República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Foda-se o River, pai.

Por | 21 de maio de 2018
Foda-se o River
35 Comments
  • author avatar
    Chacal 3 meses ago Responder

    Murtinho meu camarada, saudades.

    Não fazia diferença ficar em primeiro ou segundo do grupo, mas como não torcer pro mengão ganhar?
    Eu gostei da possibilidade de enfrentar um freguês brasileiro por causa da Vasco colocação no grupo.

    SRN

  • author avatar
    Rasiko 3 meses ago Responder

    Quando um mero “bom jogador” (na escala Tostão) como Diego faz falta, é porque a coisa tá feia.

    Quando um Paquetá, incensado por uma meia dúzia de boas atuações, se acha o clone do Ronaldinho Gaúcho, é porque seu valor de mercado começa a despencar mais do que o Real.

    Quando um “técnico” isola o Everton Ribeiro na ponta pra marcar lateral, levanta dúvidas sobre sua competência.

    Quando esse mesmo técnico mantém o caneleiro e inútil Dourado até os 40 min do 2º tempo, as dúvidas desaparecem.

    Quando, inexplicavelmente, espera até os últimos 5 min pra fazer mudanças que poderiam ter sido feitas no intervalo, o desalento é total.

    Quando enojado com a falta de atitude e capacidade técnica do time como um todo e, numa fuga da realidade, começo a me lembrar que a final da Champions se aproxima, olho pro Manto Sagrado e a imagem do Messias, uma profunda tristeza invade minha alma e choro como uma criança privada do seu brinquedo favorito.

    PS – E o Fred Luz ainda tem a cara de pau de dizer que essa diretoria não torra dinheiro! O povo, em todas as instâncias, é sempre o bobo da corte.

    • author avatar
      Rasiko 3 meses ago Responder

      O Real Madri deve estar arrependidíssimo de ter torrado 45 milhões de euros no Negueba 2. O cara não passa por ninguém.

    • author avatar
      Carlos Moraes 3 meses ago Responder

      BRILHANTE, meu amigo Rasiko !

      Saudoso de sua presença em Brasília.

      Admiradoras SRN
      FLAMENGO SEMPRE

      • author avatar
        Rasiko 3 meses ago Responder

        E eu saudoso da sua terna presença não importa em que lugar.

        Grande e carinhoso abraço

  • author avatar
    Jose 3 meses ago Responder

    Passei aqui rapidinho pra cornetar escalação – só 1 porém : Jean Lucas logo de cara? Naaaaaoooooo!
    Isso me cheira a Matheus Sávio ….
    De resto tá ok!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Pois passe sempre que quiser. A casa é sua.

  • author avatar

    Acho que o problema aí tem menos a ver com decidir em casa e mais com o fato de que a ampla maioria dos brasileiros se classificará em primeiro – portanto, passar em segundo nos faz ter 60% de chances de encará-los.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Meu caro Vinicius Paiva.

      Antes de qualquer coisa, obrigado pela audiência qualificadíssima. Tão vendo aí, Arnaldo, Arthur, Dunlop, Nivinha e Vivi? Morram de inveja.

      Vinicius, você levantou outra questão capaz de render algumas horas e várias rodadas de cerveja nas boas mesas do ramo. Sim, quase todos os brasileiros terminarão em primeiro lugar em seus grupos, mas enfrentá-los é bom ou ruim?

      Você é muito melhor que eu nisso, mas tenho a impressão de que o Flamengo vai melhor contra os daqui do que contra nuestros hermanos. Talvez não seja um bom exemplo, mas no ano passado tivemos mata-mata contra o Fluminense (ganhamos), contra o Botafogo (ganhamos) e contra o Cruzeiro (empatamos). Batemos de frente com o Independiente, perdemos.

      Além disso, nosso histórico recente apresenta grandes exibições em jogos particularmente embaçados: 1×1 com o Palmeiras no Allianz Parque, em 2016, com um a menos em campo durante todo o segundo tempo; 1×1 com o Corinthians em Itaquera, em 2017, quando todo mundo achava que seria barbada para eles e os massacramos no segundo tempo. Já na Libertadores, pegamos um Independiente Santa Fé pela frente e a injustificável pilha da competição nos transforma num time assustado.

      O que você acha?

      Grande abraço. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Romano 3 meses ago Responder

    Time reserva contra o River na Libertadores = chance de levar goleada acima de 80%.

    Time titular contra o atlético no domingo = chance de levar goleada acima de 80%.

    Agora, se o time reserva é aquele que joga sem o Diego, então melhor usá-lo para o jogo mais importante, porque é melhor que o titular.

    A pergunta de fato relevante é: o que o Flamengo está esperando para contratar um treinador? Está esperando duas derrotas? É assim que essa diretoria ridícula toma decisões?

    Em que nível o futebol do time tem apresentado alguma evolução? Perdemos pra Chapecoense, sofremos contra o pavoroso Emelec e fomos inferiores e quase perdemos para vice e ponte.

    Qual é a justificativa para não estarmos trabalhando para contratar um treinador?

    As substituições do Barbieri, especialmente a do VJ no último jogo, denotam que o rapaz tem capacidade para ser treinador do Flamengo?

    Carille foi embora pro “mundo árabe” pela metade do preço que o Flamengo ofereceu ao Renight para vir jogar futevôlei na praia aqui no Rio.

    Sério, o nível de amadorismo dessa diretoria no futebol beira o inacreditável.

    SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Grande Romano!

      Essa do Diego é boa.

      Olha só, rapaz, tenho pensado numa coisa e queria sua opinião: você não acha que o Diego poderia render melhor se recuasse um pouco, para sair com a bola com mais liberdade, não precisar de tanta velocidade e não ter que dar aquelas paradinhas que tanto têm atrasado nosso time?

      Há vários exemplos, no futebol brasileiro, de caras que mudaram de posição – sobretudo devido à idade ou à diminuição de sua capacidade física – e se deram bem. No Flamengo mesmo, o Leandro quando passou de lateral a central e o Júnior quando saiu da lateral para o meio-campo, ou o Roberto Dinamite no Vasco. Sei lá. É só uma ideia. Como vem jogando, Diego não está funcionando, mas tenho a esperança de que ele ainda pode ajudar.

      Viajei?

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        Romano 3 meses ago Responder

        Grande Murtinho, nunca viaja. Mas acho que Diego não tem o perfil de bom marcador necessário para atuar mais recuado, como um segundo volante. Embora isso possa ser treinado, não o vejo com essa condição a essa altura da carreira. E esse posicionamento mais recuado do Diego, vindo buscar bola, distante do gol, já temos visto nas partidas e tem sido um dos motivos alegados pelos comentaristas pelo seu baixo desempenho.

        Jogando mais próximo à área, tem sido a enceradeira e falta de incisividade de sempre, que tira fluência do nosso jogo e torna o time previsível.

        Everton Ribeiro, mesmo não sendo meia armador de ofício, tem se saído melhor jogando no lugar do Diego.

        Sincera e infelizmente (porque já fui fã do futebol dele), acho que o melhor posicionamento para o Diego seria no banco de reservas, entrando no decorrer dos jogos. Seria um ótimo décimo-segundo homem.

        SRN

  • author avatar
    Lucas Ponte 3 meses ago Responder

    Concordaria que a partida de sábado é mais importante, pois envolve a disputa da liderança do Br18. Mas não entendo essa frescura do time titular não poder jogar 2 vezes por semana ganhando 200k ou mais por mês só pra isso. Pago pra jogar pelada 2 vezes por semana num gramado sintético. É muita indignação com a frutice neste que deve ser o melhor emprego do sexo masculino. Esses exames de saúde que querem padronizar o comportamento, poupar estresse muscular, foram os mesmos que fizeram o Andrade barrar o Pet na Libertadores de 2010, como se condição física por si só definisse jogo. Ainda creio ser um jogo mental que, claro, não foi feito para sedentários, mas não pode ser uma competição de vaso de cristal. Time com menos lesão não leva título. Não se vai pra guerra sem ostentar a melhor arma. Pra cima dos gringos, mulambos.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Fala, Lucas.

      Excelente comentário. Mas acredito que algumas coisas podem ser discutidas.

      1) Não gosto muito dessa monetização do raciocínio. Não é porque o cara ganha 400, 600, 800 mil por mês, que ele não vai se machucar, não vai jogar mal, não vai errar. Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa.

      2) Também acho bastante razoável jogar duas vezes por semana, só que, obviamente, quanto mais você joga, mais chances tem de se contundir. Futebol tem muito choque, muita chegada, muita pancada. Eu não sei exatamente o time que mandamos a campo naquela famigerada eliminação para o Paraná, pela Primeira Liga, no ano passado. Acho que foi um time só de reservas e o único cara que não podia se machucar era o Felipe Vizeu, pois Guerrero estava suspenso, Leandro Damião tinha sido liberado para o Inter e não havia outro centroavante para encarar o Cruzeiro, no primeiro jogo da final da Copa do Brasil. O único cara que se machucou – e se machucou com seriedade – foi o Vizeu, e tivemos de improvisar Paquetá na posição. Também acho que há muito mimimi, mas nem oito, nem oitenta.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Bruno 3 meses ago Responder

    Grande Murtinho, parabéns pelo texto. Um barato, rico de informações e questões pertinentes sobre o torcer e o acontecer dentro e fora dos Campos.

    Saúde e paz,
    SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Opa, Bruno, muito obrigado.

      Apareça sempre.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Ronaldo Segundo 3 meses ago Responder

    Necessário lembrar que uma das razões dos argentinos terem mais títulos da LA é o fato de que antes de 1980 – quando a transmissão do torneio pela tv aberta e ao vivo se tornou mais popular – os hermanos baixavam o sarrafo, intimidavam os árbitros e a organização fingia que não via nada. Curiosamente, bastou a transmissão passar a ser ao vivo para o desempenho dos times argentinos piorar e a dos brasileiros melhorar. Já que o autor demonstrou tamanho cuidado com a pesquisa, talvez tenha interesse de fazer outra a respeito do que estou falando e talvez conclua o mesmo que eu. Não me iludo com a “superioridade” argentina na Libertadores. Do jeito que eles ganhavam, qualquer time vira “Rei de Copas”.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Fala, Ronaldo.

      Então, rapaz, você viu que, lá na parte final do texto, escrevi que “isso certamente não explica tudo”. Claro que não. Nesse ponto, concordo.

      O que eu não sei é se a principal razão para a hegemonia está no fato de que os argentinos baixavam a madeira. Acontecia, sem dúvida, mas não gosto muito desse papo de nos fingirmos de santos enquanto os outros são o mal em pessoa. A gente também bate, e bate bem.

      Atribuo a tal hegemonia ao fato de que, durante muito tempo, a tevê, os clubes e os torcedores brasileiros não davam a menor bola para a Libertadores. Se tivesse um Flamengo x Vasco pelo carioca no domingo e um Flamengo x River pela Libertadores na quarta, e alguém meio chumbado precisasse de descanso, jamais cometeríamos o sacrilégio de poupar no Flamengo x Vasco. Nesse período, os argentinos deslancharam.

      Agora a coisa está mais equilibrada e a tendência, por causa da grana, é que em relativamente pouco tempo o futebol brasileiro assuma a liderança.

      Grande abraço. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Jose 3 meses ago Responder

    Pronto ,
    Perdemos um dos top manager do futebol brasileiro , Rodrigo Caetano , pro inter .
    Eita burrada !
    No momento temos um barriga amador tocando contratações . Sem mais .
    Agora falam em Paulo autuori de baba (coord. Técnico ) do Barbieri .
    Tudo errado !
    Perdemos um manager ,e dos bons , e contratamos um coordenador técnico seja lá o q isso significa .
    Acho q alguém que coordena coisas , pra bater cabeça com o menino – Barbieri .
    Tudo errado no futebol .
    Falta um atacante ? um zagueiro ? Ok
    Agora falta o cérebro que pensa as contratações .
    E vão trazer o autuori de coordenador … nada a ver
    Fica a pergunta … quem seria um bom substituto do Caetano ?

    • author avatar
      Bill Duba 3 meses ago Responder

      Telegraminha ao Jose
      Qualquer pessoa! Caetano é aquele cara media trainning, vi duzentas entrevistas em que ao ser perguntado sobre o que quer que seja, ele conseguiu falar por 5 minutos depois de cada uma sem responder nenhuma delas. Esse é o único predicado a mais que ele tem sobre quem quer que seja. Porque eu queria saber a resposta sobre contratações como Romulo e Geuvanio, o geunio, sobre o porque de manter no elenco um jogador com mercado mas que não pode nunca ser do Flamengo como o Luis Airão, e ao fim saber porque ele nunca foi tomar no meio do olho do cu dele quando renovou por dois anos e 200 mil mensais o contrato do Aráurro!!
      Saudações Rubro Nigérrimas

      • author avatar
        Legolas 3 meses ago Responder

        Jose, esta pergunta é para você, esqueci de especificar. Portanto, vou repeti-la:

        Neste caso, você considera que podemos colocar na conta do presidente Bandeira de Mello o erro de demitir o Caetano?

        Abraços

        SRN

        • author avatar
          Jose 3 meses ago Responder

          Caro Legolas ,
          Não sei não tenho ideia se a culpa e do bandeira !
          Não vem ao caso achar culpado .
          Achei a demissão abrupta só isso .
          Caetano e um bom profissional só isso com erros e acertos .

      • author avatar
        Jose 3 meses ago Responder

        Bill duba,

        Discordo . Claro houveram erros . Acho aliás que Geuvânio e Rômulo nem são os piores exemplos até porque nem foram tão caros . Cirino foi talvez o pior negócio , fla deve 20 milhões nesse indivíduo de nome duvidoso . Temendo perna de pau nunca mostrou a que veio. Pra mim círino e nível Madureira , voltaco, Boa Vista etc …
        Agora houverem grandes acertos do Caetano – listando-
        Diego
        E. Ribeiro
        Guerrero
        Diego Alves
        Cuellar
        Recentemente o Rene talvez …
        Réver
        Rodolfo não é ruim ….

      • author avatar
        Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

        Meu queridíssimo amigo Bill.

        Creio que seu comentário está respondido na resposta que dei ao comentário do José. Só que andei pensando numa coisa.

        Li que o Inter está interessado no Willian Arão, mas que vai aguardar o parecer do Rodrigo Caetano para contratá-lo ou não. Não lembro se Willian Arão foi contratado por Caetano ou se chegou à Gávea antes dele, mas tá tudo errado. Devia ser obrigatório. Saiu do clube, leva todo mundo que trouxe, menos aqueles, claro, que o clube tiver interesse em manter. Neguinho ia pensar algumas vezes antes de gastar o dinheiro dos outros, não?

        Abração. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Legolas 3 meses ago Responder

      Neste caso, você considera que podemos colocar na conta do presidente Bandeira de Mello o erro de demitir o Caetano?

      • author avatar
        Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

        Pois é, Legolas. Alguém errou feio aí. Ou Rodrigo Caetano fez um trabalho lambão, ou o presidente vacilou em demitir o top manager.

        Abração. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Mas então, José, você não acha que o tal cérebro que pensa as contratações também faltava enquanto Rodrigo Caetano esteve lá?

      Já debatemos bastante isso aqui no RP&A: a questão não é ter muito ou pouco dinheiro, a questão é fazer o melhor possível com o dinheiro que se tem. Creio que ficamos longe disso.

      Não tenho nada contra Rodrigo Caetano, não o critico por essa história de falta de cobrança, que acho uma tremenda bobagem (ninguém cobra em público, a não ser que o objetivo seja jogar bosta no ventilador, como fez Ricardo Lomba após a derrota para o Botafogo), e concordo que ele tem bons trabalhos realizados em outros clubes. Só acho que, no Flamengo, ele não foi bem.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Jose 3 meses ago Responder

    E um River que passou nas nossas vidas …

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Fala, José.

      Bela mistura de tango com samba. E que samba!

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Iara Alencar 3 meses ago Responder

    Se perder é crise!!!

    • author avatar
      Carlos Moraes 3 meses ago Responder

      Para o River, não.

      Para o River e Patético, sim.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Que nada, Iara!

      Por morar em São Paulo, assisti à vitória sobre o Emelec pelo canal Fox Sports. Nos comentários antes da partida começar, PVC falou da importância de ganhar, para “transformar o jogo contra o River Plate em amistoso”. Tô com ele.

      Beijo grande. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Carlos Moraes 3 meses ago Responder

    Grande Murtinho,

    sem ser convencido, quero crer que fui o único a escrever aqui no RPA a respeito do nosso jogo contra o River Plate, lá naquele artigo memorável com a foto da fabulosa Martha Argerich.

    Vou admitir que você tem razão.
    Não é tão importante assim passarmos em primeiro no Grupo, já que primeiro no geral é impossível.

    A bem da verdade, pelo menos da ^minha verdade^, nem que fôssemos os primeiros do Grupo 4 teríamos qualquer chance.

    Não há, no triste momento que vive o futebol na nossa parte periférica do continente, qualquer time que se possa dizer – este é BOM, e, consequentemente, o favorito da Libertadores.
    Por outro lado, apesar da fraqueza generalizada, não dá, normalmente, para nós.

    Em homenagem ao citado e fotografado Petkovic, que, sem ser uma Martha, foi, no nosso Flamengo, uma figura marcante e inesquecível, diria que não há um jogador sequer do seu nível, quando nunca perto do que jogava o sérvio, mesmo quando já tinha os seus 37 anos, ocasião do jogo narrado.

    Em assim sendo, valerá a nossa torcida, não só nesta quarta-feira como depois da Copa.
    Vamos torcer que a bolinha nos ajude e que indique o Libertad como adversário.
    Provavelmente, neste caso, mesmo jogando a volta em Assunção, passaremos às quartas.
    Mais torcida, para que, ^masoquisticamente^, possamos sofrer bastante.
    Ganhar que é bom, pelo menos o título, só se acontecer um deslavado milagre.

    Deixemos o River como vencedor do Grupo, tentemos empatar, e preparemo-nos para o Atlético Mineiro, outra missão quase impossível, ainda mais com os sérios desfalques que tivemos.

    Só gostaria de pedir uma coisa aos nossos jogadores.
    Joguem como se fossem torcedores rubro-negros e esqueçam-se de obedecer, em campo, a um jogador que teve qualidades, mas que joga na lembrança do passado e com uma preguiça inenarrável.

    Fraternas SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 meses ago Responder

      Meu querido Carlos Moraes.

      O time não anda passando confiança, é certo, mas esse tal de futebol às vezes nos prega peças para o bem.

      Apesar das nossas sérias e sabidas deficiências em vários setores, temos três caras que andam engolindo a bola – os três citados no trecho final do texto -, além do Cuéllar que também está em boa fase. Sabe-se lá.

      Só uma coisinha, para esclarecer (se entendi direito): o post defende a tese de que nem mesmo chegar em primeiro lugar geral é fundamental, já que apenas duas vezes nas últimas dezessete ele ajudou algum clube a ser campeão.

      É discutível, mas aí está posta a discussão.

      Grande abraço. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        Carlos Moraes 3 meses ago Responder

        De fato, estatísticas são chatérrimas, desculpe-me, mas os números em si não mentem.

        Se não adianta chegar em primeiro geral, caso do Palmeiras este ano, muito menos em primeiro de um modesto Grupo, com apenas 12 pontos, se for o caso.

        Para mim, no entanto, bem pior é não acreditar que tenhamos time para almejar o título, mas, quanto mais longe puder se alcançar, mais o fator sorte (que sempre existe, quer se queira ou não) passa a influenciar.

        Tivemos vários exemplos na própria Libertadores, ou, ^em algum tempo do passado^, seria possível admitir o Once Caldas como o melhor time do continente, isto sem falar nos que bateram na trave, como o modesto São Caetano, sem querer ofender o seu atual reduto.

        Uma Copa é muito diferente de um Campeonato, onde, tenho para mim, é mais fácil o MELHOR sair vencedor.

        Até em Copa do Mundo, meu caro.
        Todo mundo vibrou, só porque haviam nos derrotado e, segundo o ^alucinado^ dos dois ENNES, em razão da arbitragem.
        A verdade, no entanto, é que a Hungria de 1954 era INFINITAMENTE superior à Seleção daquela Alemanha, ainda traumatizada pelos efeitos de uma guerra devastadora.
        Puskas versus Walter, brincadeira para criança.
        Deu no que deu.

        Em assim sendo, torçamos e tenhamos fé nas bolinhas.
        Se der Libertad, um bom passo dado.
        Se ficarmos em primeiro no Grupo, há um caminhão de mediocridades, tipo Cerro Porteño, Atlético Tucuman, o que vier do Grupo 3, assim por diante. Em compensação, há o Boca, para que possamos sentir a IMPORTÃNCIA do sorteio.

        Fé em São Judas Tadeu, que sempre foi um campeão de búrica.

        SRN
        FLAMENGO SEMPRE

Deixe seu comentário