República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

O Pior Líder da História

Por | 1 de junho de 2018
capa
22 Comments
  • author avatar
    Marcus Hartfelder 3 meses ago Responder

    Vejo as críticas da “imprensa” paulista sobre o Flamengo ter a tabela a seu favor e outros mimimis do gênero e só consigo pensar no quanto fomos “favorecidos” no jogo contra o Vitória na 1a rodada e naquele super-pênalti marcado a favor da Chape. A lamentar mesmo, só o acinte que foi só empatarmos com nosso vice de lei. Mas, claro, teve um garfo aí também.

    SRNs!

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 3 meses ago Responder

    Da série perguntinha que não quer calar: será que o Daronco logo mais vai fazer uso ilegal da medicina? Vinícius Jr. que se cuide…

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 3 meses ago Responder

    Saturday Night depression
    Eu me considero um passional com muita honra em se tratando de Flamengo, vou do ódio ao amor num milésimo de segundo pelo nosso time. Tenho assistido muitas partidas do futebol europeu, entre times e seleções, acabei de assistir Alemanha e Áustria, ontem vi França e Itália, sem falar no imperdível Liverpool e Real Madrid, no qual tudo de futebol aconteceu ali, segundo as lúcidas palavras do colorado Veríssimo. Em função dessa minha experiência estou aprendendo a ser mais tolerante com o nosso Flamengo. Nesses jogos que citei, apesar de um alto nível de jogo, também se viu erros grotescos cometido pelos maiores craques que nos brindaram(epa!) com tais espetáculos de futebol fora de série, nem preciso lembrar o papel do goleiro do Liverpool ( Karius?). Portanto, guardando as proporções, sempre guardando as proporções, antes que alguém venha dizer que eu estou comparando o Flamengo com o Real, é perfeitamente justificável aquelas atrocidades que o Rodinei comete com a pobre bola. Dando os trâmites por findo, porque hoje é sábado (royalties ao Vinicius), tenho que declarar que o nosso primeiro tempo contra o Bahia foi quase perfeito, e não venham dizer que o Bahia, ora, o Bahia. E tem mais, já disse e repito, o jogador perfeito, aquele que nunca errou um lateral, um mísero passe, esse não vai deixar nunca o conforto do aconchego de seu lar(epa!) diante das teclas do computador onde ele escreve aqui para o nosso Blog e entrar em campo. Eu pelo menos não vou deixar meu uisquisiquinho, embora envelhecido em 12 minutos e sei lá em que tipo de barril, se de carvalho ou não, para sair atrás de marmanjos para ensinar aquilo que eles deveriam saber de cor: jogar futebol.

  • author avatar
    Roberto Fla 3 meses ago Responder

    Excelente como sempre. Boa referência: “tem que continuar isso, viu…”

    SRN

  • author avatar
    Jose 3 meses ago Responder

    Tem muita gente incomodada com o sucesso financeiro , moderno eficiente de gestão dos carecas .
    Clube moderno , capitalista fodao rico ,
    Precisou de mágica ?
    Não .
    Só injeção de capitalismo , mais mercado menos estado .
    Tai o resultado – dívida diminuiu , receita cresce. Investimento em infra estrutura ,nos jovens da base ,no social .
    Chora arco íris hoje o mengao e referência de gestão . Em breve será o gigante do continente americano . Vamos precisar jogar na Europa daqui a pouco contra nossos pares Chelsea, Manchester , Madri , barça , Bayer juve etc .

  • author avatar
    Joni Rehem 3 meses ago Responder

    A imprensa paulista não me engana também. Esse surto de elogios é sinismo escancarado. Amanhã é dia de desmoralizar os gambás.

    p.s. acompanho os textos do autor desde 2009. Procuro concorrência na arcoirizada, mas até hj não encontrei. O que me faz concluir que até nesse cenário o Flamengo não tem adversário à altura!

    • author avatar
      Dieguito Mariano 3 meses ago Responder

      Sem dúvidas camarada, até nesse cenário somos imbatíves … o time desse site é FODA, ninguém fala de futebol com tanto conteúdo como eles

      Saudações Rubro-Negras ao Grão-mestre Arthurzão e a todos os ladrilheiros que enriquecem o site com os ótimos comentários

  • author avatar
    Leandro Oliveira 3 meses ago Responder

    Bom dia Arthur!
    Ótimo texto, fazia tempo que não lia. Vou ser assíduo novamente.
    SRN

  • author avatar
    Carlos Moraes 3 meses ago Responder

    Todos sabenos que o Arthur é genial, mas … esta mania recente de questionar as arbitragens está mais do que exagerada, sendo que o excelente Bernard deu os devidos esclarecimentos, embora, queira crer, que havia apenas dois jogadores pendurados, excetuando-se o Diego, o que, de resto, é totalmente sem valor.

    No mais, foi, no primeiro tempo, uma belíssima exibição, com destaque para Paquetá, em um primeiro plano, Diego e, por incrível que possa parecer, René, enquanto, na parte final, o Diego Alves tenha sido exuberante.

    Esperançosas, surpreendentemente sou obrigado a admitir,
    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    PS – o nosso Rasiko fez um comentário, mais uma vez, primoroso e olha que sou, como ele sabe bem, quadradão.

  • author avatar
    Nilza 3 meses ago Responder

    “Vitória com sabor de derrota”
    “O pior líder da história”
    “Gol bizarro”

    E segue o líder!

    Texto perfeito, como sempre.
    SRN

  • author avatar
    leonardo sartori 3 meses ago Responder

    É verdade que a Frente Ampla pelo Flamengo (FAF) começou a partir de um encontro após o Flamengo ser “garfado” em um jogo contra o Fluminense, onde a indignação expôs a maneira amadora com que o clube tratava diversos assuntos ligados ao futebol. Esse problema é antigo.

  • author avatar
    Giovanni Mello 3 meses ago Responder

    Artur, seus textos são impecáveis. A propósito, já saíram as datas da semifinal e final do Mundial? Não será fácil o Juan segurar o Vinícius Júnior na final, mas vamos vencer! SRN

  • author avatar
    Rasiko 3 meses ago Responder

    Tem uma história famosa no universo da terapia holística sobre um americano muito rico que recebeu o diagnóstico de câncer terminal e tomou a decisão de, por ser já velho, não se submeter ao convencional tratamento radio/quimioterápico. Em vez disso alugou uma suíte no Waldorf Astoria e mandou vir um caminhão de filmes de comédia tipo Gordo&Magro, Jerry Lewis, etc. Contratou também belíssimas enfermeiras apenas pro gáudio dos seus olhos e deu ordens pra que sua esposa oficial só fosse admitida no recinto mediante requisição prévia e sem nenhuma garantia de atendimento imediato. Pra completar a dolce vita, mandou buscar seus vinhos favoritos, os charutos cubanos preferidos enrolados nas coxas das morenas da ilha e se fartou com os mais deliciosos cardápios dos melhores restaurantes de Nova York.

    Depois de apenas 2 meses da mais pura irresponsabilidade fiscal, voltou a fazer exames e, pra surpresa dos médicos, mas não do paciente, o câncer tinha dado no pé. Zero. Nada. Nem resquício. Não vou entrar no detalhe comprovado, hoje já admitido pela ciência, de que toda doença começa e pode terminar apenas e tão somente na cabeça.

    O que quero ressaltar com esse preambulão é que cada vez que leio um texto do Arthur meu intenso e consciente desejo de abandonar esse mundo de misérias sucessivas é adiado, mesmo contra minha vontade. Dou tantas e tão escandalosas risadas que meu sistema imunológico elimina na raiz as possibilidades de avanço de qualquer tentativa de homicídio por parte dos exércitos de vírus e bactérias que poderiam atacar, principalmente, meus sacrificados pulmões depois de tantos e tantos anos de fumaças variadas e initerruptas. Não por acaso, antes de sair do Brasil, fiz um checkup completo, com grande esperança de receber um veredito desesperançoso. Coisa nenhuma. Nem aqueles pontinhos pretos que soam como sinal de alerta estavam lá. A médica me perguntou se eu tomava alguma providência preventiva, afinal sou fumante de cigarro há 62 anos – tenho 73 – e de maconha completei bodas de ouro há 6 meses, embora pela péssima qualidade reinante, tenha colocado em standby até minha próxima passagem por Amsterdam. Respondi que, por escolha, tinha facilidade pra rir, não só da abundante insanidade coletiva mas especialmente da minha própria.

    Quando li “Renê, como todo cara bonito que nasce em Ipanema e tem 40 milhões de amigos…” a gargalhada foi tão alta e incontrolável que a vizinhança, devido ao adiantado da hora, se manifestou imediatamente – mimimi de país do 1º mundo. E isso que nem li o texto inteiro, o que vou fazer amanhã, depois de retomar o fôlego e em horário de expediente.

    Depois

    • author avatar
      Muhlenberg 3 meses ago Responder

      Que alegria ler seu comentário, Rasiko.Te considero um sábio e invejo sua condição fisica. Mas porque caralhos vc demorou tanto a começar a dar 2?

      • author avatar
        Bruno Melo 3 meses ago Responder

        Sentado no terminal rodoviário de Niterói lendo isso.
        Obrigado.

      • author avatar
        Rasiko 3 meses ago Responder

        Porque eu era 50 anos mais ignorante do que sou agora. Como disse o primo Einstein, duas coisas são infintas: o Universo e a estupidez humana. Ele só esqueceu de acrescentar, a beleza da mulher.

        • author avatar
          Carlos Moraes 3 meses ago Responder

          Ah !, a beleza da mulher !

          Salve a ^nossa^ BB !

  • author avatar
    BERNARD FERNANDES 3 meses ago Responder

    Renê, Diego Alves e Paquetá merecem menção honrosa pela vitória de ontem.

    O que foi o Renê ganhando todos os confrontos decisivos, aparecendo pra interceptar chute dentro da área e participando dos dois gols do jogo? O passe pro Paquetá mostra como o nosso time está ganhando confiança. Foi digno de um meia habilidoso.

    Meia habilidoso é coisa que o Paquetá é. Estava um tanto “putinho” com os níveis de palhaçada que ele apresentou contra o Galo, mas nessa quinta as coisas voltaram ao seu normal: é o melhor jogador de nosso time e do campeonato. Marca, sai jogando, cadencia, chuta de fora da área, dribla, arma jogadas e entra na área pra finalizar, de cabeça (defendida pelo goleiro) e com os pés (no fundo do barbante de forma elegante).

    Diego Alves tá agarrando muito. Que goleiro!

    Fiquei muito contente de ver nossos gols saírem de jogadas tramadas pelo meio.

    Sobre a arbitragem, ao que parece, tínhamos Diego, Paquetá e V Jr pendurados por 2 cartões amarelos. Considerando que nosso próximo jogo é contra o time com maior torcida que já jogou a segunda divisão, tenho pra mim que se o árbitro estivesse mal intencionado, ele amarelaria esse trio.

    Guerrero: Rica Perrone fez um texto que recomendo a leitura pra reflexão

    SRN

  • author avatar
    João Neto 3 meses ago Responder

    O time está em evolução. A molecada deu um novo gás ao elenco. Precisamos de sangue novo. Urgentemente, no ataque. A falta de categoria de nosso centroavante é irritante. Não há domínio de bola. Tabelinha. A Redonda não para no ataque. É lance perdido, sempre.
    O lateral direito do Bahia é um baita jogador. Está emprestado ao Palmeiras. Seria uma ótima opção para o setor direito. Já que o esquerdo, Renê vem subindo de produção. Já era um bom marcador. Está se aprimorando no ataque.
    No mais, o time não compromete. Resta aprimorar o preparo físico para ter uma regularidade no tempo de jogo.
    SRN

  • author avatar
    Cassio 3 meses ago Responder

    Segue o líder

  • author avatar
    ORLANDO SILVA 3 meses ago Responder

    Arthur, como sempre bem colocadas suas palavras. Eu só acrescentaria que o nosso Mengão terá que agir nas prioridades
    de seus laterias, por ocasião da parada da copa, reforçando-os e oferendo ao mercado aqueles jogadores que já sabemos,
    que não vingaram no Fla. Abraços.

Deixe seu comentário