moraes 4 dias ago Responder

    Pretendia comentar a correta manifestação do Aureo.

    Depois de lê-la atentamente, passei a examinar outros assuntos, fora do âmbito do futebol, tendo em vista o gravíssimo momento que vivemos no País.

    Deparei-me então com um vídeo da jornalista Schereazade, que abominava.
    Fiquei impressionado, agora de forma positiva.
    Uma crítica contumaz e violenta aos governos anteriores, revela-se séria na apreciação jurídica do problema que desde a noite do último domingo agita a opinião pública.
    Nunca pensei que pudesse ouvir da jornalista em questão algo tão brilhante.
    Emocionei-me.
    A menina sempre foi bonita, mas mostrou uma outra beleza, que não era possível se deslumbrar.
    A seriedade de opinião.
    É esta seriedade que sempre desejei ao escrever aqui, como anteriormente no Urublog.
    Não DEVEMOS, em sendo críticos, nos influenciar pela paixão rubro-negra.
    Da mesma forma, em todos os campos da atividade humana.

    Se não quiserem publicar esse comentário, compreenderei perfeitamente.
    Afinal, este não é um blog de natureza política.
    Não poderia, no entanto, deixar de extravazar a minha emoção, mesmo que seja apenas para mim mesmo.

    Emocionadas SRN
    FLaMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Aureo Rocha 5 dias ago Responder

    Eis alguns famosos casos de manipulação de resultado no futebol:
    Quem quiser continuar acreditando em Papai Noel, Saci-Pererê, Mula sem Cabeça e Bicho Papão, o problema não é meu, que já sou bem crescidinho.

    Máfia do apito: o escândalo aconteceu no Brasileirão de 2005 e obrigou a organização a anular e remarcar 11 jogos. O árbitro Edílson Pereira de Carvalho, grande símbolo do caso, foi pago para beneficiar um grupo de apostadores nas partidas em que atuava.

    Copa São Paulo: o Estanciano, do Sergipe, foi eliminado na primeira fase deste ano da competição, mas fez muito mais “barulho” fora do gramado. Um dos atletas contou que recebeu a oferta de R$ 2 mil para perder contra o Itapirense na estreia (de fato, foi derrotado por 3 a 2). O técnico do time acusou o presidente de participação no esquema e saiu da equipe antes da segunda rodada. O dirigente, Sidney Araújo, e os jogadores disseram que recusaram a proposta, que partiu de duas pessoas ligadas a um site de apostas.

    Eliminatórias para a Copa da Rússia: Em março de 2017, Joseph Odartei Lamptey, árbitro de África do Sul x Senegal, foi considerado culpado por influenciar no placar final (a África do Sul ganhou por 2 a 1) e recebeu como punição a proibição do envolvimento em qualquer atividade ligada ao futebol para o resto da vida. O primeiro gol veio de um pênalti inexistente – a bola bateu na perna do senegalês, mas Odartei “viu” mãe no lance. A Fifa anulou a partida. No jogo remarcado, Senegal ganhou por 2 a 0 e carimbou seu passaporte para a Rússia.

    Rebaixamento da Juventus: no mesmo ano em que a Azzurra faturava o tetracampeonato mundial, sua liga nacional passou por um de seus piores escândalos: a Juventus, a maior campeã do Calcio, foi denunciada por “comprar” árbitros para apitar partidas específicas da competição. Foram descobertas conversas por telefone de Luciano Moggi, presidente da Vecchia Signora, propondo o esquema. Além do rebaixamento, a Juve perdeu os títulos de 2005 e 2006. Milan, Lazio, Fiorentina e Reggina, também membros da falcatrua, começaram a temporada seguinte com pontuação negativa. O caso ficou conhecido como Calciopoli ou Moggiopoli.

    Ivens Mendes e o Atlético-PR: o ex-presidente da Comissão de Arbitragem da CBF foi denunciado por ter cobrado R$ 25 mil do então presidente do Furacão, Mario Celso Petraglia, para que o time rubro-negro fosse beneficiado na partida diante do Vasco pela Copa do Brasil de 1997 – os paranaenses ganharam por 3 a 1. Mendes ainda teria cobrado cerca de R$ 100 mil do presidente do Corinthians, Alberto Dualib, para custear sua campanha para deputado federal nas eleições de 1998. O Atlético foi punido com a perda de cinco pontos no Brasileirão de 98.

    Caso Robert Hoyzer: o escândalo foi revelado em 2005, mas aconteceu durante o ano anterior inteiro. O árbitro Hoyzer foi preso por manipular resultados da Copa da Alemanha e das segunda e terceira divisões do futebol do país. O esquema pode ter movimentado mais de 2 milhões de euros. O juiz foi banido do futebol.

    Olympique de Marseille: em 1993, o presidente do clube, Bernard Tapie, foi acusado de “arranjar” uma partida entre seu time e o Valenciennes pelo Francês. O objetivo era fazer com que este último perdesse a partida sem machucar nenhum atleta do Olympique, que jogaria dias depois (e venceria) a decisão da Liga dos Campeões contra o Milan. Como punição, o clube não disputou o Mundial daquele ano e ficou proibido de participar da Liga dos Campeões da temporada seguinte, além de ter cassado a taça do Francês da edição 92-93. O time acabou rebaixado em 1994 por causa de irregularidades nas finanças. Tapie ficou preso por dois anos.

    Totonero (1980 e 86): a polícia italiana descobriu em março de 80 um esquema de venda de resultados das Séries A e B. Milan, Lazio, Bologna, Perugia, Palermo, Avellino e Taranto estiveram envolvidos. Milan e Lazio foram rebaixados e os outros times começaram a temporada seguinte com pontuação negativa. O presidente dos rossoneros foi banido do esporte. Jogadores também foram condenados – entre eles, Paolo Rossi, originalmente punido com três anos de suspensão, mas depois reduzida para dois. Assim, ele disputou a Copa da Espanha e foi nosso carrasco. Já a segunda edição do Totonero aconteceu entre 84 e 86 e atingiu nove clubes de quatro divisões do Calcio – Cagliari, Udinese, Triestina, Lazio, Foggia, Lanerossi Vicenza, Cavese, Perugia e Palermo. Dezessete dirigentes e treinadores e 34 atletas foram punidos.

    Caso Amarilla -Libertadores (2013)
    Carlos Amarilla, árbitro peruano, foi acusado por ter manipulado o resultado da partida entre Corinthians e Boa Junior, pelas oitavas de final da Copa Libertadores de 2013. Na ocasião, o árbitro anulou dois gols legais e deixou de marcar dois pênaltis para a equipe brasileira. Escutas telefônicas mostraram o ex-presidente da AFA (Associação Argentina de Futebol), Julio Grodona, indicando Amarilla para a apitar a partida e o inclinando para favorecer o time argentino. Amarilla chegou a ser afastado pela Federação Paraguaia de Futebol, mas logo voltou a apitar.

    Caso Robert Hoyzer -Alemanha – (2005)
    No mesmo ano a Alemanha foi o centro das atenções de forma negativa. O árbitro alemão Robert Hoyzer foi preso por manipular resultados de jogos da Copa da Alemanha e das segunda e terceira divisões do país durante o ano de 2004. Hoyzer tinha relações com apostadores croatas e confessou o crime à polícia. Estima-se que o esquema envolveu 2 milhões de euros e, como punição, o árbitro acabou banido do futebol.

    Para não encher o saco de vocês, parei por aqui. Mas a internet relata diversos casos neste mesmo sentido.

    SRN!

  • author avatar
    Rasiko 5 dias ago Responder

    https://globoesporte.globo.com/futebol/times/flamengo/noticia/policia-indicia-eduardo-bandeira-de-mello-e-outras-7-pessoas-por-mortes-no-ct-do-flamengo.ghtml

    A cagada foi do Santo Eduardo Banana, que já tinha tido tempo e espaço suficiente pra ter feito a mudança dos meninos da base pro novo CT, inclusive porque era período de férias e os profissionais não iam estar por lá, os quartos estavam vazios, tudo estava vazio.
    Tem que responsabilizar esses caras, SIM. Foi uma fatalidade, é o caralho! Olhem só a quantidade de infrações que a administração do Messiê Banana cometeu! É espantoso! Desde o 1º momento que soube da tragédia, não tive dúvida “Isso é coisa do Banana!” E era. E foi. E, pra engrossar mais ainda o caldo trágico, se é que é possível, o filadaputa vai tirar o cu da reta e não assumirá nenhuma responsabilidade, covarde como sempre foi.

    E tem que doer no bolso dele e não do Flamengo. O Flamengo deveria expulsá-lo dos seus quadros. Esse Mister Banana vai ter uma enorme conta pra pagar ao universo. Eu não gostaria nem um pouco de ter um enredo desse pra minha vida. Sinceramente, não desejo mal a ninguém, mas alguém ou alguéns tem que assumir a responsabilidade dessa porra tendo um CT de 1º mundo disponível, pronto pra ser habitado.., pelos meninos da base. Melhor ainda. PELOS MENINOS DA BASE.

    Alguéns tem que assumir. Talvez seja hora de aplaudir o trabalho da Polícia Civil. Cidadãos comuns e anônimos, como era o Banana antes de ser ungido ao trono da Gávea, não estão autorizados a usar a instituição em benefício próprio. Isso é crime. Isso é quebra de confiança. Ele não poderia jamais, sob nenhum pretexto, ter usado o Flamengo na sua campanha eleitoral. A mosca azul da vaidade se lambuzou no Banana. Nunca confiei nesse cara. Faz tempo que eu tô na cola dele. É o meu político-alvo de estimação, como dizia o Diego Mainardi sobre o Lula.

    srn p&a

  • author avatar
    Carlos Moraes 5 dias ago Responder

    Traduzindo em miúdos (atenção, não são os miúdos de Portugal, nossa ^língua^ atual).

    Estamos mal, eis que, para não haver a menor dúvida, atrás do primo pobre, o Botafogo.

    Além disso, levamos um passeio do Fluminense, que foi superior tática e técnicamente até na primeira etapa, embora ainda houvesse um certo equilíbrio em oportunidades.

    Não fosse, mais uma vez, o Diego Alves, teríamos ido inevitavelmente para o saco.
    Também há que se considerar que, fora o goleiro, destacadamente o melhor em campo do nosso lado, somente o Rodrigo Caio saiu-se bem, sendo que Léo Duarte desta vez não comprometeu e Everton Ribeiro, mesmo aquém do que normalmente, deu para passar de ano sem precisar de orais. Os demais, sem exceção, bem fracos alguns, péssimos os de sempre.

    A Nivinha disse tudo – saímos no lucro. Um pontinho que não merecíamos.

    Cheguei também a outra conclusão. Se já não tenho a vista esquerda, parece-me que a direita não anda muito bem. Pênalti, a nosso favor, dizem muitos. Sinceramente, não vi. Claro que, em cada jogo, o Gabriel, na sua cabeça oca, sofre no mínimo uns quatro pênaltis. Irritante.

    Se outro motivo, este sim fantástico, não tivesse surgido ao apagar das luzes e surpreendentemente, teria sido mais um domingo insípido.

    E o Bandeira, hein. Estou triste, pois, apesar de tantos e tantos equívocos em suas gestões, é um cara sério. Não merecia um final tão melancólico.
    Aos que diziam que nada poderia acontecer, lembro que sempre afirmei ser conveniente esperar o pronuciamento das autoridades policiais, em primeiro lugar. Havia possibilidades de chegarem à conclusão que acabou sendo tomada
    Agora resta esperar o MP, que não fica obrigado, como também, mais adiante, o Judiciário.

    Dias melhores hão de vir.

    No mais, nada a declarar.

    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 5 dias ago Responder

    Confesso que não sou muito chegado a esquemas e táticas, vejo o futebol como um todo, conjunto, jogadas bem arquitetadas e, claro, a técnica individual do jogador, agora me parece que o nosso novo interino cometeu um chamado erro primário ( quase que eu disse crasso (epa!)), quando substituiu o Diego pelo Berrio, nem tanto pelo nosso dura lex sed lex, no cabelo é só gumex, mas mudou tudo no time, o Berrio todos sabemos não é lá essas coisas, e quando ele é colocado é para se explorar sua incrível velocidade, ficou evidente que o time abriria mão do toque de bola em favor dos passes longos, ou seja, ligação direta, já qaue o Everton sozinho não ia aguentar a parada como não aguentou, recurso típico de time que quer jogar no contra-ataque e me parece que não era hora disso, o jogo estava bem parelho, apesar de já evidenciando o melhor toque de bola dos florzinhas. Portanto, o novo aprendiz que eu fazia fé, em pouco tempo para mim se esfumaçou. Mais um.

    • author avatar
      Rasiko 5 dias ago Responder

      Dei risada quando lembrei do Osvaldo Paschoal da Fox dizendo que “O Berrío é um baita jogador!” quando ele estava pra assinar com o Flamengo. Ou seja, além do analfabeto do diretor/presidente que contrata um jogador que não sabe nem controlar a bola e dar seguimento a uma jogada se tiver alguém na sua frente, vem o analfabeto jornalista confirmando a incapacidade de avaliação do que deveria ser “Um baita jogador!” Eu fico sinceramente chocado e até envergonhado pelo diretor ser tão incompetente de contratar um jogador TÃO RUIM quanto o Berrío. Chega ser vexaminoso, patético. E o Gabriel Barbosa não é muito melhor que o Berrío
      Ele não consegue passar pelo marcador, não tem habilidade pra isso, é atrapalhado. A única jogada possível com ele é na correria e olhe lá. E até ele chegar ao gol com a bola dominada e concluir com êxito, ambas as tarefas bastante rezemos.

      srn p&a

      • author avatar
        Rasiko 5 dias ago Responder

        * ambas as tarefas bastante penosas pra ele, rezemos.

        • author avatar
          Antonio 4 dias ago Responder

          Perfeito na análise dos dois jogadores. Quanto ao Paschoal e a maioria paulista no Fox Sports, só comentam tentando induzir os clubes cariocas ao erro, quer seja na venda de bons jogadores para os clubes paulistas ou na compra de perebas, que querem ver aqui, para enfraquecer o futebol do RJ.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 6 dias ago Responder

    Murtinho, agora me ocorreu a pergunta, o cara veio pra ficar um ano, será que aguentará?Estranho ele aceitar, me parece que um ano em termos europeus é um prazo ínfimo para ajeitar um time, , pelo menos, era, agora eles já estão também encurtando a paciência, tal qual o tal hábito tupiniquim, “mais uma vez o mundo se curva diante do Brasil,etc.”

    • author avatar
      Jorge Murtinho 6 dias ago Responder

      Grande Xisto.

      Sem dúvida, é um contrato estranhamente curto para os padrões brasileiros. Dificilmente eles não são rescindidos bem antes disso, mas partem daí.

      Jorge Jesus deve estar ciente de que, se não beliscar uma taça de responsa ainda em 2019, suas batatas portuguesas irão assar.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Aureo Rocha 6 dias ago Responder

    Ora, não resta dúvidas de que o time do Flamengo foi superior ao do Fluminense, no primeiro tempo. Tivemos três boa chances de abrir o placar, até com bola na trave do Diego, enquanto eles só chutaram uma bola para o nosso gol de fora da área.

    Aí, vem o segundo tempo. E o que faz o Fera? Arma o time com três atacantes, e deixa o Everton Ribeiro, tal qual um Robinson Crusoe sem o Sexta-Feira, com a incumbência de organizar o meio de campo, já que Arão e Piris da Mota cuidavam mais da parte defensiva.

    Estava na cara que o time iria perder o domínio do meio de campo e, portanto, o protagonismo da partida. A verdade é que Diego fez falta. Fera deveria ter colocado um homem de meio de campo no lugar do Diego e não um atacante.

    Conclusão: o time deles dominou o segundo tempo quase que por completo, em decorrência do inequívoco erro do Fera. O meio de campo é a alma de um time. Nem com um foguete enfiado no rabo o Everton Ribeiro iria dominar sozinho o meio de campo.

    Entretanto, a despeito dessa burrice do Fera, poderíamos ter até vencido a partida, se o árbitro tivesse assinalado um inquestionável pênalti a nosso favor. O defensor do Fluminense abre nitidamente o braço, interceptando a bola e mudando a sua trajetória. E, se jogador de futebol não pode jogar com os braços colados ao corpo, como jogador de totó, (como diz você, meu querido Murtinho) ele também não pode jogar de braços abertos como se fosse um cristo crucificado.

    Dirão os incrédulos que tudo não passa de teoria da conspiração. Mas, inegavelmente, já fomos roubados em quatro pontos, que ao fim do campeonato poderão nos fazer falta.

    Estão armando para o Palmeiras ser campeão. “É um acordo… botar um Caboclo qualquer, num grande acordo esportivo, com o VAR, com tudo.”

    O Flamengo é o ÚNICO clube quem tem um time (ao menos no papel) com a capacidade para tirar o título do Palmeiras. E o golpe está tão visível, que até mesmo após a bola rolar, o árbitro volta atrás para marcar pênalti a favor do Palmeiras.

    Ah! Você não acredita em roubalheira no futebol? Meu amigo, se fraudam para tirar um adversário político de uma disputa eleitoral, como não roubar no futebol?

    Há alguns anos, com quatro amigos, andei promovendo, pelo interior deste Estado, bingo de campo, devidamente autorizado pelas autoridades competentes. Tudo dentro da lei.
    Como o crime já está prescrito, eu vou contar:

    Mais de 30 mil pessoas dentro do gramado de um campo de futebol. Inicia-se o bingo. Lá pelas tantas, alguém grita:
    – Bingo!

    Sobe ao palanque um deficiente físico (não tinha uma das pernas) e apresenta a cartela, para os fiscais do bingo. Eu era um deles. A fraude era tão grosseira que eu gelei na hora. Mas, sete, entre os dez fiscais, estavam mancomunados com os golpistas.

    Se eu denuncio a fraude iria morrer gente, inclusive eu. Fiquei calado, é claro.

    Quando eu desci do palanque, andando no meio da multidão, eu só ouvia as exclamações:
    – Deus é justo, ganhou um deficiente!
    – A Justiça Divina não falha, o carro zero KM é de um aleijado!

    Mais tarde eu soube por que aquele deficiente ganhara o carro. É que porque não tendo uma das pernas, ele não teria possibilidade de sair dirigindo e roubar o carro.

    Roubaram nas barbas de 30 mil pessoas. E foi o último bingo que eu fiz na minha vida.

    Acorda Brasil! As fraudes estão desmoronando! (o duplo sentido é proposital)

    SRN!

    • author avatar
      Aureo Rocha 6 dias ago Responder

      No primeiro parágrafo: “boas chances”.

      • author avatar
        Jorge Murtinho 6 dias ago Responder

        Amigo Aureo.

        Aqui, temos outra discordância.

        Sim, o Flamengo foi bem melhor no primeiro tempo do que no segundo e foi, também, melhor do que o Fluminense – o que a lógica nos obriga a creditar à presença de Diego.

        Mas a única chance real de gol foi a que terminou com o chute dele, Diego, na trave. Bola no pé direito de Gabriel não representa chance de gol. E nas outros duas jogadas que descrevi nos “Lances principais”, o que vi foram as presepadas de sempre do Gabriel.

        Abração. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 6 dias ago Responder

      Amigo Aureo.

      Meu grande problema com essas suposições é que elas costumam ser usadas para acobertar nossos defeitos. Se só perdemos quando o juiz rouba, então o Pará não é tão fraco assim, certo?

      Se periga completarmos dez anos sem um Campeonato Brasileiro porque houve manobras a favor do Fluminense, do Corinthians, do Cruzeiro e do Palmeiras, é sinal de que temos feito as coisas do jeito correto, não?

      Isso me incomoda. Prefiro acreditar que, se formos competentes, se montarmos um elenco tão bom quanto o que a torcida acha que esse aí é, se tivermos um técnico taticamente atualizado, um time bem treinado e jogadores com qualidade e personalidade para não vacilar em momentos decisivos, podemos passar por cima de toda e qualquer conspiração – seja ela uma teoria, seja real.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        Aureo Rocha 6 dias ago Responder

        Murtinho,
        Quando se tem um time muito superior aos demais, não há roubo que tire desse time um campeonato. Entretanto, se os times se equivalem, aí o roubo funciona sim.

        E há muito tempo que o Flamengo não consegue formar um grande time que sobre na turma.

        Ano passado, fomos vice-campeão com 72 pontos, a 8 pontos do Palmeiras, muitos dos quais conquistados por ele na base do apito. Igualmente no ano de 2016. Lembro-me até de um lance em que a bola saiu quase meio metro pela lateral, e tanto o auxiliar, quanto o árbitro, deram sequência a um contra-ataque do Palmeiras que acabou com a bola nas redes e mais 3 pontos para eles.

        Tivessem sido assinalados os dois pênaltis a nosso favor, agora poderíamos estar em 2º lugar na tabela, com 18 pontos, fungando no cangote do porco, e não afastado dele em 6º com somente 14 pontos.

        Desta vez, eu vou contar até o fim do campeonato quantos pontos fomos roubados.

        Se ninguém denunciar as bandalheiras que acontecem no futebol, nada será mudado.

        De roubo em roubo, o porco enche o papo.

        Um forte e afetuoso abraço.

        • author avatar
          Jorge Murtinho 5 dias ago Responder

          Amigo Aureo.

          Embora respeitando sua opinião – o que faz parte da minha personalidade e, mesmo, é um dos aspectos inegociáveis nas discussões sobre futebol -, continuo discordando.

          Aliás, o que você vem denunciando a favor do Palmeiras segue a mesma linha do que muitos torcedores gostam de fazer em relação a Flamengo e Corinthians. Lá no Sul, o extraordinário Flamengo da década de oitenta ficou ironicamente conhecido como “o time queridinho da Globo”. Ouvi isso da boca de um grande e esclarecido amigo que torce para o Grêmio. Também ouvi, na cidadezinha em que minha sogra mora, no Paraná, que nas semifinais do Campeonato Brasileiro de 1983, depois de terminar o primeiro tempo vencendo por dois a zero, o Atlético Parananense só não eliminou o Flamengo porque os jogadores foram comprados no intervalo! Há um link que, embora rebata devidamente o assunto, deixa evidente a existência da versão: https://www.gazetadopovo.com.br/vozes/memoria-futebol-clube/atletico-flamengo-e-o-jogo-comprado-de-1983/

          Acredito em força nos bastidores. O ex-presidente do Atlético Mineiro e atual prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, falou no programa “Bola da Vez”, da ESPN, sobre a importância disso na conquista da Libertadores de 2013. Mas não consigo crer que uma arbitragem tenha entrado em campo, na oitava rodada de um campeonato de 38, com a intenção deliberada de prejudicar o Flamengo para beneficiar quem quer que seja.

          Em vez disso, prefiro que a gente cobre, para usar suas palavras, a formação do “grande time que sobre na turma”. E que, cá entre nós, já poderíamos ter.

          Abração. SRN. Paz & Amor.

          • author avatar
            Carlos Moraes 5 dias ago

            Olha, minha gente, eu estava no Couto Pereira no tal jogo dos 2 x 0.
            Inclusive, ao final, eufórico com a classificação para a final, fomos, meus dois fihos maiores e eu, ao vestiário rubro-negro, aproveitando a oportunidade da amizade pessoal com o Antônio Augusto.
            Em momento algum ouvi falar de suborno, sendo que, à época, morava em Curitiba.
            É bem verdade que levamos um passeio, em especial nos primeiros minutos.
            Fomos amplamente dominados, só não tendo saído o gol que nos eliminaria por autêntico milagre.

            Por outro lado, concordo totalmente com o Murtinho.
            Poderia acrescentar o célebre jogo contra o outro Atlético, com as seis expulsões (todas corretíssimas).
            Qualquer um em Minas Gerais, até os torcedores cruzeirenses, juram de pé juntos que foi um roubo escandaloso e dirigido previamente por interesses superiores.

            Este é o motivo principal para que rejeite a hipótese de Teorias da Conspiração.
            Vamos ficar eternamente jogando a culpa para a cúpula e desmoralizando, em última análise, toda e qualquer conquista, inclusive as nossas.
            Além do mais, há dois ^pequenos^ detalhes.
            O primeiro – nunca houve um pênalti perdido na história do futebol.
            O segundo – a não ser que fosse no minuto final, caso o pênalti fosse convertido, todo o restante do jogo teria uma configuração COMPLETAMENTE DIFERENCIADA da que ocorreu.
            Vemos isso a todo momento.
            Um time faz 1 x 0 (ou estabelece uma vantagem diminuta) e recua, havendo, até com certa constância, a reação da equipe adversária.
            Não se pode raciocinar com conjeturas.

            SRN
            FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Ricardo 6 dias ago Responder

    Não iludiram o Jorge Jesus , atuaram vomo em boa parte do primeiro semestre. Só faltou o Abelão à beira do campo.
    Um distante do outro, sem a menor organização, parecia um catado jogando uma pelada de fim de ano.
    O técnico português deve ter ficado preocupado. E tem pouco tempo para dar um jeito na bagaça.
    O elenco não é ruim, mas também não é essa coca cola que vivem apregoando.
    Só nos resta torcer

    • author avatar
      Jorge Murtinho 6 dias ago Responder

      Perfeito, Ricardo.

      O elenco é bom em alguns pontos, mas ainda precisa de ajustes em vários outros.

      Ontem, no segundo tempo, parecíamos mesmo um catadão reunido pela primeira vez. Por isso considerei nossa pior atuação no ano, até porque, na primeira semana de junho a exigência tem de ser, necessariamente, maior do que era em fevereiro.

      Não há dúvida de que Jorge Jesus saiu do Maraca com a certeza de que o elenco precisa de uma chacoalhada, mas jogador de futebol é danado e todos sabemos disso: se os caras não comprarem a briga do técnico, eles derrubam e ainda se fazem de santos.

      É isso aí: resta torcer.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    João Neto 6 dias ago Responder

    Murtinho, desde o fraco campeonato carioca, o adversário que mais incomoda o Flamengo, disparado, é o Fluminense. Pode vim com o time reserva, como já o fez anteriormente, que mesmo assim, dá trabalho. O Treinador contrário é o mesmo e sempre consegue um desempenho satisfatório e uma absorção rápida de assimilação do estilo de jogo do adversário. Em resumo: consegue imprimir uma melhor tática e supremacia de posse de bola. Conseguindo o feito de praticar uma linha de passe na própria grande área. Um risco calculado que transformou em bobinhos os atacantes adversários.

    A atuação rubro-negra foi sofrível. Salvaram-se apenas os citados defensores. Muito pouco para um plantel caríssimo. Acho que já deveriam ter sido dispensados vários jogadores que em nada acrescentam para uma mudança de estilo ou de vibração. Cito o exemplo de Luan do Atlético Mineiro. Sozinho, consegue dar uma vibração no time e reverter jogos perdidos. Tirando Rodrigo Caio, O Flamengo não dispõe de um jogador desse estilo do meio para frente. Falta audácia. Os jogadores quando pressionados não tem personalidade para sobressair. Inexistem meio’-campo e ataque. Toda a pressão vai para a defesa que tem de fazer o papel de ataque em face da omissão. Nem sempre consegue. Contra o Corinthians, conseguiu. Ontem, não.

    Fico na torcida para que o novo treinador elabore um melhor desempenho e consiga imprimir um estilo vencedor ao elenco.

    O Clube está gigante no campo financeiro. Falta reproduzir em campo este crescimento.

    SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 6 dias ago Responder

      Fala, João.

      Tenho a impressão de que não é só com o Fluminense: o Flamengo tem encontrado problemas diante de qualquer time organizado.

      Foi assim em todas as partidas que disputamos esse ano com o Flu, foi assim contra os reservas do Athletico Paranaense e, além do exagerado frisson que a competição provoca, essa talvez seja uma das nossas recorrentes dificuldades na Libertadores. Por incrível que pareça, os treinadores de boa parte dos países da América Latina costumam ser melhores do que os nossos e, mesmo sem dinheiro e grandes talentos, seus times quase sempre são bem montados. Aí, nos embananamos. Porque continuamos na base do “vamos lá, rapaziada, vamos ganhar essa porra!”

      Não conheço o trabalho de Jorge Jesus, jamais acompanhei os times que ele dirigiu, mas creio que dali pode vir um providencial sacode nos caras. A pica é que ele precisará de resultados rápidos, para poder prosseguir. Se as coisas derem certo no início, é possível que tudo mude.

      Vamos aguardar e torcer.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    The Trooper 6 dias ago Responder

    É verdade que o time é pessimamente treinado.

    Mas é verdade também que nutrimos a ilusão de que, simplesmente por ser mais caro, nosso time é muito superior aos demais.

    Sem Cuellar e Arrascaeta, nosso meio-campo é Piris, Arão e Diego. Isso é meio-campo? E nossos laterais? E Berrío?

    O Flamengo sofre de uma morosidade letárgica pra identificar as claras carências do elenco. Pará é dono da lateral há 6 anos (!!). Perdemos a chance de trazer o Felipe Melo e preferimos o Rômulo (!!!). Depois deixamos de investir em um segundo volante, porque o Abel disse que o Arão é o “ponto de equilíbrio” do time (!!!!!!!!!!).

    É incrível que alguém ainda consiga ver Pará, Arão e Diego desfilando suas conhecidas incompetências em campo e achar que temos um time.

    Esses caras não ganham nada desde 2016. Por que iriam ganhar em 2019?

    Jesus vai ter trabalho, porque os supracitados são os donos da bola no Flamengo, cabe à diretoria qualificar o time, dar respaldo ao treinador e negociar os jogadores que não produzem.

    Continuidade só vale a pena pra quem dá retorno.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 6 dias ago Responder

      Fala, Trooper.

      Pois é. Nada a discordar.

      Enquanto atravessávamos o período de ajustes financeiros e administrativos, era possível – com muito boa vontade, reconheço – compreender a presença no time de jogadores do nível de Márcio Araújo e Gabriel. Hoje em dia, isso é inadmissível.

      É impressionante como perdemos boas oportunidades no mercado. Exemplo: parece bom jogador esse Allan do Fluminense, não? Pergunto: mesmo com o clube numa tremenda pindaíba, quem do Fluminense identificou a chance, foi lá e trouxe o cara? Quem do Flamengo comeu mosca? A montagem de um elenco vencedor passa por aí.

      Não gosto de monetizar a discussão, mas isso é evidente: os estratoféricos salários pagos no futebol atual só são viáveis devido ao alto nível de profissionalização. A questão é que, em contrapartida, profissionalização exige retorno.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Rasiko 5 dias ago Responder

      Quero agradecer ao Trooper estar me poupando comentários repetidos já que, na maioria das vezes, concordo com o que ele escreve exatamente nos mesmos pontos. É inadmissível que Pará, Diego e Arão ainda estejam dando canja pelo Ninho. E isso passa pela direção que renova com esses perebas e, não fosse suficiente, ainda os mantém titulares. Não satisfeitos, contratam um bonde milionário na figura do Gabriel Barbosa, e “vamos fazer de tudo para contratá-lo definitivamente”, de acordo com o Marcos Braz – como é que esse cara consegue enganar tanta gente? Ter sido defenestrado na Inter e no Benfica não é indicação suficiente de que não poderia servir pro Flamengo? Precisava de uma comprovação pagando 1 milhão e 300 mil por mês? E não tem um filadaputa de um repórter capaz de fazer ao Marcos Braz a pergunta que ele não quer ouvir?

      Não é à toa nem mero saudosismo que minha geração não tem a menor paciência com esse futebolzinho vagabundo, com esses jogadores mimados, cheios de marras injustificáveis e sem a intensidade e entrega que a torcida exige porque tem direito.

      O Fera ia bem até que fez a cagada de esvaziar o meio de campo e entregar a rapadura mastigada pras flores.

      Haja saco!

      srn p&a

      • author avatar
        Jorge Murtinho 5 dias ago Responder

        Fala, Rasiko.

        Sem dúvida: o comentário do Trooper foi abrangente e preciso.

        Sem dúvida 2: o Flamengo tem agido como um clássico nouveau riche – e olha que nem isso é. Fazendo mil bobagens com o dinheiro que até bem pouco tempo não tinha.

        Sem dúvida 3: só posso atribuir o buraco no meio-campo rubro-negro, no segundo tempo do Fla-Flu, ao fato de que Marcelo Salles pensou uma coisa e aconteceu outra. Claro que não vou defender treinadores que pregam – vide Renato Gaúcho – que futebol não se estuda ou não se aprende, algo assim, mas essa é a diferença entre teoria e prática. O maior erro de todos talvez tenha sido não enxergar a bobagem que fez para corrigi-la imediatamente. Demos sorte em levar um pontinho pra casa.

        Abração. SRN. Paz & Amor.

        • author avatar
          Rasiko 5 dias ago Responder

          Outro que anda me preocupando é o BHenrique. Anda meio espalhafatoso demais. Tomando tapa na cara, caindo, rolando, teatrando e pouco produzindo já a alguns jogos. Aquela eficiência inicial tá meio dispera. É aí que a identificação com a camisa e com a torcida entram. E essa identificação tem que ser autêntica. A vibração tem que estar presente o tempo todo. Cada jogo tem que ser uma final. E, no caso do campeonato brasileiro, é. É de pontos corridos, mas devia ser jogado como se fosse mata-mata.

          • author avatar
            The Trooper 4 dias ago

            Bruno Henrique é um ótimo jogador pra quem joga Abelbol. Com bolas longas, “jogo de transição”, essas coisas.

            É muito forte, veloz e decisivo. Salvou a pele do Abel inúmeras vezes. Se não fosse ele, não teríamos ganho nem o carioquinha.

            Mas se o objetivo é ter posse de bola, jogar com troca de passes e imposição de meio-campo, ele deixa muito a desejar. Nesse caso, o Arrascaeta jogando ali pela esquerda produz muito mais, como vimos contra o Fortaleza.

            Eu acho que o BH poderia ser testado na direita, já que ele tem dificuldade de finalizar com a perna esquerda. ER7, que não tem mais a velocidade de antes, sempre vai bem jogando centralizado no lugar da enceradeira atômica, que deveria abrilhantar o nosso banco de reservas. E Arrascaeta na esquerda, posição em que sempre produziu melhor, desde os tempos de cruzeiro.

            Em suma, BH é fundamental, mas não precisa ser o dono do lado esquerdo do ataque, quando vc tem no elenco o melhor meia do futebol brasileiro há 3 temporadas, que joga exatamente por ali.

    • author avatar
      chacal 4 dias ago Responder

      além de concordar com tudo que vc disse, eu vou além.
      fagner qndo ainda era jogador do vasco ,tava insatisfeito na colina e o corinthians levou de graça..
      pq o flamengo não pensou em levar pra gâvea?
      jorge estava negociando sua volta com o flamengo e acabou no santos.
      vcs acham que foi por causa de um salário maior?negativo!
      foi por falta de um bom negociador…falaram que ele pediu 800 mim pro flamengo e acertou por 300 com o santos,como se o cara fosse um traira !
      quando na realidade ele fazia o papel dele negiciando um bom salário.

      estou citando esses dois casos só pra mostrar que poderiamos já ter resolvido nossos problemas na lateral.
      agora ficamos a merçe de uma estrelinha da seleção pra ver se aceita ou não 800 mil mensais,mais do que o doblo do salário do jorge.

      me dá arrepios ver o marcos braz a frente do futebol.
      preste bem atenção na forma como ele se comporta diante do jorge jesus…
      ele nem olha para o portuga!
      deve ter inveja da elegância que ele apresenta nas entrevistas.
      não estou aqui pra exigir uma coisa que a pessoa não pode dar,mas sim colocar as pessoas certas no lugar certo.
      já perdemos boas oportunidades de negócios por não ter pessoas mais capacitadas .

      SRN !

      • author avatar
        Rasiko 4 dias ago Responder

        Chacal, vc confirma o que eu disse: a torcida deveria pedir a cabeça não só de treinador e jogador, mas também de dirigentes. Um cara que contrata o Gabriel como se fosse a última bolacha do pacote pagando o que ele recebe e ainda garantindo que vai se esforçar pra contratar em definitivo, tem que ser posto pra correr.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta para Rasiko Cancelar resposta