República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

In Baranga We Trust

Por | 1 de abril de 2019
capa45
21 Comments
  • author avatar
    FRED K. CHAGAS pau na moleira dos comunas 3 meses ago Responder

    Esses vascos são esquisitões mesmo.
    Ao invés de se preocuparem com, ali, o ludopédio, vieram com essas (EMBORA JUSTAS) anacrônicas preocupações. Ou então… sim, até parabenizo-os pela preocupação e (quase infantil) esperança de que caiam JÁ os graves regimes venezuelanos, norte coreanos, e tantos africanos e possamos bradar com eles “ditadura nunca mais”.
    Mas creio que esses regimes esquerdopatas não minguem tão cedo. Pena. (na verdade, mas não quero entregar a mariola, tio sam vai colocar aqueles russo pra correr em breve. Anotaí)

    Falam de ditadura, algo tão distante do brasil. Não saco muito de anos 30, mas parece que houve um tal estado novo do getúlio. Era ditadura?

    enfim, quem sabe eles se preocupam com o que vale a pena daqui pra frente. O futebol(zinho) que estão jogando, o futuro do brasil, etc. E que, de fato, sejam rememoradas as coisas boas.

  • author avatar
    Carlos Santos 3 meses ago Responder

    Tenta nao politizar ;)

    • author avatar
      Muhlenberg 3 meses ago Responder

      carlos, pode ler à vontade, se quiser pode criticar também. É tudo grátis. Mas pra me dizer o que vou escrever só pagando. Tá disposto a gastar algum pra só ler o que te agrada no meu texto?

  • author avatar
    eduardo leao salles 3 meses ago Responder

    Sensacional e hilariante esse texto.

  • author avatar
    pedro rocha 3 meses ago Responder

    Última vez que Arthurzera tava inspirado (e produtivo) assim veio o Hexa em 2009 (teve livro publicado e os caramba).
    Auspícios, meus caros! Auspícios.
    Em outra editoria:
    31 de março de 2019 entra pra (vala da) história como o dia em que o governo de covardes atual celebrou o golpe militar de 1964.
    Vergonha pra muitos de nós. Orgulho pra alguns que deveriam ter vergonha.
    No campo esportivo, apenas Bahia, Corinthians e nosso rival Vasco da Gama tiveram a decência de se posicionar (nos respectivos perfis oficiais do Twitter) a favor da democracia (e consequentemente contra a ditadura).
    Nosso grande Flamengo, tão gigante, tem sido apequenado por condutas da atual diretoria. A postura no triste e doloroso caso do incêndio no ninho tem sido de uma pequenez que nos envergonha. O clube que se orgulhava de recordes e recordes nos balancetes, agora vem barganhado (e pode-se mesmo dizer enrolando) com as famílias vitimadas. Essa pequenez também ficou exposta em uma Nota Oficial divulgada hoje (1º de abril) em que a diretoria nega qualquer participação em homenagem a Stuart Angel, remador do clube, eliminado pelo governo militar. A homenagem foi de sócios e torcedores reunidos. O clube de fato não teve participação, mas bastava ficar quieto. A direção parece querer deixar claro: “Não homenageamos e não homenagearíamos”. Homúnculos. Felizmente o Flamengo é infinito. Eles passarão, como passam todos. O Flamengo e nossos heróis ficarão.

    • author avatar
      Mauricio Carrilho 3 meses ago Responder

      Concordo plenamente!
      Parabéns pelo comentário!
      A inspiração do Arthur é um ótimo presságio.

      • author avatar
        Carlos Moraes 3 meses ago Responder

        Também concordo plenamente.

        Aliás, desconhecia tanto a homenagem prestada por uns tantos sócios como a condição de remador nosso do filho da também assassinada Zuzu Angel.

        Vou dizer a verdade. Fiquei irado com o que aconteceu no MaracANÃO. Eles homenagearam, nós nos acovardamos.

        SRN
        FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Xisto Beldroegas 3 meses ago Responder

      Pedro Rocha, não sabia dessa canalhice. Como você frisou, bastaria não se manifestar, mas tirar da reta por escrito, é coisa de canalhas, canalhas, canalhas, bem de acordo com os que andam por aí dizendo que governam o ex-Brasil, transformado em mais um bananão sul-americano. Ou laranjal?

    • author avatar
      Rasiko 2 meses ago Responder

      O Banana era o Banana e suas bananices coerentes. Já esse Landim, ainda não sei em que categoria colocar o atual presidente do Flamengo. Quem disse que o poder corrompe estava certo só até a pag.2. Quem disputa o poder já está corrompido. O que me impressiona é ver que NENHUM jornalista é capaz de botar esse cara contra a parede. Como ex-jornalista, cuja característica era exatamente essa (pressionar os caras), minha indignação não tem limite.

  • author avatar
    VAGNER BSB-SSA 3 meses ago Responder

    A Taça Rio, assim como a Taça Guanabara, não vale absolutamente nada.
    Mas, ganhar do Vice com gol nos acréscimos e ainda esculachar a torcida Tricolor (que descobriu como é torcer para um time grande ontem) não têm preço.

    O mais importante, na minha opinião, é que tivemos algumas boas notícias no jogo de ontem.
    César se mostrou bastante seguro durante o jogo e intimidador nas cobranças de pênalti.
    Thuller voltou a jogar bem depois de se recuperar da contusão sofrida no Sulamericano sub-20.
    Ronaldo mostrando que tem total capacidade de ser titular do time. Não como 2º volante (como querem alguns), mas em sua posição de 1º volante. Isso só não acontecerá nos próximos capítulos porque Cuellar é dono da posição e precisaria cair muito de produção para que houvesse a mínima cogitação de mudança na posição.

    Vitinho voltando a jogar bem e fazendo aquilo que sabe mais: chutar de média e longa distância. Não fossem as excelentes defesas do goleiro viceíno, poderia ter deixado uns dois gols na conta.
    Arrascaeta jogou mal, mas mostrou mais uma vez que tem estrela e que decide jogos. Decidiu mais um… E isso já serve de combustível para ele continuar buscando o seu lugar no time titular (questão de tempo – na minha opinião).

    E a molecada que, cada vez mais, entra nos jogos com “sangue nos olhos”, parte pra cima e resolve a parada.
    Os pontos fracos todo mundo já sabe; não adianta falar muito mais sobre isso.
    Mas, é bom saber que estamos construindo, também, um time reserva com boas possibilidades pra ajudar ao longo da longa jornada que será a disputa da Libertadores, Copa do Brasil e Brasileirão.

    SRN a todos!!

  • author avatar
    Carlos Moraes 3 meses ago Responder

    Ontem, pela manhã, tive um impacto sentimental.
    Revivi o final de maio de 1990, época exata em que conheci Londres, uma das capitais do mundo.

    Abro o site da BBC Football, como sempre faço, e tenho um impacto.
    Dia da final do EFL (England Football League) Trophy, entre Portmouth e Sunderland, dois times que já foram da Primeira Divisão e agora dão duro na Terceira, pois lá o Fluminense não teria a colher de chá de fugir da Série C direto para a A.

    Chegamos pela primeira vez na cinzenta capital inglesa em um domingo, dia de mais um triunfo do Ayrton Senna em Mônaco.
    Não sabíamos e nem desconfiávamos que, na segunda, seria feriado, um daqueles que só existem na Inglaterra. Dia do Comércio ou coisa que o valha.
    Tudo fechado. menos Wembley.
    Também desconhecia até então o sistema de acesso inglês, mesmo antes da Premier League.
    Já então era o mesmo de nossos dias, passados 29 anos.
    Descem três, sobem dois de forma direta, e a terceira vaga é disputada entre os que se seguem, até o sexto colocado, adotando-se o mata-mata.
    O jogo decisivo é em Wembley, sempre com uma presença fabulosa de público.
    Naquele ano jogavam o mesmo Sunderland e um time de uma cidade também com S, não me lembrando o nome, onde jogava, como astro-mór, o grande armador argentino Ardiles.
    O povão das duas cidades envolvidas baixou em Londres, fazendo uma tremenda arruaça, especialmente na Trafalgar Square.
    Bunda de fora era o que mais se via. Lamentavelmente, só de marmanjos.
    À época, ainda não existia o troféu disputado ontem, sendo que o Sunderland, mais uma vez, foi derrotado, desta feita nos pênaltis. após prorrogação, com um gol para cada lado, que se somaram aos dois marcados no tempo normal.

    Público de ontem, para dar inveja.
    Exatamente 85.021 espectadores.
    Vou repetir, por extenso. Oitenta e cinco mil e vinte e uma almas no mais absoluto transe.

    O mais fantástico, pelo menos no longínquo 1990.
    Apesar dos hooligans, que aainda existiam, do esporro total e absoluto, nenhuma briga.

    Às 11 da noite, como sempre, Londres dormia profundamente.
    Vivalma poderia ser vista em suas ruas.
    De dar medo, o silêncio total, até porque não havia condução pública. Tivemos que caminhar a pé, alguns quilômetros, para chegar ao hotel, torcendo para que Sherlock Holmes estivesse de plantão.

    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    PS – um pouco de futebol. Mais uma vez, fui enganado torpemente. Muitos amigos disseram-me – a nossa Seleção sub 17 é supimpa. Tem lá o Reinier, que é craque, já estando vendido para o Real Barcelona por 720 milhões de euros.
    Criei coragem e fui assistir o jogo final da primeira fase, que passou a ser o jogo final nosso da competição.
    Tomamos uma tunda de 3 x 0 da Argentina, que, anteriormente, havia perdido do Uruguai, pelo mesmo placar.
    Seria MAIS UM Mundial em que estaríamos eliminados.
    Só não estamos, pois vai ser disputado em terras tupiniquins.
    Se esse time não melhorar MUITO, vem outro 7 x 1 ^pela^ aí.

  • author avatar
    Jorgete 3 meses ago Responder

    Cara, você se superou. Texto extraordinário. Vou guardar pra reler sempre q possivel.
    SRN

  • author avatar
    Marcos 3 meses ago Responder

    Pelo jeito o staff do RP & A deu um jeito de bancar o pró-labore do Arthur. O homem voltou com sangue nos zóio! clapclapclapclap

  • author avatar
    João Neto 3 meses ago Responder

    O brilhante texto somente teve uma infeliz associação do nome do goleiro reserva com o contumaz entregador, temporariamente, titular.

    Em tempo. O Clube necessita de um goleiro para titularidade. O tempo dirá.

    SRN

  • author avatar
    Carlos Moraes 3 meses ago Responder

    Espetacular !

    Altamente erudita !

    Aprendi a respeito dos tupinambás, fiquei sabendo do Juanito, nosso primeiro mestiço e, de passagem, revivi as cabeçadas de Valido e de Rondinelli (bem mais importantes) que também valeram títulos como, indiretamente, a deste sensacional uruguaio que é o De Arrascaeta.

    Por ora, vou curtir o artigo.
    Relê-lo, até com mail calma.
    Enfim, saborear mais uma peça do nosso Grão Mestre.

    Uma vez superado o êxtase de mais um ^título^ e de mais uma crônica genial, voltarei a escrever minhas bobagens, presas ao futebol propriamente dito.

    Alegres SRN
    FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Ricardo 3 meses ago Responder

    Grande crônica + Belíssima foto

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 3 meses ago Responder

    Arthur, já que você tocou em viagens remotas, que eram movidas a ventos, tomara que esses novos ventos que chegaram nos levem a plagas mais distantes, e tudo indica que os ventos mudaram e vieram pra ficar, o time está lutando até o assim chamado apito final e tem conseguido chegar lá. É isso que eu um rubro-negro redivivo quer, luta e principalmente suor na camisa, mesmo que o vermelho de nosso manto fique esmaecido.

  • author avatar
    Arnaldo Gomes 3 meses ago Responder

    Sábias palavras!

  • author avatar
    Rafael GT 3 meses ago Responder

    Isso aqui não é vasco isso aqui é Flamengoooo!!!!
    Agora terminou a pré-temporada! Bora pra cima de todo mundo Mengão!!!

    • author avatar
      Carlos Moraes 2 meses ago Responder

      Também acho,

      Se não estou enganado, On the Beach

  • author avatar
    Flávio 3 meses ago Responder

    São dois prazeres e duas alegrias.
    Assistir ao Flamengo doutrinando a arcorizada, e depois vir ler a crônica do Mestre Arthur.
    SRN

Deixe seu comentário