República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

El Fantasma de Obdúlio

Por | 4 de abril de 2019
capamarilyn
25 Comments
  • author avatar
    Rasiko 2 meses ago Responder

    Com relação ao Diego Ribas, concordo com o voto da maioria: tem que vazar.

    Quanto ao Everton Ribeiro, é irregular, mas muito superior, em termos de ser decisivo, ao, como disse uma menina ao lado no meu bar enquanto assistíamos ao jogo: “Bonitinho, mas ordinário”.

    Agora, o Diego Alves?!? Aí eu não entendo. Acho e sempre achei o César um grande goleiro, mesmo na fase em que foi emprestado, amaldiçoado e execrado.

    O problema maior é o Abel Braga. Seguido de perto pela idolatria sem sentido e injustificada do Gabriel Barbosa, jogadorzinho mequetrefe que caiu nas graças da torcida sabe-se lá porque.

    Sou obrigado a admitir que essa diretoria é pior, MUITO PIOR, do que a antecessora e cravo que o Márcio Braga é o maior presidente da centenária história do Flamengo.

    Quanto a atitude dos jogadores, esqueçam. O tempo não vai ser rebobinado pra atender suas expectativas e transformar suas ilusões em realidade. O tempo de Almir Pernambuquinho já vai longe.

    Meu mantra continua o mesmo: o dinheiro deu um ponta-pé e escancarou a porta e a paixão saiu voando pela janela.

    Trata-se de outro esporte, com algumas semelhanças com o futebol dos bons tempos, mas muito pior, muito sem graça e previsível.

    E o torcedor – vamos ser sinceros -, está mais preocupado em aparecer no telão e tirar selfie.

    A realidade dos fatos, mesmo com a possibilidade de olhares diferentes, se impõe.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 meses ago Responder

    Comparação. O Paquetá pouco antes de ir embora disse que não conseguira dormir na noite em que perdeu o célebre gol contra o Palmeiras. Será que alguém teve insônia na derrota com o Peñarol?

  • author avatar
    Carlos Moraes 2 meses ago Responder

    Sempre é bom se fazer Justiça !

    Não se pode deixar de lado, deixar passar em branco, a sapiência do nosso Grão Mestre.
    Quanto recorre à ironia, então, é simplesmente genial.
    De Arrascaeta preso político, SENSACIONAL.
    Além do mais, me vem ainda de aquemênidas, que, desde 1955, quando me preparava para o vestibular, havendo História para o da Nacional (na base do decoreba, é lógico), não ouvia falar.
    Pesquisem.
    Garanto que vale a pena.
    Quando nunca ficarão sabendo onde fica aquela cidade cujo Rei era amigo do nosso grande Manoel Bandeira.

    PALMAS DE PÉ

    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 meses ago Responder

    Da série elucubrações.
    Qualquer timeco que joga contra o Flamengo parece agigantar-se
    Ou o Flamengo é que se apequena?

    • author avatar
      João Neto 2 meses ago Responder

      O Flamengo, não é de Hoje, tem imensa dificuldade de vencer times com bom sistema defensivo. O atual elenco, vai mais além em dificuldades. Falta trabalho mental e físico. Como diria o saudoso Mário Sérgio; “Deixaram o adversário gostar do jogo “. Tanto gostaram que transformaram o elenco em um time de galinhas. Mortas.

      SRN

  • author avatar
    Carlos Moraes 2 meses ago Responder

    Preferi não comentar o jogo propriamente.
    Estava esperando o prometido artigo do Murtinho, dissecando os principais lances.
    Como o FlaxFlu está próximo, vou fazer, quando nunca, um arremedo.

    Não concordo que o time seja fraco.
    Há bons jogadores, facilmente enumeráveis, a saber – Diego Alves, Cuellar, Diego, Everton Ribeiro, Ganigol, Bruno Henrique, sendo que a dupla de área é bem aceitável.
    O grande problema é o técnico, que, entre outros notórios defeitos, não escala, por birra ou perseguição, o melhor de todos (além do mais caro) que é o De Arrascaeta.
    Assim, já entramos ^desfalcados^ em todos os principais jogos.

    Quando os bons jogadores rendem pouco – casos de Cuellar e Everton Ribeiro – ou NADA – casos de Bruno Henrique e Gabigol, este com a situação agravada pela imbcilidade do lance em que foi corretamente expulso – aumentam as nossas dificuldades, que sempre existem pela total nulidade dos dois laterais (aqueles que ^querem^ se iludir com o René, puderam evidenciar a mediocridade absoluta do mesmo),

    Há, ainda, outro ponto fraco, obviamente o Willian Arão, o queridinho do fracassado técnico, embora superior aos outros dois, Pará e René.

    Parece-me que a ausência do De Arrascaeta seja fundamental, pois equilibraria o time, eis que ao Diego (NÃO serve como Capitão, posição ingrata, de resto, até para o País) falta objetividade, enquanto é evidente a instabilidade do Everton Ribeiro, alternando jogos excelentes com outros bem mais fracos, além de, nos primeiros, de momentos de pouca presença, como contra os uruguaios.

    Dito isto, vou aguardar o nosso Jorge Murtinho, fazendo ver que, em pouco mais de um minuto, a Nivinha foi muito feliz nas suas sucintas apreciações. Escutem.

    Aporrinhadas SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Aureo Rocha 2 meses ago Responder

      Carlos Moraes,

      Eu venho afirmando que o maior problema desse time é o meio de campo. De uns três anos para cá, já mudou goleiro, zagueiros, laterais e atacantes, mas o meio de campo Cuellar, Arão e Diego continua o mesmo.

      E esse meio de campo jamais levantou um caneco.

      SRN!

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 meses ago Responder

    Da série frases clichês ditas pelos jogadores e técnicos: “futebol e assim mesmo, faz parte”.
    Interpretação: mas quem faz “parte” do “assim mesmo” são eles, jogadores e técnicos.

  • author avatar
    Ricardo 2 meses ago Responder

    E a gente vai se iludindo, torcendo como eu vou torcer sábado, e quinta então
    Daqui a pouco ganha alguma coisa e volta a sonhar.
    Acha que o Abel vai ter uma visão e o time vai encaixar
    Saudações Rubro Negras

  • author avatar
    GILBERTO T SANTOS 2 meses ago Responder

    Concordo inteiramente com a maioria dos comentários, principalmente do Marcos que, na minha humilde opinião, acerta em cheio no que falta ao Diego, culhão e acrescento que falta a esse time todo, faltam raça, amor e paixão, além disso esse time é fraco, prefiro até o time reserva na maioria das posições, não tem a garra necessária para vestir o Manto Sagrado e são muito ingênuos, desequilibrado mesmo, confundem raça com faltas desclassificantes e muitas reclamações em campo.
    O Abel está se perdendo ao apoiar a panela e vai morrer abraçado com ela, ele é muito teimoso, e me parece um ex-treinador em atividade, lamentável, estamos tendo mais do mesmo em 2019…
    Mais cheirinho á vista, puta que pariu!!!
    SRN!!!

  • author avatar
    Marcio Erthal 2 meses ago Responder

    Valeu Arthur, ótimo como sempre!

    De tudo o que vi no jogo e li aí em cima, é o seguinte:

    Ontem havia um time que sabia o que tinha que fazer e fez, com garra; e outro que não sabia e se perdeu completamente!

    Traduzindo: um time treinado, o outro, não!

  • author avatar
    Leonardo Da Vinci Sartori Filho 2 meses ago Responder

    Não concordo com nada do que o Arthur postou hoje. Mas tudo bem, cada um fica puto da vida à sua forma.
    Estou cagando para as declarações do Diego, do Cuellar ou do Babão, o que eu vi foi que o Diego foi um dos melhores em campo em um dia em que Bruno Henrique esteve mal, Everton Ribeiro sem inspiração, Gabigol afobado (queimar o gol com impedimento é ansiedade em excesso).
    Essa questão do elenco ser caro não resolve o problema. Diminui a margem de erro, a gente contrata, contrata, e os mais caros tendem a render frutos, mas não é garantia de nada. Gastar menos seria inútil, desnecessário. Não sei o porque de mencionarmos isso.
    Já conseguimos êxitos com elencos menos qualificados, com jogadores menos “valiosos”, o que não significa nada.
    O Cuellar falhou no lance do gol. Uma falha individual. E daí? Ele, obviamente, tem crédito, mas ontem ficou sobrecarregado com o combate ao jogo do Peñarol.
    Eu não entendo de futebol, como muitos dizem, mas tenho a intuição que o Flamengo é perfeitamente capaz de ganhar dos uruguaios em Montevidéu. E não concordo que o empate ontem seria um bom resultado, acho bom o time ficar pressionado mesmo para se classificar, e em primeiro lugar, porque senão vai penar nas outras fases.
    Paz a todos, e Saudações Rubronegras

    • author avatar
      Marco Gama 2 meses ago Responder

      Concordo plenamente, Leonardo, e adiciono: não há um motivo único para tantos vexames seguidos na Liberta, ano após ano, a mesma história, o mesmo enredo.

      No entanto, de uma coisa eu tenho certeza: temos a melhor zaga do Brasil, um bom lateral (Renê), dois bons goleiros (prefiro o César), um ótimo volante (Cuellar) e outros promissores (Ronaldo e um tal de Daniel Cabral do sub-17), e jogadores habilidosos do meio pra frente (ou Diego, ER, Arrascaeta, Vitinho, etc., não sabem jogar bola?). O que falta é um pouco mais de seriedade, concentração e, principalmente, o tal jogo coletivo e a organização que fazem toda a diferença no futebol. Vejam o time do Atlético-PR jogando, é de encher os olhos.

      Bruno Henrique e Pará erraram tudo ontem, e ficaram em campo até o final. Arão tava bem (inacreditável) e foi sacado. Arrascaeta não entrou, mas o Uribe sim, mesmo esse último tendo jogado pessimamente no último jogo.

      Como eu queria ver o Rueda ou o Cuca treinando esse time…

      SRN.

  • author avatar
    BERNARD FERNANDES 2 meses ago Responder

    Percebe-se que a coisa não era tão ruim na forma que estava (empate) quando se toma o gol. Mas esse sentimento de torcedor não poderia ter contaminado o Abel, que está lá para pensar, não torcer ou deixar a emoção cegar.

    Ontem, vivemos daqueles jogos que não é possível esmiuçar os erros porque tudo pareceu estar errado. Porém, de tudo que rolou de ruim ontem, o que me gera mais reflexão foi ver o Flamengo terminar o jogo com uma substituição por fazer e o Arrascaeta ter retornado ao vestiário com o colete de reserva. Abel dispensou mais uma vez o investimento de 60 mi, que jogo passado resolveu a nosso favor a bagaça contra o Vasco.

    SRN

  • author avatar
    Carlos Moraes 2 meses ago Responder

    O artigo, no seu todo, é muito bom, mas permito-me discordar de UM ponto.

    Fui muito mal acostumado (não tolero aquele comercial com a topa-tudo Veveta).
    Ainda imberbe, vi, apesar da derrota exatamente para El Gran Capitan, uma excelente seleção brasileira.
    Entre 1950 e 1958, um espetacular time rubro-negro tri-campeão, quase tão bom quanto o dos anos 80.
    A fabulosa conquista de 1958, precedida pela Seleção Húngara do Armando Nogueira,que impressionou o mundo e, já expulsa de seu país, o Maracanã exatamente contra o Flamengo tri-campeão.
    Aí vieram os alemães, mas, bem melhor do que eles, a genialidade de Johan Cruyff.

    Isto tudo, sem falar do ^primus inter pares^, o fenomenal, Incomparável, inexcedível, etc etc PELÉ.

    Por todos estes motivos, além de muitos outros, da minha parte SEMPRE gostei do futebol BEM JOGADO.

    É essencial.

    Parás, Renés, Rodineis, para ficar nos rubro-negros, são verdadeiras excrecências.
    Aí, sim, entra a torcida flamenguista. Aceitamos tais absurdos, em nome do amor pelo Flamengo, que é diferente do amor pelo futebol, sem, no entanto, renunciar ao último.

    Resumindo – AMO o FLAMENGO, como AMO também o FUTEBOL dos grandes craques.
    Jamais esquecerei as nossas grandes conquistas, da mesma forma que jamais esquecerei de Pelé, Garrincha, Zico, Didi, Dida e tantos, tantos outros, vestindo ou não a camisa vermelha e preta.

    Aporrinhadas SRN
    FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Fred Araujo 2 meses ago Responder

    Acho que o Vitinho entrou no lugar do Arão antes da expulsão

    • author avatar
      Carlos Moraes 2 meses ago Responder

      Certo, tanto que ensaiou-se um ataque com Gabigol pela direita, Buno Henique pelo meio e o próprio Vitinho pela esquerda.

      Por sinal, três jogadores HORROROSOS na noite de ontem.
      Nunca vi dar certo esses negócios imbecis de Bonde, Cheirinho e agora Nego Ney.

      • author avatar
        João Neto 2 meses ago Responder

        Todos de extremo mau gosto.

    • author avatar
      Renato Francisquini 2 meses ago Responder

      Exato! Concordo em gênero, número e grau com a avaliação do Muhlenberg, mas, de fato, o Vitinho entrou antes da burríssima expulsão do Gabi(perde)gol.

  • author avatar
    Dieguito Maradona 2 meses ago Responder

    Saudações a todos os rubro-negros da República Paz e Amor!

    Após mais uma derrota doída e atuação juvenil contra um dos gigantes sulamericanos, me pergunto quando (ou se algum dia) seremos um clube que traga respeito/temor dos grandes adversários continentais e mesmo nacionais.
    Um clube que possua uma identidade forte e visão estratégica, para enxergar cada competição de maneira holística (um empate ontem pode se mostrar essencial na última rodada do grupo D por exemplo) ou grande jogo com uma batalha a ser conquistada no campo (entendendo todos os elementos de bastidores e psicológicos que influenciam no resultado final).
    Um clube que faça valer o mando de campo, que consiga converter a quantidade da torcida em qualidade, que saiba criar uma atmosfera intimidante ao adversário dentro de casa, que recrie e fortaleça a cada jogo/decisão no maracanã a mística rubro-negra de modo a inundar o subconsciente dos torcedores e atletas rivais de temor de terem que nos enfrentar nos nossos domínios (tal qual a mística do boca em La bombonera, e dos demais grandes times argentinos e uruguaios).
    Um clube que saiba escolher jogadores de fibra e com mentalidade vencedora (que percam sem nunca amarelar). Que saiba formar jogadores apaixonados pela nossa camisa e que, principalmente, conheçam as nossas histórias de glória e nossos ídolos para que na hora do aperto possam ivocá-los, e que tenham como objetivo principal não uma transferência para a Europa, mas sim títulos e idolatria.

    O caminho para tudo isso acontecer é complexo, árduo e de longo prazo, mas creio que é essencial para deixarmos de ser esse time fanfarrão, esse gigante molenga, e nos tornemos um fantasma que assombra toda américa do sul. Está mais do que provado que só dinheiro não trás felicidade (taças), e é preciso esse algo mais que ainda não temos para conquistar as copas continentais, uma vez que sempre teremos em nosso caminho Peñarois, Independientes, San Lorenzos, Américas do México, Boca Jrs, Olimpias e outros times de camisas pesadíssimas.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 meses ago Responder

    Arthur, perfeita sua análise. Só acrescentaria que seria de bom alvitre(epa!) avisar a essas novas divas que entraram no time a peso de ouro pra continuar tudo a mesma merda, que entra ano e sai ano, continua sempre a mesma…merda, que se eles têm que jogar, o adversário também, dito essa obviedade que só os narcisos hipnotizados com seus umbigos não percebem, conclui-se: não adianta ter ataques de pelancas quando o inimigo não colocar tapete vermelho para Gabriel não sei das contas et caterva desfilarem impolutos no outro tapete, o verde do Maraca, tomem vergonha putas velhas e vão sentar com suas pelancas numa boa brachola antes que eu me esqueça.

  • author avatar
    Aureo Rocha 2 meses ago Responder

    Sem muito tempo para comentar, vou resumir: jamais confiei nesse elenco, nesse time, nesse técnico e muito menos nessa covarde diretoria.

    O banco patrocinador começou mal. Dinheiro maldito.

    Paguem as indenizações às famílias dos meninos mortos no incêndio do Ninho do Urubu.

    Sorte minha que agora durmo tranquilamente após uma derrota como a de ontem. Essa diretoria conseguiu isso.

    SRN!

  • author avatar
    Marcos 2 meses ago Responder

    “Mas sua altíssima tolerância à derrota é uma afronta ao rubro-negrismo raiz. ”

    Me lembrei na hora da crônica do Murtinho ontem, alertando justamente para essa personalidade meio juvenil do Diego. Parece que ele é incapaz de lidar com a adversidade de uma maneira que não seja contemplativa ou empurrando com a barriga.
    Em resumo, falta-lhe culhão, esse artigo cada vez mais raro no mercado e até mal visto por alguns.
    Não é, como disse mestre Arthur, o único culpado, mas… liderança é que nem gripe, contagia quem tá perto.
    And the movie repeat itself again….

  • author avatar
    João Neto 2 meses ago Responder

    É com imensa satisfação o reconhecimento, de sua parte, da inoperância desse pseudo ídolo que alguns ainda insistem em venerar. Ainda imagino o dia em que o TRIO DESGRAÇA ( DIEGO ALVES, DIEGO RIBAS e EVERTON RIBEIRO), debandem para outras plagas ou para o quinto dos infernos. Com esse trio, não ganharemos nada.

    Tal qual o jogo contra o Fluminense na semifinal na Taça Guanabara, o time foi covardemente dominado e merecidamente derrotado. O Penarol transformou o Flamengo em um time de Galinhas.

    Esperava -se que essa frágil Diretoria expurga-se esses embusteiros do elenco. O que se viu foi o perdão e, para piorar, a contratação de um treinador decadente que com o seu estilo patriarcal, ” ganhou o vestiário ” mantendo na titularidade os líderes da revolta. Ai que saudades do Dorival…

    Se é para jogar com essa maledicência, é preferível escalar os meninos da base. Pelo menos, perderemos com dignidade.

    SRN

  • author avatar
    Valter Meksenis Silvestre 2 meses ago Responder

    Oi Arthur, infelizmente o Flamengo é juvenil em Libertadores. Campeonato em que coleciona micos e fracassos . Ah mas temos um título! Sim, com o melhor time da nossa história, que ganhou tudo, o nosso ponto fora da curva. O Flamengo vem participando ano após ano da Liberta, mas não mostra amadurecimento com o passar dos anos. Mais uma vez vimos uma arrogância infundada do clube achando que encaminharia a classificação com facilidade e deu no que deu. Grupo embolado e cheirinho de desclassificação na última rodada. Acho bom o clube abrir o olho e não ficar entrando na onda de poupar time em rodadas que podem parecer inofensivas , mas que na verdade são decisivas do Brasileirão (primeira rodada já é contra o Cruzeiro). Com o gol de ontem, acabou a folga. Agora é cuidar pra não acabar o amor.

Deixe seu comentário