República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Como já dizia Galileu.

Por | 3 de outubro de 2019
Galileu 1Form
31 Comments
  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 semanas ago Responder

    Pelo visto as discussões continuam por aqui, como disse aquele patriarca da piada judaica: “sabe que vocês têm razão”. Agora isso tudo foi motivado só por um relevante detalhe, a atuação soberba, irretocável do Flamengo no primeiro tempo, se esse domínio total que há muito não se vê entre os times grandes, o resultado de 1×1 seria normalíssimo, e é nele que devemos nos basear para o segundo jogo, e torcer para que o Flamengo faça um exibição mínima ( e sorte também) que garanta a classificação.E é isso que interessa. Chorar o leite derramado, deixa isso pra mim que sou um especialista.

  • author avatar
    The Trooper 2 semanas ago Responder

    O VAR é justo, necessário e benéfico. Só está sendo mal utilizado (aqui). Com o tempo, vai se ajustar. Não faz sentido continuar sendo o único esporte do planeta que vira as costas para a tecnologia. Que bom.

    Quanto ao jogo, a superioridade foi tão grande que me sinto como o Barcelona, quando empata aqueles jogos de ida de oitava-de-final contra o Shakhtar, na Ucrânia, e na volta mete 8 x 1 no Camp Nou.

    Gelo no sangue, falta pouco para o bi e, se souber planejar direitinho, o hepta.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 semanas ago Responder

    Eu não tenho nada contra o VAR, mais uma geringonça tecnológica que surge que espero com o correr do tempo funcione, nunca esquecer que por trás da maquineta está o Homem na sua forma mais falível, quando impessoal, quer dizer, se um juiz já é ruim quanto mais um coletivo deles ( matei aula nesse dia, não sei o coletivo juiz) Por enquanto o que eu vejo é que o principal instrumento da famigerada parafernália é uma fita métrica especializada em mensurar dedões do pé e quiças unhas não aparadas, sugere-se que os marmanjos agora se transformem em Cinderelas e tentem encaixar seus quarenta bico largo em chuteirinhas de tamanho 37 daí pra baixo, nem precisam ser de cristal, os novos pisantes. Agora eu implico mesmo é com essa tal lei do impedimento, já vociferei aqui várias vezes, o renomado jurista que o genial Lima Barreto criou, o verdadeiro Beldroegas, meu xará, tão eu mesmo que me confundo com ele, deve estar dando pulos em sua ( nossa) tumba, tamanha as sandices dessa lei em tela. Exemplo: o sujeito está na chamada posição de impedimento, ou seja, está mais próximo a linha de fundo do que todos os oponentes menos o goleiro, eis que ele se arrepende da transgressão e se corrige, volta para uma posição legal, até dando certa vantagem ao adversário, pois coloca vários adversários a sua frente, aí ele é punido, quer dizer, o cara se arrepende da contravenção, réu confesso e é punido assim mesmo. Sem falar aquela outra, aí já favorecendo o infrator, que está numa tremenda banheira de botar rouco o Mário Vianna com dos ennes, e um descuidado pezinho do defensor lá na casa do cacete que mesmo que usasse a velocidade supersônica do Super-Homem não alcançaria dá condição ao infrator. Durma-se com um barulho desses. Os velhinhos da Board, como dizia o Saldanha, já foram mais sensíveis.

    • author avatar
      Aureo Rocha 2 semanas ago Responder

      Xisto Beldroegas,
      excelentes as suas ponderações.

      Sei que vou me tornar enfadonho, mas vou repeti aqui parte da minha postagem colocada no artigo do Arthur Muhlenberg, relativamente à essa questão do VAR:

      Se no tênis e no vôlei, como exemplos, o VAR funciona com perfeição, por que não no futebol? Creio que a resposta encontra-se na dinâmica na qual se pratica o futebol. Muito mais complexa do que a dos outros dois esportes citados. Por enquanto, tudo ainda é muito novo, mas com o tempo o aperfeiçoamento haverá de acontecer.

      Eu andei lendo não só aqui no RP&A, mas também em redes sociais, que no primeiro gol anulado por impedimento, o Gabigol tinha um pentelho do pé na frente do Konemam. Bem, eu coloquei o lance em pausa na televisão e fotografei. E por mais que eu tenha me esforçado, não consegui ver essa diferença. Ao contrário, eu vejo o calcanhar do Konemam mais próximo da linha da grande área.

      Analisando a jogada com bastante atenção, verifiquei de cara que a tal linha azul é demasiadamente larga, impedindo dessa forma uma visão correta da posição dos pés dos jogadores. Portanto, o ideal será trocar essa grossa para uma linha mais fina possível.

      Agora, quem afirma que o Gabigol estava em posição de impedimento neste lance, eu gostaria que apresentassem as razões para tal conclusão, porque eu não vi.

      Mas, pode até ser que os profissionais do VAR tenham recursos que apresentem visões milimétricas do lance, que nós não possuímos. Porém, esse é um dos enigmas do VAR. Por que tudo que se decide no VAR é guardado a sete chaves? As filmagens do lances e a conversas entre VAR e árbitro não podem correr em segredo de justiça. Têm que se tornar públicas, no momento da paralisação da partida, até para o público presente ao estádio.

      S.R.N.

  • author avatar
    Ricardo 2 semanas ago Responder

    E como já dizia Galileu isso é que é amor…
    A torcida do Flamengo vive um momento tão iluminado quanto o do time. A diferença é que o elenco da magnética é mais encorpado.
    Nem dá pra imaginar o tamanho da festa dia 23.
    E deixando torcedores de outros times alucinados, invocando todo o mal para o Mengão. Tem neguinho comemorando contusão de nossos jogadores!
    Sorte a nossa que temos o corpo fechado.
    Paz e amor, Murtinho!

  • author avatar
    Carlos Moraes 2 semanas ago Responder

    Escrevi um comentário que não foi publicado e saiu do meu próprio computador.
    Dizia que achava estupendo o artigo do Murtinho,com o qual concordava em 100%
    Acrescentava apenas um dado – os primeiros 45 minutos representaram, na minha opinião, o que de melhor foi visto no futebol brasileiro nos últimos cinco anos, quando nunca.
    Um extraordinário show de bola, apenas prejudicado pelo VAR, não pelos gols anulados, mas pela paralisação excessiva, beneficiando, em muito, o time dominado.

    Cooncordei com o Murtinho, pois entendii que os gols, desde que aprovada a utilização do VAR, a respeito do que tenho as minhas dúvidas, foram todos os três bem anulados.

    No primeiro, falta desnecessária mas extremamente evidente do Gabriel, derrubando o \Kannemann(nunca poderia ser considerado um choque) sendo que impossível avaliar se houve prejuízo ou não para a ação defensiva do zagueiro. O velho e cansado princípio do ^in dubio …^ elucida a questão.

    No segundo, algo que tem se repetido habitualmente. Desde a semifinal do Mundial Feminino, quando anulado o que seria o gol de empate da Inglaterra, já no fimzinho da partida contra as campeão americanas, afirmei- se a centroavante fosse depilada não haveria o impedimento,Um pentelho acabou por provocar a derrota inglesa.
    A cena repetiu-se inúmeras vezes, inclusive no último domingo, em jogo do Vasco.
    Áí entra a indagação -vale a Épena tamanho preciosismo ? É justo ? Tenho muitas dúvidas, mas a interpretação vem sendo adotada em todo o mundo.

    No terceiro, nada a discutir. Aí sim, impedimento claríssimo.

    No gol gaúcho, perfeitas as observações contidas no artigo.Vi repetidas vezes o lance. Neste sim, houve um choque entre os dois jogadores. A bola estava com o Maicon, que nela tocara desajeitadamente, quando oo Filipe Luís resolveu rouba-la. Tocou na bola e em seguida, na ação normal do gremista, foi alcançado e caiu. A grande indagação|: a bola sobrou para quem ? Para o nosso Everton ||Ribeiro que, sem se incomodar com o companheiro caído, resolveu, inacreditavelmente, dar sequência à jogada, para logo perder a bola, iniciando-se o contrataque fulminante.
    O badalado árbitro argentino chama-se Pitana. Apesar de parecido, não é Pitonisa. Não poderia prever qual a consequência da jogada.
    O maior culpado foi mesmo o Everton Luís, que, ouso palpitar, lembroou-se do esporro que tomara,no jogo anterior, dopróprio Filipe Luís eresolveu não parar o lance.

    O empate foi uma tremenda injustiça, mas, sempre disse o Leovigildo, futebol e justiça não dão samba.

    De qualquer maneira, PARABÉNS ao Mister.
    Trransformou o nosso Flamengo em um verdadeiro time de futebol, da melhor categoria.
    Não temos rival no Brasil.
    Ouso afirmar, com muita antecedência. Se ArrascaetaeGerson, nossos dois craques maiores (o goleiro também é imprescindível) não se machucarem, seremos HEPTA e finalistas da Libertadores.
    A respeito do River Plate e do Liverpool, oo papo é diferente.
    Teremos enormes chances, mas todo cuidado é pouco.

    Entusiasmadas SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Meu amigo Carlos Moraes.

      Seu entusiasmo é plenamente justificado.

      Os primeiros 45 minutos, a despeito do zero a zero, foram avassaladores. Um dos momentos do post de que mais gosto, modéstia à parte, é o que fala que os torcedores do Grêmio só conseguiram vibrar – inclusive aquelas lindas e irritantes meninas, que ficam fazendo pra câmera cafonérrimos coraçõezinhos com as mãos – quando o VAR lhes salvou a pele. Levando em conta a qualidade do adversário e o fato de a partida acontecer na casa deles, é bastante possível que tenha sido mesmo a melhor apresentação de um time de futebol brasileiro nos últimos cinco anos. Pena não termos liquidado a fatura.

      Everton Ribeiro foi, no mínimo, ingênuo. E esse é um dos meus receios: não se ganha a Libertadores, ou qualquer decisão no mundo, com ingenuidade. Não é preciso dar pontapé, não é preciso querer se mostrar mais homem que ninguém, é preciso jogar bola. Mas não dá pra ser bobinho. E o pior é que, na minha avaliação, ele fez um partidaço.

      O que jogam Arrascaeta e Gerson não está no gibi. Outro dia teve um jogo, não me lembro contra quem, que o Ricardinho estava comentando e disse mais ou menos assim: “Tá parecendo que o Flamengo tem 25 jogadores em campo.” Completo eu: desses 25, pelo menos 10 deles eram o Gerson.

      Apenas uma ressalva ao seu comentário: além do River e do Liverpool, antes disso – como bem lembrou o Aureo Rocha – é importante ter cuidado com o Grêmio. Somos melhores, mas isso muitas vezes não quer dizer nada. E o time deles, embora abaixo do nosso, também é bom.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

    • author avatar
      Aureo Rocha 2 semanas ago Responder

      Meu caro Carlos Moraes,
      eu insisto em afirmar que TODAS as imagens disponíveis tanto nas redes sociais, quanta nas transmissão de televisão, não oferecem a mínima credibilidade para assegurar que o Gabigol estava impedido.

      Veja por exemplo, o vídeo abaixo. Pare aos 8m37s, e observe os pés do jogadores. Não os troncos. Quem poderá afiançar por essa imagem que o Gabigol estava em posição de impedimento.

      Então, eu lhe pergunto: qual a imagem que você dispõe para lhe dar tanta garantia do impedimento? Ou você está embarcando na onda dos comentaristas de arbitragens?

      SRN!

      • author avatar
        Carlos Moraes 2 semanas ago Responder

        Eu também não vi impedimento algum, mas não consigo acreditar que os felas se reunam, analisem trocentas vezes as imagens e concluam equivocadamente.

        É demais, mesmo para o incrível espirito de ^sud americanidad^, como dizia, lá pela metade do Sec. XX, o Silveira Sampaio.

        Ingênuas SRN
        FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Rasiko 2 semanas ago Responder

      Carlos, o Mauro Cezar e o Zico apontam melhor do que nós como e quando o VAR deve ser utilizado e nos gols do ERibeiro e o 1º do Gabriel ficou claro pra mim que sua interferência foi prejudicial ao Flamengo. Explico: o canal do Paparazzo Rubro-Negro mostra que o Kaneman empurra o Gabriel e este revida, dando margem ao zagueiro a fazer a cena. Acontece que na edição do VAR o empurrão do Gabriel é no chamado PA (Plano Americano, de close) e no empurrão do Kaneman ele, VAR, pede pra abrir a tela, dificultando ver o empurrão do Kaneman. Erro humano? Sim, mas demonstra a falha humana e possíveis conspirações para que o menos capacitado dos times brasileiros seja o finalista. Como disse o Zico, é um absurdo que um juiz brasileiro tenha sido escalado pro confronto River x Boca e vice-versa Flamengo x Grêmio. Porque não um árbitro de outro país que não estivesse envolvido?

      Já no gol do Gabriel é simplesmente impossível afirmar o impedimento com a segurança que os juízes do VAR afirmaram. O traçado mostra que ambos os pés estão na mesma linha e na mesma linha não há impedimento. No entanto eles foram categóricos. Não só eu mas a maioria dos comentaristas (TV/Internet) levantou a poeira da dúvida com tendência a negar o impedimento e o prejuízo ao Flamengo. Numa situação dessas, em que não é possível detectar se um joanete a mais ou a menos vai fazer a diferença, é um absurdo que o futebol seja prejudicado. Sim, porque no caso é o futebol e não só o Flamengo é prejudicado, parando a todo momento, esfriando o jogo e beneficiando o time com menos volume. Até mesmo os jornais argentinos chamaram de “verguenza” a atuação dos seus compatriotas. A interferência do VAR tem que ser limitada a lances onde o árbitro de campo tenha dúvidas e peça o auxílio. E só. No 2º gol do Gabriel, por exemplo, ela se justifica no sentido literal – justiça foi feita. Nas duas outras, não. O que não absolve o Gabriel das suas atitudes intempestivas que prejudicam o time, como prejudicaram.

      Se sou a favor dp VAR? Depende. O que não pode acontecer é o futebol perder sua graça do imprevisível, inusitado e imponderável. Desse jeito temo por um futuro em que ele vai ser programado de uma maneira em que o elemento humano, falho por natureza, não terá vez e assim o lúdico, que é o que nos encanta, vai pra pikas.

      srn p&a

      • author avatar
        Carlos Moraes 2 semanas ago Responder

        Grande amigo Rasiko, que ainda espero rever este ano, se possível na final da Libertadores.

        Concordo com você, sobretudo no último parágrafo.
        Perfeita a sua colocação – ^… o lúdico, que é o que nos encanta, vai pra pikas^.

        SRN
        FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Aureo Rocha 2 semanas ago Responder

    Caro Murtinho, como sempre, excelentes o seu artigo e o resumão.

    Por incrível que possa parecer, eu creio que o gol do Grêmio, que tirou proveito de uma circunstância de modo pouco escrupuloso, acabou sendo benéfico para o Flamengo.
    Quantas e quantas vezes trouxemos para o Maracanã larga vantagem para passar de fase em competição tipo mata-mata, e amargamos a desclassificação. A que ainda não me deixa dormir: aquela partida contra o América do México. Metemos 4 x 2 lá. Parecia assegurada a classificação, e o time não era tão fraco assim:

    Bruno, Léo Moura, Leonardo, Ronaldo Angelim e Juan; Jaílton (Renato Augusto, 34’/2ºT), Kleberson (Obina, intervalo), Ibson e Toró; Marcinho e Souza (Diego Tardelli, 10/2ºT). Técnico: Joel Santana.

    Sei lá, ás vezes a facilidade passa a dormir abraçada com a negligência ou com a autossuficiência.

    Com o placar final do jogo de ontem, creio que o time tenha aprendido que, principalmente em jogo de Libertadores, um simples cochilo pode se transformar em um passo para o cadafalso.
    Com certeza, o time irá jogar no dia 23 com a atenção redobrada desde o apito inicial ao apito final da partida, o que poderia não acontecer se tivéssemos vencido a partida por 1 x 0.

    Quanto à ausência do Arrascaeta, como bem lembrado pelo Rasiko, agora vamos ver se o JJ é mesmo o estrategista que dele se espera. No meu modesto entendimento, a solução lógica é colocar o Reinier na posição do Arrascaeta. Assim, não se mexe na estrutura do time. E o o garoto joga muito. Ah! Mas ele é muito jovem, apenas 17 anos, dirão. Esqueçam este detalhe, não é de hoje que garotos brilham precocemente nos times principais. Na atualidade, Ansu Fati é um deles. Aos 16 anos já vem jogando, acreditem, no time principal do Barcelona do Messi.

    Colocar os irregulares Berrio ou Vitinho no lugar do uruguaio, mexendo em toda a estrutura do time, para mim, será medida totalmente descabida.

    Outro detalhe: há de se dar um descanso para todos os jogadores titulares, sem exceção. O time irá disputar 5 jogos antes da partida contra o Grêmio.

    06/10 – Chapecoense (f)
    10/10 – Atlético – MG (c)
    13/10 – Athletico – PR (f)
    16/10 – Fortaleza (f)
    20/10 – Fluminense (c)

    e ninguém irá aguentar uma maratona dessas, sem riscos de sérias contusões. Como já dizia minha bisavó: “água demais mata a planta.”

    S. R. N.

    Obs.: alguém tem notícias do nosso querido Carlos Moraes, que anda sumido aqui do RP&A?

    • author avatar
      Carlos Moraes 2 semanas ago Responder

      Agradeço a preocupação.

      Flamengo sempre

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Aureo.

      Mas você também tava sumido, uai. Bom te ver de volta.

      Belo argumento: ganhar é sempre melhor que empatar, ganhar de três é sempre melhor que ganhar de dois, mas o futebol é um trem tão doido que às vezes a zona de conforto nos derruba. O que você fala faz sentido sim. A única coisa é que fizemos um jogo para ganhar, no mínimo, por dois gols de diferença. E aí, apesar da triste lembrança do América do México (quem é esse zagueiro central, Leonardo?), estaria pelada a coruja.

      Reinier, mesmo com a pouca idade, talvez seja nossa melhor alternativa, mas ele precisa ser lançado nesses jogos aí que você citou. Só não sei como é que está essa história de convocação, se ele estará disponível na data. Seria o fim do mundo não estar, mas em se tratando de CBF e futebol brasileiro, nada surpreende.

      Nosso grande mestre Carlos Moraes está bem aí acima de você. No bom sentido, claro.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        Rasiko 2 semanas ago Responder

        Reinier não vai estar disponível no dia 23, só nas datas fifa e depois se incorpora ao grupo da selecinha.

  • author avatar
    Rasiko 2 semanas ago Responder

    O Renato Gaúcho deve ter ido pra casa sem qualquer dúvida de quem joga o melhor futebol do Brasil. O Flamengo amassou o Grêmio no 1º tempo e não deixou que o adversário jogasse; no 2º tempo houve mais equilíbrio, com o Grêmio ameaçando duas vezes com defesas espetaculares do Diego Alves. No gol do Grêmio nossa defesa falhou clamorosamente não cobrindo o espaço do Filipe Luís que tinha se machucado no campo de ataque e não houve ninguém pra isolar a bola ou parar a jogada com falta. Além de Marí e Rodrigo Caio terem deixado o minúsculo Pepê entrar sozinho e concluir o passe do Cebolinha, no único lance que levou perigo junto com a finalização que terminou com a defesaça do DAlves. Com exceção desses 2 lances, o jogador mais perigoso do Grêmio foi engolido pelo brilhante esquema do JJ.

    O pior jogador do Flamengo foi o Gabriel. O gol do Éverton Ribeiro foi anulado porque ele, Gabriel, fez uma falta estúpida, absurda e inconsequente no zagueiro do Grémio fora da jogada e sem nenhum propósito, já que não estava participando do lance e como não tivesse 3 mil câmaras e 200 árbitros dentro e fora do campo. Quando fez o gol, que também foi anulado, já deveria saber a essas alturas que atacante só se movimenta em direção ao gol adversário no momento em que vê seu companheiro tocar na bola pra fazer a assistência. O impedimento foi confirmado por um joanete a mais, que não aconteceria se ele tivesse prestado atenção. E mais uma vez proporcionou uma quizumba com o Cortês sem nenhuma necessidade o que poderia ter custado um cartão. Teve também um lance em que recebeu a bola na esquerda, dentro da área, tendo pela frente só o fraquíssimo Galhardo, a quem tirou da jogada com um toque pra direita, e teve um enorme espaço tanto em direção ao Paulo Vitor quanto à sua direita que não aproveitou e foi incapaz de invadir e concluir como quisesse. Reconheço a grande fase dele, mas, por essas e por outras não estou inscrito entre os maiores admiradores do seu futebol. É muito mascarado pro meu gosto e jogador mascarado pensa primeiro em si mesmo e não no time.

    Ou seja, poderíamos ter matado o jogo com, sem exagero, uma goleada e coloco na conta dele a não-vitória que poderia ter sido acachapante diante da espetacular exibição de um time comandado por um técnico excepcional.

    Que partida do Arão! Que baita jogador é o Gérson!

    PS-Confirmada a contusão e a ausência do Arrascaeta espero que o JJ não faça o óbvio, seja criativo e, pelamordedeus, não escale o Piris. No mínimo, se não for o Vinição, coloque o Hugo Moura e adiante o Gérson pra ocupar o lugar do uruguaio. Agora que eu quero ver a manha do JJ. De qualquer maneira, confio que vamos pra Santiago encarar o River. Até la o Arraxca volta -benza Deusa!

    srn p&a

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Rasiko.

      Excelente comentário, bora lá.

      1) Não com essas palavras tão contundentes, o próprio Renato reconheceu isso – ao menos nas entrelinhas – na entrevista depois do jogo. A questão é que, nos mata-matas, nem sempre o melhor vence. Podíamos ter liquidado, agora vamos ter que ralar.

      2) A grande bobeira no gol do empate foi, na minha opinião, do Everton Ribeiro. Quanta ingenuidade! Na dividida em que Filipe Luís se machucou, a bola sobrou pra ele. Se tivesse posto pra fora, certamente o juiz providenciaria o atendimento a Filipe Luís e daria tempo do Renê entrar. Ele dominou e tentou driblar dois ou três adversários. Duvido muito que qualquer time argentino – nem esses que andam por aí, Colón, Godoy Cruz, sei lá – tomasse um gol aos 42 do segundo tempo de uma semifinal de Libertadores por causa disso. A qualidade do nosso time vai ter que chegar no limite para superar nossa falta de manha pra disputar a competição. No lance, acho que Rodrigo Caio e Pablo Marí não tinham muito o que fazer.

      3) Também não acho que Gabriel seja craque, longe disso, só que deu muito certo no esquema do Jorge Jesus e está funcionando. Eu não diria que ele foi o pior do Flamengo: pra mim, o Flamengo não teve pior. Claro que o empurrão em tempos de VAR foi uma tolice, mas é mais ou menos o que eu escrevi: os caras têm que se adaptar rapidamente a isso. No primeiro gol anulado, sei lá. Acho que você tá de má-vontade com o “Centroavante Mascarado”. (Lembrei de uma banda de fanfarrões que tinha lá no Rio, na década de oitenta, chamada “João Penca & Seus Miquinhos Amestrados”. Um dos caras, que era o principal compositor da banda, se apresentava como o “Guitarrista Mascarado”.)

      4) Gerson é, apenas e simplesmente, um monstro. Um dos jornalistas gaúchos, do tal vídeo da mesa redonda a que assisti hoje e que citei na resposta ao comentário do Ricardo Carvalho, diz com todas as letras que “nenhum time do Brasil – nenhum – tem um jogador que nem o Gerson”. Não sei quanto Gerson custou, só sei que foi barato.

      5) Sim, Arão jogou muitíssimo.

      6) Com Arrasca ou sem Arrasca, eu também confio.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        Rasiko 2 semanas ago Responder

        O Everton Ribeiro alega que não viu o Filipe Luís caído. De qualquer maneira a leitura corporal dele (desculpe se insisto na “minha especialidade”) denuncia essa ingenuidade a que vc se refere. Não é coincidência que o Vitinho sofra do mesmo mal. Esse tipo de personalidade tem muita dificuldade de injetar sangue nos olhos, precisa de dose extra de adrenalina. Tem uma respiração específica pra esses casos que funciona na hora, como uma droga.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 2 semanas ago Responder

    O Flamengo fez com o Grêmio o que o River havia feito com o Boca, esmagaram os respectivos adversários, só que o River fez os gols. Se futebol tivesse a mínima coerência a final já estaria escrita: Flamengo e River, o falastrão Renato há que tomar muito cuidado: falar menos e cuidar mais de seu time que fora de dúvidas é o mais fraco dos quatro finalistas. Acredito que a classificação rubro-negra é quase certa, mas existe sempre aquele negócio de caixinha de surpresa, etc., além das contusões que já estão surgindo por aí. E o VAR, hein, criaram uma maquineta especialista em medir dedão de jogador, deveriam criar uma máquina para medir eficiência em campo. E o Renato, hein, estava tão jururu, parecia um pinto molhado na beira do campo, agora voltou a vociferar, quem manda o Flamengo mais uma vez dar mole.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Grande Xisto!

      Eu discordo da sua avaliação do Grêmio. Tenho dúvidas quanto à comparação com o River – que é, acima de tudo, um time bem treinado -, mas acho o Grêmio muito superior ao Boca.

      Há uma diferença entre os resultados, né? O River jogou em casa, o Flamengo jogou fora. Nossos grandes problemas para a partida de volta são, realmente, as possíveis contusões, já que estamos na ponta do Campeonato Brasileiro e não dá para entregar a paçoca assim de bandeja.

      Quanto ao Renato, exato: o Bruxolobo fez comentário semelhante e eu respondi lá.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Mário Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

    O VAR, acabou com a “picardia” no jogo. Uma pena!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Pois é, Mário.

      O VAR transforma o futebol num esporte de não-me-toques.

      Li seu curto comentário e fiquei pensando em como a história do jogo seria diferente se voltássemos no tempo. Imaginei, inclusive, a Fifa querendo faturar algum com a brincadeira.

      Imagine que a ilibada entidade disparasse um comunicado dizendo algo parecido com isso:

      “A fim de corrigir determinadas injustiças históricas, e agora de posse do que há de mais moderno no campo da tecnologia, capaz de detectar impedimentos até pelo fato de um jogador não ter aparado as unhas dos pés, a Fifa se viu na obrigação de rever alguns lances e resultados das Copas do Mundo, chegando a algumas conclusões.

      1) O chute do atacante inglês Hurst, na final da Copa de 1966 contra a Alemanha, bateu no travessão e quicou fora do gol.
      2) Pela cotovelada aplicada no uruguaio Fontes, na semifinal da Copa de 1970, Pelé deveria ter sido expulso e não poderia disputar a decisão contra a Itália.
      3) O primeiro gol de Maradona contra a Inglaterra, nas quartas de final da Copa de 1986, foi feito claramente com a mão.
      4) O pênalti que deu à Alemanha o título da Copa de 1990, na vitória de um a zero sobre a Argentina, não existiu.

      Diante disso, decidiu-se:
      1) Inglaterra e Alemanha irão disputar nova partida para decidir o título de 1966.
      2) Brasil e Itália irão disputar nova partida para decidir o título de 1970.
      3) Argentina e Inglaterra voltarão a campo, pelas quartas de final da Copa de 1986, e o resultado pode provocar uma série de novos jogos, caso a Inglaterra saia vitoriosa.
      4) Alemanha e Argentina irão disputar nova partida para decidir o título de 1990.

      Revoguem-se as disposições em contrário.”

      Já pensou o que isso não ia dar de debates e, sobretudo, de dinheiro? Depois, era só mandar um e-mail (já que ninguém mais tem fax) dizendo que o campeão de tal Copa do Mundo é fulano, ou, melhor e mais lucrativo ainda, fazendo as duas seleções dividirem o título.

      Não dá ideia, não dá ideia.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Ricardo Carvalho 2 semanas ago Responder

    Murtinho, vc analisou e resumiu tão bem o jogo que não há o que comentar.

    Que pena que não demos um sacode nesses fdps lá…

    A frase final “Creio já ter ficado claro que, com o time completo e os caras em boas condições, no atual futebol brasileiro não tem pra ninguém.” é o que todos sentimos.

    Parabéns pelo texto e SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Valeu, Ricardo. Obrigado pela moral.

      Cara, hoje assisti a um pequeno trecho de uma mesa redonda gaúcha e, depois dos jornalistas encherem a bola do Flamengo, aumentou a sensação que eu, você e tantos milhões de rubro-negros tivemos: era pra ter liquidado a fatura.

      Uma pena não termos conseguido, o que seria fantástico por dois motivos: 1) Jogaríamos a volta com tranquilidade e praticamente sem riscos (o nosso é melhor, mas o time deles é bom e é perigoso). 2) Poderíamos nos dedicar integralmente ao Campeonato Brasileiro – que, pelo menos pra mim, é tao importante quanto.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    BruxoLobo 2 semanas ago Responder

    Salve Murtinho!
    O Flamengo do primeiro tempo de ontem e parte do segundo tempo foi o verdadeiro “Flamengo de todos os sonhos”…
    Ver a cara de cachorro cagando na chuva do Renato sentado no banco de reservas com a medalha na boca sem entender o que acontecia, não tem preço…
    Saudações!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Salve, salve, meu bom Bruxo!

      Ele pôs a medalhinha na boca e rezou feito um desesperado nos dois lances de VAR do primeiro tempo. Ali ele percebeu que a batata gremista estava por assar. Tanto que ele mesmo, num raro momento de humildade, disse isso depois do jogo.

      Vamo que vamo.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      • author avatar
        BruxoLobo 2 semanas ago Responder

        A melhor definição pra cara do Renato encontramos num trecho da música capim Guiné do saudoso Raul…
        Tá vendo tudo e fica aí parado
        Com cara de viado que viu caxinguelê…
        Perfeito!
        Saudações rubro negras.

  • author avatar
    Pedro Rocha 2 semanas ago Responder

    Infelizmente confirmada a lesão grave e a ausência de Arrascaeta.
    Vamos de REINIER NELES! Só pra dar contornos mais épicos e românticos (craque o Flamengo faz em casa) a essa narrativa.
    Seremos campeões!
    SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Pedro.

      É. Se o cara não se recuperar a tempo do jogo, vai fazer falta.

      Não sei como está a situação do Reinier, essa bosta de seleção sub não sei o quê, seleção pré-olímpica, não sei em que categoria ele se encaixa. Confesso que não me interesso nem um pouco por esse assunto, mas torço para que esteja disponível.

      Ou teremos que torcer para o Dia do Retorno de Vitinho ou o Dia da Rara Inspiração de Piris da Motta.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Rafael 2 semanas ago Responder

    Esse time inspira confiança. Oxalá sem desfalques, a goleada que escapou ontem virá no dia 23. E vamos com tudo pra cima do River, depois o Liverpool.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 2 semanas ago Responder

      Fala, Rafael.

      Pois então, rapaz. Na quinta-feira, já acordamos com a notícia de que os casos de Arrascaeta e Filipe Luís não são tão simples assim.

      Vamos torcer para contar com ambos na volta, porque não temos ninguém parecido no banco.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta para Mário Jorge Murtinho Cancelar resposta