República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

Aprender com as crianças.

Por | 7 de maio de 2020
Crianças 1 Form
17 Comments
  • author avatar
    Rasiko 3 semanas ago Responder

    Chacal e demais interessados: festival di grátis de filmes do Domingos de Oliveira. “Todas as mulheres do mundo” é inesquecível; “Edu coração de ouro” é outro.

    http://www.inff.online

  • author avatar
    Aureo Rocha 3 semanas ago Responder

    Sabe, Murtinho, como diz uma canção de Burt Bacharach e Hal David, o mundo precisa agora é de amor, não apenas para alguns, mas para todos.

    Quando eu assisto à Regina Duarte banalizando o mal, a morte, a tortura, tal qual Adolf Eichmann, o principal organizador do Holocausto, eu volto a canção:

    Senhor, nós não precisamos de outra montanha.
    Há montanhas e encostas o suficiente para escalar.
    Há oceanos e rios o suficiente para atravessar.
    Suficientes para durar até o fim dos tempos.
    Senhor, nós não precisamos de outro campo,
    Há milharais e campos de trigo, o suficiente para crescer,
    Há raios solares e lunares, o suficiente para brilhar.
    Oh! Ouça senhor, se você quer saber.
    O que o mundo precisa agora é amor, doce amor
    É a única coisa que não é apenas muito pouco. (tradução livre)

    Pois bem, quando eu vejo o presidente do país, o principal responsável pela condução do seu povo, anunciar a realização de um churrasco, em meio a uma pandemia que já matou até este momento no Brasil 9.992 pessoas, eu fico perguntando pelas manhãs às borboletas e aos pardais que moram aqui em casa e que me acompanham na minha caminhada diária no meu quintal – onde anda o amor.

    Por isso, Murtinho, aplaudo este movimento de solidariedade da União Rio em benefício da turma do futebol. E, como mandou meu coração, já passei lá na Vaka.

    Fraternais saudações rubro-negras.

  • author avatar
    Rasiko 3 semanas ago Responder

    Há 2 meses comecei a dar consultas pela internet, às vezes individual, às vezes coletiva, dependendo se a questão em foco abrange um nº maior de interessados. Vários emails pipocaram no meu inbox, até de alunos e clientes que não via desde o último título do vasco. A pandemia ainda não tinha mostrado os dentes e neguinho já tava berrando – medo, insegurança, depressão, paranoia, falta de grana, e por aí vai. Abri o “consultório” com atendimento gratuito, dizendo que preferia o coletivo porque os “problemas” eram comuns, mas deixei em aberto o individual. Na semana passada fez um frio do cacete aqui – “e vai piorar”, me disseram. Sem roupas de inverno, deixadas todas em Portugal quando estive lá ano passado, resolvi apelar pra mendicância sofisticada – doação. “Aí galera, minha situação financeira não é melhor do que ninguém. Vivo de salário mínimo e a metade vai no aluguel. Preciso de um casaco pra enfrentar o frio e custa 170 reais. Quem puder, contribua.” Em 5 dias fechou a conta e eu avisei “pode parar”. Teve um que fez questão de depositar 1 real e esclarecer que, lógico, era simbólico e o gesto importava, sim. Perguntei, então, numa consulta coletiva, se alguém teria condições de contribuir para aquela pessoa que, se só podia depositar 1 real, deveria estar numa situação próxima ao desespero. De novo o grupo se mexeu e em poucos dias mais de 100 reais estavam na conta dela.
    Observem a mixaria a que estou me referindo.
    Este preâmbulo é porque quando fui fazer o cadastro no site http://vaka.me/1009270 não havia opção pra telefone fora do Brasil (porque querem o nº do meu telefone pra que eu possa fazer uma doação?). Investi 10 reais pra comprar um chip da TIM, voltei ao cadastro, não tinha opção de pagamento com cartão de débito, que é o mais comum, optei pelo boleto e quando cliquei pra dar sequência, fui recusado por terem estabelecido que a contribuição mínima é de 25 reais. Como assim? Contribuição mínima!? Eu estou doando, dando, contribuindo, com a melhor das intenções, por pura compaixão, entendendo o momento que todos estamos passando e gritando a plenos pulmões que a única saída é a solidariedade, sendo, portanto, coerente, atendendo ao apelo de uma pessoa em quem confio e a minha contribuição não é aceita porque não atingiu o mínimo estipulado??? E 20 reais fazem falta pra mim, SIM (e só quem vive de salário mínimo sabe onde lhe aperta o calo) – com 20 reais eu compro uma dúzia de ovos caipira, uma dúzia de bananas, 1/2 kg de tapioca e 250 gramas de café, que são a base da minha alimentação.
    Ou seja, o mendigo chique e arrogante que se dá o direito de fazer escolha prefere não receber nada, a receber o que é possível, dado de coração e com o limite imposto pela própria condição do doador. Patético! Humildade é pra todo mundo, mas não pra qualquer um.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 semanas ago Responder

      Fala, Rasiko.

      Concordo que uma contribuição de 20,00 (ou de qualquer que fosse o valor) deveria ser aceita, mesmo porque 20,00 para um pode representar esforço muito maior que 20.000,00 para outro. (No texto, creio que isso fica claro no caso do 1/3 da mesada do meu neto.)

      Vou encaminhar seu comentário a quem de direito, ok?

      Abração. SRN. Paz & Amor. Se cuida.

      • author avatar
        Ruth fernandes 3 semanas ago Responder

        Olá boa noite Sr. Rasiko, sim também creio que a contribuiç ão de qualquer valor é super bem vinda ao nosso projeto para ajudar aos mais necessitados, vou verificar o que houve, pois ao criar a vkinha não estipulei nenhum valor mínimo para doação, vou entrar em contato com o site da vakinha e vou verificar o que houve e lhe dou um parecer assim que eles nos responderem ok. Agradeço a sua atenção, A paz

    • author avatar
      Rasiko 3 semanas ago Responder

      E já que o assunto é doação, se alguém quiser/puder doar pra que eu possa comprar uma dentura – por volta de 3000 reais -, agradeço.

      • author avatar
        Rasiko 3 semanas ago Responder

        dentadura – é que estou escrevendo com os dentes moles :)

  • author avatar
    Bruno Melo 3 semanas ago Responder

    Boa, Mestre Murtinho.
    Ainda teimo em crer que o vírus trará mais humanidade.

    Abraços.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 semanas ago Responder

      Fala, Bruno.

      Não sou tão otimista, mas torço furiosamente para estar equivocado.

      Abração. SRN. Paz & Amor. Se cuida.

  • author avatar
    Rasiko 3 semanas ago Responder

    Grande Jorge! É por aí. Tamu junto.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 semanas ago Responder

      Valeu, Rasiko.

      Abração.

  • author avatar
    Suzana 3 semanas ago Responder

    Bora ajudar.
    Não posso sair de casa, mas, quero ajudar de alguma forma.

    • author avatar
      Ruth fernandes 3 semanas ago Responder

      Olá boa noite e a paz,
      dona Suzana, a senhora poderia nos ajudar doando algo para a nossa vaquinha virtual, da qual fala a matéria em questão, eis ai o nosso link, caso não possa entenderemos também

      http://vaka.me/1009270
      Nosso contato:968170189

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 semanas ago Responder

      Maravilha, Suzana.

      Beijo grande. Paz & Amor. Se cuida.

  • author avatar
    Marcelo Dunlop 3 semanas ago Responder

    Bora. Brilhou!

    • author avatar
      Ruth fernandes 3 semanas ago Responder

      Olá boa noite e a paz,
      Seu Marcelo, o senhor poderia nos ajudar doando algo para a nossa vaquinha virtual, da qual fala a matéria em questão, eis ai o nosso link, caso não possa entenderemos também

      http://vaka.me/1009270
      Nosso contato:968170189

    • author avatar
      Jorge Murtinho 3 semanas ago Responder

      Valeu, meu camarada.

      Abração. SRN. Paz & Amor. Se cuida.

Deixe seu comentário

Deixe uma resposta para Marcelo Dunlop Cancelar resposta