República Paz & Amor

Por favor, aguarde...

República Paz & Amor

A importância do coadjuvante.

Por | 18 de novembro de 2019
Dedé Santana Form1
32 Comments
  • author avatar
    Urubu Rei 10 meses ago Responder

    Por isso a importância de duas partidas (ida e vinda) na final.
    Diminui o risco de um golpe certeiro aos 45 do segundo tempo da trinca…

  • author avatar
    urubu rei 10 meses ago Responder

    Não temo o River.
    Temo a trinca Conmebol / AFA / VAR
    Que o Saint Dept. of Justice nos proteja !!..

  • author avatar
    Carlos Moraes 10 meses ago Responder

    Curto e grosso, atendendo a pedidos.

    POR QUE TENHO UM CERTO MEDO DO RIVER PLATE

    Em primeiro lugar, pelo seu técnico.
    Marcelo Gallardo foi um verdadeiro craque.
    Estilo do nosso Arrascaeta.
    Além do mais, torcedor fanático do time em que jogou quase trezentas partidas e é técnico há uns seis anos.
    Atuou por três diferentes ocasiões no RP, alternando com passagens pela Europa, onde também brilhou no Monaco.
    Jogou pela seleção do seu país em todos os subs adorados pelo Murtinho, pela seleção olímpica e pela principal, em duas Copas do Mundo.
    Como técnico ficou um ano no Nacional, do Uruguai, clube em que pendurou as chuteiras, transferindo-se para o River e só.
    Conhece tudo de futebol.

    Depois, vem o conjunto que já joga junto há uns dois anos.
    No time campeão da Libertadores/18 só não estava presente o centroavante Suarez, que, pelo que vi na Copa América deste ano, é uma merda.
    Foi, no entanto, o único reforço contratado para a atual campanha.
    Temo, diria melhor, respeito a força do conjunto.

    Numa análise de jogador com jogador, não tenho a menor dúvida que levamos vantagem.
    A sapiência do técnico, apesar do nosso iluminado Jorge Jesus, e a força do conjunto são os motivos que me trazem inquietação.

    Além do mais, estou nervoso PACA.
    Afinal de contas, 38 anos é muito tempo.
    Tanta expectativa acumulada, torna obrigatória uma opção em duas – ficar com o Rivotril em cima da mesa, de preferência ao lado da cama, ou esgotar o estoque seja de cervejas, seja de vinhos, enfim, encher a cara de bolinha ou de álcool.

    Nervosíssimas SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    • author avatar
      Xisto Beldroegas 10 meses ago Responder

      Pois, Carlos, é essa a minha grande frustração, e um “pote até aqui de mágoa” (royalties para o Chico) que eu tenho, um clube da grandeza do Flamengo não pode deixar a gente assim por 38 anos, a espera poderia ser assim de 5/5 anos, por aí, mas 38 anos é demais mesmo pra minha velhice, não aguento mais ouvir em qualquer matéria da mídia começar com a frase “depois de 38 anos de espera….”

    • author avatar
      Alessandro Matos 10 meses ago Responder

      Mestre Moraes, sábado será que nem uma revolução ou melhor evolução.

      Morte ao rei” River”

      Viva ao novo rei”Flamengo”

      E não para por aí .

      Domingo será hepta se assim nosso Zico querer.

      E dezembro o céu não é o limite
      E quem sabe os anos vindouros será de uma dinastia flamengas.

      Como é ótimo ser flamenguista e saber que somos uma nação que ama e segue o Flamengo assim como o Carlos Moraes e eu.

      • author avatar
        Carlos Moraes 10 meses ago Responder

        Alexandre, meu amigo paraense.

        Você precisa voltar à turma, onde está fazendo muita falta.

        Parabéns pelo herdeiro/a a caminho.

        Que Zico te ouça !

        Fanáticas SRN
        FLAMENGO SEMPRE

  • author avatar
    Alessandro Matos 10 meses ago Responder

    Grande Murtinho, essa semana estar a mil, cada notícia que não dar pra ficar esperando por novidades, leio tudo e nada de passar o tempo, acredito vamos ser campeão , só estou em dúvida se vai ser moleza ou vai ser no apagar das luzes, prefiro que seja fácil mas como sabemos que tudo que envolve o Flamengo é carne de pescoço, então que seja como for.

    A semana começou ótima, domingo só não demitimos o Renato por causa que ele ainda tem bagagem por lá, hehehe, ontem fiquei sabendo que vamos ter mais um flamenguista na família, não sei se vai ser menino ou menina mas o que importa é que vai ser flamenguista com muita saúde .

    É Murtinho, quando o Flamengo ganha o mundo fica mais bonito e claro cheio de amor no mundo, eu já estou fazendo a minha parte ,kkkkkk, com certeza vai ser pé quente, vamos ser campeão duas vezes até domingo, assim seja , pela benção do nosso Zico.

    Como é ótimo ser flamenguista e saber que temos uma nação que ama e segue religiosamente o Flamengo assim como eu.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Parabéns, meu camarada!

      Que notícia fantástica!

      E a felicidade completa virá no sábado, com uma grande vitória.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Alvaro Paes Leme 10 meses ago Responder

    Falta pouco, então vou me controlar e fingir que nada demais vai acontecer no sábado, que será um sábado como todos os outros. Apenas aproveitar uma pequena abertura do portal para rápidas observações e retornar ao meu estado de catatonia, com previsão de retorno sábado, por volta das 16h55.

    1) A exemplo de Arnaldo Branco, longe de ser um Lipi Há-Há, sou professor de melancolia à la Machado de Assim (cf. conto “Um apólogo”, Machado de Assis). Logo, na qualidade de vidente do passado, direi que o brasileirão está no saco, quando ele no saco estiver. O que não me impede de invejar e me sublimar com as conscientes manifestações de otimismo, a quem delego competência para assumir a felicidade que ainda não me permito.

    2) O momento é tão mágico, que até Arnaldo Branco reapareceu em poucas linhas, para enviar magistral crônica de PMC.

    3) Aliás, mesmo não precisando de ninguém para lembrar-lhe que sua memória é uma merda, ele bem que poderia dar o ar da graça e fazer uma rápida tirinha sobre o momento em contraponto com 81.

    4) Não dá para evitar o comentário: é possível fazer bem; é duro ver que muitos torcem contra, para que não sejam obrigados a elevar a qualidade de suas respectivas administrações e para que sejam autorizados a permanecer em suas respectivas mediocridades.

    5) Por fim, tendo em vista o elevadíssimo nível dos cronistas deste blog e considerando-se, também, o igualmente elevado nível dos comentários e contracomentários, lanço aqui uma indagação que, s.m.j., ainda não vi ser ponderado: em tendo Jorge Jesus sempre logo ali, ao alcance da mão, o que justificou a contratação de Felipão para dirigir o escrete nacional?..

    Abraços a todos, até sábado, 16h55, quando retorno da outra dimensão

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Fala, Alvaro.

      1) Rapaz, eu também jogo nesse time aí, fazendo meio-campo com você e Arnaldo. Mas, na boa, nem a mais absurda das flamengadas pra tirar esse Brasileiro da gente.

      2 e 3) Concordo. E pergunto: quem você preferia que voltasse, Arnaldo Branco ou Diego Ribas?

      4) Paciência. Como diria um famoso e sábio monge budista, a inveja é uma merda.

      5) Essa é irrespondível.

      Abração. SRN. Paz & Amor. E até sábado, com a Liberta no bolso.

  • author avatar
    Xisto Beldroegas 10 meses ago Responder

    Olha aí, meus queridos, vocês falam ( ou não falam) do Abel, mas ele colocou em seu currículo aquele título que ganhou na pátria mãe de certa gente que governa um certo lugar que anda meio bagunçado, jogando até com o Ajax, é mole?, tem que engolir o cara. Particularmente devo ao Abelão o nome de batismo de meu medianeiro, conselheiro, o escambau, meu grão-rato Miki que nas horas sombrias, junto com Ana, a aranha romântica, me confortam nesse meu túmulo pra lá da eternidade.

  • author avatar
    Carlos Moraes 10 meses ago Responder

    Já escrevi lá no Arthur. Vou repetir. Peço perdão aos nossos reservas, que sempre critiquei.
    É bem verdade que, disparado, o melhor em campo foi o mágico Arrascaeta.
    ^Chupando suas laranjas^ domina o jogo.
    CRAQUE.
    … e pensar que um certo Abel prefiria deixá-lo no banco.

    SRN
    FLAMENGO SEMPRE

    PS – nervosismo a flor da pele. Jogo imprevisível contra o River Plate. Com sinceridade, entendo que temos mais time. Assunto para uma outra participação, na expectativa de um novo artigo.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Meu querido Carlos Moraes.

      Acho que nenhum de nós precisa pedir desculpas pelas críticas. Futebol é futebol. Acertou, aplaudimos. Errou, criticamos. Sempre foi e sempre vai ser assim.

      Não concordo com certas implicâncias e picuinhas, que às vezes nos impedem de ver as coisas de modo mais isento. Mas isso todos nós fazemos, e não me excluo.

      Quanto ao River, confesso que não o acompanho a ponto de dizer se nosso time é melhor ou pior, porém considero muito difícil que alguém, na América Latina, esteja jogando mais que nós. Embora, numa decisão, muitas vezes isso acabe não valendo, estou confiante.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Rasiko 10 meses ago Responder

    “Quando encontrar um bom exemplo, não inveje, imite” , disse o sábio. Vou tentar, Jorge, vou tentar. Não é tarefa das mais fáceis chegar perto de tamanha capacidade de reconhecimento da contribuição alheia e elegância. Elegância que me remete ao fantástico Tom Robbins, o Arthur Muhlenberg norte-americano, ambos mestres em analogias e metáforas únicas, quase sempre hilárias, sempre com um olhar poético emanado do espírito essencial. Vocês, junto com Dunlop, Vivi e Nivinha, fazem destas páginas um bálsamo à ignorância – a origem de todos os pecados – que impera na desagregada comunidade boleira. Nossa sorte é que elas (as páginas) não são populares e assim conseguimos manter a frequência em alto nível.

    Para que o nível não caia, não vou falar do Gabriel Barbosa, embora tenha que admitir que gosto dele, de sua personalidade, reconheço seu enorme carisma, me comove sua identificação com a torcida, mas, se ele pudesse me ouvir, ambos profissionais em suas áreas, diria que ou ele se empenha em atingir o equilíbrio emocional condizente com seu papel de protagonista num time que mira o topo da cadeira alimentar, ou vai se fudê. O remédio eu tenho, e não é amargo, mas ele tem que querer tomar. Se identificar com esse personagem canastrão vai, certamente, leva-lo pro buraco. E o mais emblemático tá logo ali na frente: a probabilidade do Flamengo se sagrar campeão no jogo contra o Ceará, com a torcida entupindo o Maracanã, é grande e ele não vai poder estar em campo nem pra tirar a foto no time campeão Vai ser uma porrada e tanto. Reagir com arrogância só o coloca na mesma prateleira dos boçais empedernidos, como o Renato Gaúcho e sua língua inchada.

    Agora vou voltar pra minha caverna e fazer trezentas mil respirações até a hora do jogo.

    srn p&a

    • author avatar
      Marco Becker 10 meses ago Responder

      Rasiko, beleza?
      Fera, sempre mantive um olhar atento aqui nos comentários – muita coisa boa é dita por aqui.

      Hoje você mandou benzaço. Eu tenho 31 e essa é a temporada mais impressionante de um time de futebol que tive o prazer de acompanhar (eu não tinha tv a cabo para acompanhar futebol europeu, confesso que nem hoje acompanho).

      Ser o artilheiro da temporada, do campeonato, ídolo da torcida e não sair na foto de campeão dói até em mim.

      Valeu pelo comentário!
      SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Fala, Rasiko.

      Que nada: em matéria de Flamengo, o Sr. Thomas Eugene Robbins sequer amarra as chuteiras do nosso craque Muhlenberg.

      Concordo em gênero, número e grau com o segundo parágrafo, a respeito do Gabriel. E, em nome de todo mundo, agradeço pelos elogios no primeiro.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

      PS: Assim que acabar de responder os comentários de vocês, também volto pra minha caverna. Tá fácil não, meu amigo. Tá fácil não.

  • author avatar
    Márcio Costa 10 meses ago Responder

    Isso aê, Murtinho!
    O elenco inteiro tá de parabéns. Cada um soube da importância que tem mesmo sendo reserva. Essa consciência é que faz o Fla ter um grupo coeso e vencedor.
    Mas o que me impressiona é lembrar que renovamos a metade do elenco em um ano. Podemos escalar um time mediano pra bom com Pará, Rever, Leo Duarte, Trauco, Cuéllar, Jean Lucas, Paquetá, Marlos Moreno e Geuvanio e Henrique Dourado (ainda com o reserva Uribe). Ex-jogadores do Clube que juntos com os nossos atuais reservas foram responsáveis para que disputamos a 3ª Libertadores consecutiva. Renovação que representa o processo evolutivo nessa escalada para atingirmos os grandes títulos, apesar de terem ocorridos várias frustrações ao longo dos últimos anos. O que comprova que para atingir o ápice, requer-se alinhamento do TODOS: presidência, diretoria, técnico, elenco, torcida. Parabéns à gestão anterior e à atual.
    SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Fala, Márcio.

      Exato. Quanto ao elenco, foi mais ou menos o que escrevi na resposta ao comentário do Marcos.

      A diretoria de futebol do Flamengo fez um trabalho excelente. Erro grande, só me lembro de um: a opção por Abel Braga. No mais, tudo na mosca. Tomara que em 2020 a mão continue boa.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Marco Becker 10 meses ago Responder

    Jorge, muito obrigado por mais um ótimo texto.

    É sempre um prazer encontrar suas considerações e dizeres acerca do Mais Querido.

    O coração está aguentando a jornada rumo aos títulos! Vai, Flamengo!

    Abraço, fera! Parabéns!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Valeu, Marco. Muito obrigado pela força.

      E controla esse coração aí, rapaz. Não tá fácil pra ninguém, mas vamo que vamo.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Passos 10 meses ago Responder

    Ao enciclopédico, minucioso e indispensável Murtinho, s.m.j., senti falta do lance do Cebolinha, colocado no bolso por Rodinei e nossa valorosa zaga. Em raro lampejo, o destemido personagem de Maurício de Sousa atravessa uma parede formada por 2 defensores nossos, reaparece ileso do outro lado, mas isola bisonhamente a bola, lá para os lados de Bagé. No mais, queria subscrever humildemente os justos encômios à turma dos reservas. Nosso simpático Renê então, parece-me injustiçado, não só por nossa exigente torcida mas, sobretudo, pela crônica esportiva, da qual você é uma das honrosas exceções.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Fala, Passos.

      Concordo com o minucioso, agradeço demais pelo indispensável e não tenho dúvida de que enciclopédico é um puta exagero.

      Esse lance do Cebolinha foi inacreditável. Você sabe, rapaz, que essas coisas me encantam no futebol? Nas vezes em que revi jogos da extraordinária seleção brasileira de 70, sempre achei o máximo as jogadas surpreendentemente erradas de Pelé, Tostão etc. Falta cobrada por Pelé lá na arquibancada, chutes tortos do Tostão e por aí vai. Pra gostar de futebol de verdade, é fundamental entender o quanto isso é normal.

      Dou risada quando vejo comentários criticando uma ou outra atuação mais ou menos assim: Rodinei jogou bem, mas levou dois dribles do Cebolinha que não podia ter levado. Tá bom. Vai lá, meu camarada. Vai lá pra ver se é fácil passar um jogo inteiro levando apenas dois dribles do Cebolinha.

      O lance que ele fez foi difícil. Estava cercado, bem marcado, e conseguiu desenrolar. Na hora do chute, tentou uma jogada que virou mania no futebol brasileiro: colocar à meia-força, buscando o ângulo do outro lado. (Nesse jogo, Gabriel tentou duas vezes.) Mas Cebolinha errou por muito, mandou quase na bandeirinha.

      Quanto ao Renê, achei que ele não fez um bom primeiro tempo, até com certa (e rara, no caso dele) displicência. Curiosamente, melhorou com a entrada do Pepê, que é um atacante rápido e chato. Deve ter se tocado de que precisava de mais concentração no jogo e melhorou bastante.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    João Neto 10 meses ago Responder

    Murtinho, o jogo foi bem atípico aos padrões rubro-negros, em razão dos fatores por você bem explicados. Não se poderia exigir além da conta. O resultado foi surpreendente e confirmou a afirmação de que o propenso campeão normalmente obtém resultados desse quilate.

    A única ocasião em que fiquei devesramente agitado foi quando as câmeras de TV mostravam Diego com a bola na mão aguardando a definição do árbitro para executar a penalidade máxima. Segundos de terror. Seria possível depois de tudo o que o torcedor já havia sofrido, ter de aturar tal afronta? Não, mil vezes não!!
    Para felicidade geral, o mimado atacante converteu com imensa categoria.

    Fugindo um pouco do jogo, Rivaldo afirmou ser inconcebível a Camisa 10 da Seleção Brasileira conviver com o banco de reservas. Nada contra o jogador que a enverga.

    Da mesma forma, acho um absurdo a Camisa 10 do Flamengo ser envergada por um reserva. Tem muita história e deve ser respeitada.

    Dêem à Camisa ao uruguaio. Quem a enverga atualmente não reúne condições físicas e técnicas para tal pretensão. O momento é de valorizar o que se tem de melhor. Craque é 10!

    SRN

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Fala, João.

      Rapaz, ainda bem que não reparei nisso. Se eu visse nosso capitão disposto a encarar aquela cobrança, teria um troço.

      Quanto à camisa 10, não sei do histórico de Arrascaeta no Cruzeiro, mas acho que também não a usava lá. (Era o Thiago Neves, não? Aliás, outro tremendo enganador.) Talvez Arrascaeta não goste do número, sei lá.

      Se o critério for técnico, não há discussão.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    The Trooper 10 meses ago Responder

    Ufa. Pensei que fosse citar o nome do Abel.

    3 das 25 vitórias foram com ele. 12% por cento das nossas vitórias até aqui.

    Já das derrotas, foi responsável por 67% (2 de 3).

    Kkkkk

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Fala, Trooper.

      Imagina!

      Botei o nome de todos os que, mal ou bem, com menos ou mais sucesso, fizeram de tudo para ajudar. Abel atrapalhou.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Marcos 10 meses ago Responder

    Mui justa a homenagem aos coadjuvantes Murtinho, afinal, não é só com protagonistas que se faz um filme!

    Saudações Heptacampeãs!

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Pois é, Marcos.

      O que seria do Didi sem o Dedé?

      E Campeonato Brasileiro é danado. Salvo engano meu, o único jogador de linha que conseguiu ser campeão brasileiro atuando em todos os jogos foi o Conca, pelo Fluminense, em 2010.

      É fundamental contar com caras que não deixem a peteca cair.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    chacal 10 meses ago Responder

    eu venho dizendo que o JJ está fazendo um trabalho extraordinário,levando esse time a bater records e conquistas.
    tudo leva a crer que iremos enfilheirar muitas titulos nos próximos anos.
    chamem o portuga para ter aquela conversa de fim de ano e renovem com o GAJO.
    meu palpite para a final da libertadores flamengo 2 x 0 river.

    SRN !

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Fala, Chacal.

      Sim, perfeito. Mas, independentemente disso, é muito importante o Flamengo ter na manga uma solução de continuidade.

      Vai que um dia o cara não aguente de saudade da terrinha – ou, embalado pelo sucesso no Flamengo, receba uma proposta indecente de um desses europeus abarrotados de ouros e euros -, não podemos desperdiçar a herança bendita que certamente ele deixará.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

  • author avatar
    Muhlenberg 10 meses ago Responder

    Clap, Clap, Clap. Elegância e objetividade à toda prova, Mestre Murtinho.

    • author avatar
      Jorge Murtinho 10 meses ago Responder

      Valeu, brother.

      O blog tá inspirando. Com a rapaziada elevando a altura do sarrafo, a responsa aumenta.

      Bom pra gente, que escreve. Bom pras amigas e pros amigos, que leem.

      Abração. SRN. Paz & Amor.

Deixe seu comentário